Nunca tantos deveram tanto a tão poucos

Começamos nosso bate papo com essa frase dita por Winston Churchill em 20 de agosto de 1940.
Naquela ocasião a Inglaterra estava sofrendo uma ameaça, que ficou conhecida como “a Batalha da Inglaterra”, quando, aproximadamente 2900 jovens, que serviam como pilotos da Royal Air Force, apesar da superioridade numérica da Luftwaffe, Força Aérea Alemã, enfrentaram a batalha e obtiveram êxito.
“Nunca, no campo dos conflitos humanos, tantos deveram tanto a tão poucos.” – (Winston Churchill)

Hitler, Stalin e Mao Tse Tung, os três ícones da esquerda que representam o supra sumo do genocídio.

Resolvi começar por essa lembrança, porque, são detalhes que terminam por demarcar bem o território da história.
O objetivo com isso é tentar mostrar um pouco do que de fato aconteceu durante o período de 1964 a 1985.

Humberto de Alencar Castello Branco – 1964 – 1967;
Artur da Costa e Silva – 1967 – 1969;
Emílio Garrastazu Médici – 1969 – 1974;
Ernesto Beckmann Geisel – 1974 – 1979;
João Baptista de Oliveira Figueiredo – 1979 – 1985

O País ocupava o 48º lugar no mundo, por conta de seu PIB Produto Interno Bruto tão abalado e defasado. E 21 anos depois, ou seja em 1985 o País é devolvido à administração civil, ocupando o 8º lugar no mundo.

As conquistas foram grandes e até muitas vezes difíceis de contar e enumerar, porque os avanços foram grandiosos para aquele País que caminhava para o caos Econômico, Social e Cultural.
O modelo populista afundava a nação e o objetivo era, como sempre foi, ter um quintal, para que a URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, líderes comunistas, à época) pudesse chamar de seu, e desse quintal, extrair toda a riqueza que ele necessitasse, a fim de manter a hegemonia bélica mundial.
Pois bem, não preciso dizer-lhes que isso falhou, e que a URSS criada em 12/1922, foi extinta em 12/1991, quando seu líder máximo entregou seus poderes.

O período de 1967 a 1973, foi considerado como o “Milagre Econômico”
Foram feitos investimentos pesados na área energética, junto à PETROBRÁS, assim como pelo “Pro-álcool”.
Precisávamos diminuir nossa dependência do Petróleo importado, por esse motivo, pensou-se na opção do carro a álcool.
Tão logo foram superados os primeiros momentos do Milagre Econômico, Geisel reata (isto ninguém fala) relações diplomáticas com a China (que naquela época dava início à abertura econômica), e hoje, a China desponta como um de nossos maiores parceiros comerciais.

– Criação do Banco Central em dezembro de 1964;
– No cômputo geral, durante esse período podemos constatar a geração de 13 milhões de empregos;
– Observamos um aumento na produção da PETROBRÁS, que pula de 75 mil para 750 mil barris/dia de petróleo; – Neste momento vemos a fundação de empresas construtoras de origem nacional; – Investe-se na construção de 4 portos e na recuperação de mais 20; – Depois de muitos estudos, cria-se a ELETROBRÁS;
– Vê-se a implantação do Programa Nuclear; e assim também a criação da NUCLEBRÁS e subsidiárias;
– Surge a EMBRATEL e a TELEBRÁS, a partir daqui, passamos a contar com um serviço de telefonia de abrangência nacional, onde incluem-se a instalação de “orelhões” pelas ruas;
– A busca pelo crescimento continua e assim se constroem as Usinas Angra I e Angra II;
– Investe-se pesado na Indústria Aeronáutica e Naval, que em 1971, virá a mostrar o Brasil como o 2º maior construtor de navios do mundo;
– Geisel em 1976 resolve promover a implantação do programa “Pró-álcool”, e dessa forma, em 1982, nada menos que 95% dos carros no país já utilizavam o álcool;
– Foi durante este período, mais especificamente em 1974 que se desenvolve a construção daquelas que passaram a ser consideradas as maiores hidrelétricas do MUNDO: Tucuruí, Ilha Solteira, Jupiá e Itaipú;
– Também pelo fortalecimento e incremento das exportações, o crescimento passa de 1,5 bilhões de dólares para 37 bilhões; neste momento passamos a depender menos do café, haja vista o valor das exportações passar de 60% para menos de 20% do total; – As rodovias asfaltadas, saltam de 3 mil para 45 mil km;
– Era um momento de uma inflação galopante, mas nossos militares resolveram, sem um controle abusivo de preços e que com isso faria o achatamento do funcionalismo público, criaram a Correção Monetária, e houve assim, uma contenção;
– Pelo financiamento estimula-se a pesquisa, através especialmente do: CNPq, FINEP e CAPES; – Aumenta a oferta de cursos de mestrado e doutorado;
– Criam-se algumas instituições que virão a fazer muita diferença: INPS, IAPAS, DATAPREV, LBA, FUNABEM;
– Cria-se o FUNRURAL, que vai gerar e gerir o fundo previdenciário do cidadão do campo;
– Nota-se a necessidade do atendimento à criança no período escolar, e com isso é gerado programa de merenda escolar, e, por conta desta necessidade, vemos a ampliação para a alimentação do trabalhador; – Como estímulo aos trabalhadores, são criados o FGTS, PIS, PASEP;
– E por conta da expansão agrícola e pecuária, surge a EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, existe uma demanda para escoamento de algo perto de 70 milhões de toneladas de grãos; – O Brasil vai tomando forma e exige a duplicação da rodovia Rio-Juiz de Fora;
– Assim como se faz necessária a criação da EBTU – Empresa Brasileira dos Transportes Urbanos; e com isso vemos o desenvolvimento e a implementação do Metrô em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife e Fortaleza;
– Toma forma a INFRAERO – Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária, criada em 1973 e que vai proporcionar a criação e modernização dos aeroportos brasileiros: Galeão, Guarulhos, Brasília, Confins, em Campinas o de Viracopos, Salvador, Manaus;
– Colocação em funcionamento dos Polos Petroquímicos em Cubatão – SP e em Camaçari – BA;
– Ao atender a exigência de Investimentos na prospecção de petróleo no fundo do mar, descobre-se o potencial da bacia de Campos em 1976;
– Implementa-se a construção do Porto em Itaquí, bem como do terminal de minério da Ponta da Madeira, localizado em São Luís do Maranhão;
– Constrói-se grandes estádios, ginásios, conjuntos aquáticos e complexos desportivos em diversas cidades e universidades do país;
– Claro que a Reforma Agrária, não passaria desapercebida, por quem conhece o Brasil como ninguém e assim se dá a promulgação do “Estatuto da Terra”; – Cria-se a Polícia Federal;
– O Código Tributário Nacional;
– O Código de Mineração;
– E além disso, vemos surgir a Zona Franca de Manaus;
– Assim como, o IBDF – Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal; – O Conselho Nacional de Poluição Ambiental;
– Uma Reforma bastante ampla e complexa do TCU – Tribunal de Contas da União; – Desenvolve-se amplamente o Estatuto do Magistério Superior; – Criação do INDA – Instituto de Desenvolvimento Agrário;
– SFH – Sistema Financeiro de Habitação;
– BNH – Banco Nacional de Habitação;
– Construção de 4 milhões de moradias;
– Regulamentação do 13º salário;
– Banco da Amazônia;
– SUDAM – Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia;
– Reforma Administrativa, Agrária, Bancária, Eleitoral, Habitacional, Política e Universitária; – Ferrovia da soja;
– Rede Ferroviária ampliada de 3 mil e remodelada para 11 mil Km;

Mas não para por aí não, vimos um ganho interessante e um estímulo à criatividade, porque o plano cultural encontra eco. A vida artística que já contava com pessoas de expressão, ganha novos adeptos, e percebe-se isso, especialmente no movimento crítico à situação política, onde muita gente ainda insiste em dizer ter havido forte repressão. Porém, vimos o surgimento de grandes festivais de música e com novos talentos que surgiam e inclusive consagravam-se: Rita Lee, Caetano, Caymmy, Vinícius, Chico, Gil, Gal, Bethânia, Elis Regina, Titãs, Paralamas, Legião Urbana, IRA, Engenheiros do Havaí, dentre inúmeros outros e isto para citarmos somente alguns.

Pois bem, onde está a repressão? Alguém pode me explicar como se poderia criar isso tudo em meio ao caos em que a esquerda tentava afundar a nação?
E mais importante de tudo, como se instaura um novo regime, sem que seja disparado um único tiro?
Mas, mais que isso tudo, como e porque, um grupo dominante, devolve o poder a outro grupo, que viria a dominar, sem também que seja disparado um único tiro? Que raios de ditadura foi essa?

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (Oi)
(41) 99820-9599 (Tim)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 120518 – Nunca tantos deveram tanto a tão poucos – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

#COJAE

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *