Lutaremos sem Temor

Nos últimos dias, ficou conhecido como o slogan do Gen. Pujol. Mas, é a última frase da Canção do Exército:

“Nós somos da Pátria a guarda,
Fiéis soldados,
Por ela amados.
Nas cores de nossa farda
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

Em nosso valor se encerra
Toda a esperança
Que um povo alcança.
Quando altiva for a Terra
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.
A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor.
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor.

Como é sublime
Saber amar,
Com a alma adorar
A terra onde se nasce!
Amor febril
Pelo Brasil
No coração
Nosso que passe.

E quando a nação querida,
Frente ao inimigo,
Correr perigo,
Se dermos por ela a vida
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.
Assim ao Brasil faremos
Oferta igual
De amor filial.
E a ti, Pátria, salvaremos!
Rebrilha a glória,
Fulge a vitória.

A paz queremos com fervor,
A guerra só nos causa dor.
Porém, se a Pátria amada
For um dia ultrajada
Lutaremos sem temor.”

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

Essa frase, “Lutaremos sem Temor!”, foi utilizada pelo Gen Pujol.
E foi utilizada em um pronunciamento importantíssimo de alerta à Nação Brasileira.

Com a força de um petardo, para destruir obstáculos, foi citada, como para deixar registrada a necessidade de empenhar-se na guerra sem temor.

Assim, em Brasília – DF, no dia 24/03/2020, Pujol falou à nação brasileira:

“Integrantes da Força Terrestre e da nossa grande Família Verde-Oliva.
Vivemos o enfrentamento de uma pandemia que exige a união de todos nós brasileiros.
O momento é de cuidado e de prevenção, mas, ao mesmo tempo, de muita ação por parte do Exército Brasileiro.
Para tanto o Exército está integrado ao esforço de toda a Nação, sob a coordenação do Ministério da Defesa e junto às Forças irmãs.
Após rápido e minucioso exame da situação, que se mostra extremamente dinâmica, para fazer frente a essa ameaça, diretrizes foram expedidas pelo Comando do Exército e, em nível setorial, pelo Comando de Operações Terrestres, pelo Departamento-Geral do Pessoal e pelo Departamento de Educação e Cultura do Exército, bem como de orientações voltadas para a prevenção e o combate ao coronavírus no seio da família militar.
Além disso, foram elaborados planos para nossa participação em operação conjunta coordenada pelo Ministério da Defesa.
Também criamos uma página especial no Portal do Exército para disponibilizar ao nosso público o máximo de informações.
Agora, depois de todas essas medidas iniciais, julgamos que é o momento oportuno para lhes dirigir esta mensagem de estímulo e confiança.
Uma de nossas responsabilidades para com a Nação, particularmente neste momento de crise, é de que a nossa tropa deve manter a capacidade operacional para enfrentar esse desafio e poder fazer a diferença. Talvez seja a missão mais importante da nossa geração.
Assim, estamos implementando medidas para salvaguardar a saúde e a higidez de todos nós… Soldados!
Da mesma forma, os estabelecimentos de ensino adotaram cuidados especiais com o intuito de proteger seus instrutores e alunos.
É importante lembrar que, neste momento, os integrantes do sistema de saúde são os nossos combatentes da linha de frente.
Diuturnamente, esses profissionais estão dando exemplos de coragem e comprometimento na luta contra os efeitos indesejáveis dessa doença.
Toda a Família Verde-Oliva deve seguir as orientações oficiais dos órgãos governamentais e do Sistema de Saúde do Exército.
Nossa Reserva Pró-Ativa, nossos pensionistas e familiares fazem parte dessa mobilização. Estamos e estaremos sempre juntos, apoiando nossos guerreiros.
Contamos com a ajuda de todos, porque o momento exige união, organização e especial cuidado com a própria saúde e a dos que nos cercam para que possamos superar mais esse desafio que a história do nosso País nos apresenta.
O Braço Forte atuará se for necessário, e a Mão Amiga estará mais estendida do que nunca aos nossos irmãos brasileiros.
A todos a certeza de que, parafraseando a nossa canção, se a nossa Pátria amada está sendo ameaçada: LUTAREMOS SEM TEMOR!”

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

O comandante de um grande exército, nunca fica sozinho e não pode falar, sem que ecoe e reverbere à sua volta o que sentem seus pares.
Manifestar-se à tropa, mantém o espírito da mesma, coeso, por isso, ouvimos ecoar a voz do General Fernando Azevedo e Silva, que responde pela cadeira de Ministro de Estado da Defesa, em 31/03/2020, com força total, na “Ordem do Dia”.
A alusão ao 31/03/1964, nos força a pensar seriamente no que representa e representou essa data.

“O Movimento de 1964 é um marco para a democracia brasileira. O Brasil reagiu com determinação às ameaças que se formavam àquela época.

O entendimento de fatos históricos apenas faz sentido quando apreciados no contexto em que se encontram inseridos. O início do século XX foi marcado por duas guerras mundiais em consequência dos desequilíbrios de poder na Europa. Ao mesmo tempo, ideologias totalitárias em ambos os extremos do espectro ideológico ameaçavam as liberdades e as democracias. O nazifascismo foi vencido na Segunda Guerra Mundial com a participação do Brasil nos campos de batalha da Europa e do Atlântico. Mas, enquanto a humanidade tratava os traumas do pós-guerra, outras ameaças buscavam espaços para, novamente, impor regimes totalitários.

Naquele período convulsionado, o ambiente da Guerra Fria penetrava no Brasil. Ingredientes utópicos embalavam sonhos com promessas de igualdades fáceis e liberdades mágicas, engodos que atraíam até os bem-intencionados. As instituições se moveram para sustentar a democracia, diante das pressões de grupos que lutavam pelo poder. As instabilidades e os conflitos recrudesciam e se disseminavam sem controle.

A sociedade brasileira, os empresários e a imprensa entenderam as ameaças daquele momento, se aliaram e reagiram. As Forças Armadas assumiram a responsabilidade de conter aquela escalada, com todos os desgastes previsíveis.

Aquele foi um período em que o Brasil estava pronto para transformar em prosperidade o seu potencial de riquezas. Faltava a inspiração e um sentido de futuro. Esse caminho foi indicado. Os brasileiros escolheram. Entregaram-se à construção do seu País e passaram a aproveitar as oportunidades que eles mesmos criavam. O Brasil cresceu até alcançar a posição de oitava economia do mundo.

A Lei da Anistia de 1979 permitiu um pacto de pacificação. Um acordo político e social que determinou os rumos que ainda são seguidos, enriquecidos com os aprendizados daqueles tempos difíceis.

O Brasil evoluiu, tornou-se mais complexo, mais diversificado e com outros desafios. As instituições foram regeneradas e fortalecidas e assim estabeleceram limites apropriados à prática da democracia. A convergência foi adotada como método para construir a convivência coletiva civilizada.

Hoje, os brasileiros vivem o pleno exercício da liberdade e podem continuar a fazer suas escolhas.

As Forças Armadas acompanharam essas mudanças. A Marinha, o Exército e a Aeronáutica, como instituições nacionais permanentes e regulares, continuam a cumprir sua missão constitucional e estão submetidas ao regramento democrático com o propósito de manter a paz e a estabilidade.

Os países que cederam às promessas de sonhos utópicos ainda lutam para recuperar a liberdade, a prosperidade, as desigualdades e a civilidade que rege as nações livres.

O Movimento de 1964 é um marco para a democracia brasileira. Muito mais pelo que evitou.”

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

Querem alguns dar a entender que o ilustre General Walter Souza Braga Netto, não teria assumido o cargo de Ministro Chefe da Casa Civil, senão que também teria sido costurado um esquema onde este General estaria assumindo o comando do governo Bolsonaro.

Quero lembrar a todos, que isso não seria necessário, posto que Bolsonaro é um soldado e como tal, tem muito respeito aos seus comandados, que um dia foram seus líderes.

Portanto, ficar colocando alcunhas díspares do que efetivamente o cargo representa, não enaltece o ocupante do cargo, ao contrário disso, dá margem a que a imprensa relaxada e fraudulenta, faça o que achar necessário, para mais e mais perseguir ao nosso bravo Presidente, que foi legitimamente eleito, Jair Messias Bolsonaro.

É importante que entendamos, que sim, este não é um governo de um homem só, mas que se trata de um governo pensado pelos homens mais brilhantes que já conheci.
Podemos dizer, sem chance de errar, que este governo sim é composto por “Notáveis”.
Os homens que estão ao lado de Bolsonaro, são de fato brilhantes, e todos, mesmo os que não são, têm o espírito de corpo, capazes de trocar honras pessoais, pela satisfação de saber que a equipe está coesa e que vai muito bem, obrigado.
Não vejo o sentimento de inveja em qualquer deles, e Jair Bolsonaro, ao contrário do que muitos pensam, é um homem extraordinário, que também não está preocupado em posar de herói, seja em que situação for.

Ousam dizer alguns que Braga Neto, teria assumido o comando do governo Bolsonaro, justamente porque teria assumido um cargo que muitos aludem ser o “Estado-Maior do Planalto”.

Eu ficaria muito feliz se assim fosse, mas não precisamos enfeitar o pavão. O pavão é bonito, ainda que sem enfeites.
Trata-se da equipe mais profissional e coesa que o Brasil tem visto nos últimos 33 anos, por isso, sei que é desnecessário o alarde, e que esse alarde, ao contrário de ajudar, projetará obstáculos cada vez maiores, e que podem mais atrapalhar que ajudar.

Braga Netto não perde o estilo, até porque essa é a marca que o levou ao generalato, portanto, qualquer cargo que ele ocupe, o fará com a característica de um homem da caserna.

Curiosamente e não por acaso, ele passa do interventor, cargo que teve que desempenhar no Rio de Janeiro, para o ministro chefe da Casa Civil, e num momento de tão grave crise que o Brasil passou a viver de uma hora para outra.
Lembremo-nos que a situação que o Brasil se encontra, só acha paralelo a um período em que o mundo esteve envolvido na grave pandemia da gripe espanhola.
Eu diria que um verdadeiro estadista, como é o caso dos inúmeros que passamos a conhecer com Bolsonaro, não precisam sequer de apresentação, pois a postura do mesmo, o evidencia; bem como o caso do homem falto de senso, e caráter ético, que vemos em: (Lula, Dilma, Temer, FHC, Ciro Gomes, Dória, Witzel, Maia, Alcolumbre, Dias Toffoli, Gilmar Mendes, etc…)

Nem preciso dizer, que o tamanho do cargo fica evidenciado pela postura e atitudes tomadas pelo ocupante do mesmo, basta ver as diferenças entre: Bolsonaro e o apedeuta; ou mesmo, entre Paulo Guedes e Palloci.
Portanto observar Braga Neto, nos deixa a certeza que o Brasil desde 1985 não mais teve qualquer homem à altura desse cargo, pois uma das figuras, que esteve nesse cargo foi o José Dirceu, homem sem caráter e sem qualquer conceito ético, capaz de dignificar qualquer cargo.

Existe o fato de que Braga Netto, a ocupar esse cargo que hoje ocupa, teria sido objeto de “complexa construção” estratégica.
Naturalmente que sim, e muito estranho que não fosse, uma vez que se trata de um governo, este sim, composto por “NOTÁVEIS”.

Bem, apenas encerrando a história, naturalmente que, se temos o desconforto de uma esquerda doente e senil que não sabe perder e que quer a qualquer custo a retomada do poder, ter homens como esses a postos, nos deixa de fato, plenos de satisfação, pois temos a certeza de que a onça está saindo para saciar a sua sede, e a cobra, segue atrás disposta a fumar.
Coitado daquele que se atreva a cruzar o caminho dessas figuras tão emblemáticas.

Essa, é a missão de: General Walter Souza Braga Netto, Sérgio Moro, General Fernando Azevedo e Silva, Ernesto Araújo, Paulo Guedes, Rogério Marinho, Tereza Cristina, Abraham Weintraub, Ônyx Lorenzoni, Luiz Henrique Mandetta, Almirante Bento Costa Lima, Tenente-coronel Marcos Pontes, Ricardo Salles, Marcelo Álvaro Antônio, Tarcísio Gomes de Freitas, Wagner Rosário, Dâmares Alves, Jorge Oliveira, Luiz Eduardo Ramos, General Augusto Heleno, André Luiz de Almeida, Roberto Campos Neto, que sob a batuta do General Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, e do Presidente da República Jair Messias Bolsonaro, estão incumbidos de reconduzir esta nação para os trilhos da Ordem e Progresso.

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 02042020 – Lutaremos sem Temor – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.