Ilegalidades nas Altas Câmaras

Então… nós vimos uma situação bastante esdrúxula acontecendo no Senado Federal.
O mais interessante foi a cara de pau do presidente da mesa, quando falou ao senador Oriovisto, que tentava costurar um entendimento em cima de uma ilegalidade.
Sinceramente deu pena ver um homem daquela idade, tendo que ser chacoalhado, como foi pelo senador Oriovisto e daquela forma, mas deu raiva também, porque aquele homem, deveria ter saído preso do Senado por ter tentado ludibriar o povo como um todo.

A história é que havia uma medida provisória que venceria naquele dia 12, e como se isso fosse justificativa para barbaridades, o presidente da mesa, disse que tentava costurar um “entendimento”, com um placar do dia anterior, mas o senador Oriovisto, mostrou que esse tempo de maracutaias, era para quando o senado só tinha borra bostas…

“Na prática senador Oriovisto, nós temos hoje vencendo uma medida provisória importante, e a gente teria que buscar um acordo, para votar essa medida hoje, se houver acordo, evidentemente a gente pode, construir esse acordo, caso contrário…” (senador que presidia a sessão)

“Acho que é uma ilegalidade insuperável, ele (senador Davi Alcolumbre) encerrou a sessão, nós vamos enganar a quem? Uma sessão encerrada é uma sessão encerrada.” (senador Oriovisto Guimarães)

Existiu um tempo em que ao se buscar um emprego, ou uma ocupação, o candidato ao cargo, costumava mostrar a que vinha.
Ou seja, ele mostrava saber com referência aos assuntos que iria tratar, e não somente isso, mas mostrava também lisura, para tratar daqueles assuntos que ele se propunha a tratar, caso fosse aceito naquele cargo ou função, e Oriovisto Guimarães, tem esse verniz, e mostra à nação brasileira, cansada, que ainda é possível encontrar homens e mulheres sérios no seio da sociedade.
E é dessa forma que vem se manifestando Oriovisto, como no caso em que denuncia a barbaridade que seria produzida através da aprovação do aumento do Fundo Eleitoral.
E o olhar astuto do senador paranaense, Oriovisto Guimarães, percebeu a armadilha que estava sendo arquitetada contra os interesses da sociedade, na já tão propalada política do “toma lá, dá cá”, que beneficia apenas uns poucos em detrimento de muitos.
E esse “Fundo Eleitoral”, como muito bem analisado pelo senador, é um dinheiro que terá que ser arranjado de forma a prejudicar mais ainda a sociedade, uma vez que não existindo esses recursos:

“O governo terá que tomar emprestado R$ 1,7 bilhão para financiar o fundo” … “vergonhoso, porque se o governo não tem dinheiro, que não sustente esta máquina política. Isto é uma irresponsabilidade. Vou gritar, vou bater na mesa, para que isto não seja aprovado, embora eu já tenho a certeza que vai passar” (Oriovisto Guimarães)

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

Mas é claro que o sol continua a nascer, a crentes e a descrentes, a sérios e a canalhas.
Tivemos a oportunidade de verificar uma voz no STJ Superior Tribunal de Justiça, na pessoa do ministro Napoleão Nunes Maia Filho que ao conceder “Habeas Corpus”, que fosse facilitador da soltura do ex-governador do Estado da Paraíba Ricardo Coutinho, a mim me parecia uma voz temerosa, de alguém que sabe mais do que pretende fazer crer aos seus interlocutores.

“A convicção do juiz não pode – e mesmo nem deve – se estribar em suposições ou alvitres subjetivos e outras imagens fugidias, que se caracterizam pela imprecisão e pelo aspecto puramente possibilístico” …
“A constrição de que se cuida tem a sua origem em delação premiada, ou seja, na fala de um delator, cuja voz há de estar orientada – e isso é da natureza das coisas – pelo interesse de pôr-se em condição de receber benefício pelo ato delacional. Não se deve descartar esse meio de prova – que não é prova, contudo – mas também não se deve atribuir-lhe a força de uma verdade.” (Napoleão Nunes Maia Filho)

E observa-se em outro vídeo onde se faz uma avaliação em nome da “Coligação a Vontade do Povo X Ricardo Vieira Coutinho e Outros” o seguinte pronunciamento e ao que parece do mesmo ministro do STJ Napoleão Nunes Maia Filho:

“Um programa elaborado, pode ter falhas nesse programa, claro que pode, mas não tem desonestidade nisso, não tem gratuidade, professor Barroso. Não existe, não foi identificado nessa conduta do governador, algo que se possa dizer que é ímprobo, que é ilícito que é criminoso, que é abusivo. … Isso é um programa de governo, que vem desde 2004, seguramente, desde o tempo do Ronaldo Cunha Lima, que é o pai do Cassio, que foi governador também. A dinastia Cunha Lima para a Paraíba, dinastia importante.
Pois bem, presidente eu não encontrei em sã consciência, razão alguma, para identificar na emissão dessas medidas provisórias, a nota de gratuidade.”

Percebe-se a manobra de que, caso Cassio tente argumentar contra, tal decisão, o Napoleão, já o colocou em situação de não poder falar nada, por ver-se arrolado aos autos, ainda que não queira e não tenha nada a ver com este processo.

Pois bem, Ricardo Coutinho foi preso, mas, apesar da acusação de liderar uma rede de desvios nas áreas da saúde e da educação no estado que ele governou, ele foi solto à noite.

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

Bem, como falo de injustiça, observamos que um ser conhecido pelo codinome de Paulo Preto, está no aguardo de seu presente de natal. Esse presente lhe será dado com toda a certeza.
O resto do País e seus cidadãos que aguardem, mas o engenheiro Paulo Vieira de Souza, preso a dez meses no Paraná, tem grandes possibilidades de vir a ser solto ainda durante o recesso do judiciário, ou seja, ainda antes do natal.
E isso pelo fato de que, sua defesa já entrou com o pedido para a sua liberdade provisória, e esse pedido deverá ser visto por Ali Mazloum, e trata-se de um juiz, que vem dando laudos decisórios contra a Lava Jato no estado de São Paulo.

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

Mas, apesar de negros ares que nos circundam, temos pela frente a fundação do partido “Aliança pelo Brasil”.
Eu estou apoiando e creio, muita gente no Brasil vai apoiar em gênero, número e grau, e tenho a certeza de que teremos o número de assinaturas que validarão o pedido de registro desse partido que será o divisor de águas na história da política tupiniquim.

-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-x-

E claro, o ditador de meia pataca, porém não menos perigoso e criminoso Evo Morales levou a efeito a contratação do advogado que cuidou do caso de Julian Assange, o fundador do site WikiLeaks, para com isso, tentar ao menos evitar a sua extradição.
Eu, sinceramente fico entristecido, porque vejo a manipulação jurídica, que se faz mundo afora, e em especial no Brasil, para que bandidos fujam dos longos braços da lei.
É uma pena, que ainda haja homens que se preocupam mais com o tinir das moedas, do que com o choro de pessoas inocentes que morreram, morrem, ou estejam de uma forma, ou de outra, sendo sufocadas por criminosos, amparados pelos paladinos defensores dos bandidos pelo mundo.

Houve um momento, este já se perdeu, em que homens, buscavam a defesa de pessoas inocentes que se encontravam sob os tacões de canalhas.

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 221219 – Ilegalidades nas Altas Câmaras – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.