Sim, já estamos em um Governo Militar

O autor do texto que trago é o meu nobre e distinto amigo e irmão, Kennedy Lopes Marques, e como gostei demais do texto, trago-o para que todos nele meditem, além do fato, de que, muito do que ele traduz aqui, é o que sempre falo nas lives que tenho gravado.

“Prezados colegas,
Tentarei mostrar aqui em breves palavras aquilo que poucos ou pouquíssimos, conseguem ver e entender o que está acontecendo com o nosso amado Brasil. Desde quando os militares deixaram a direção de nosso país e o entregaram ao poder civil, alí, foi dado inicio à retomada do processo de comunização e socialização do Brasil a longo prazo, visto que os comunistas sempre estiveram infiltrados no sistema político desde antes da Contra-Revolução de 1964, de lá para cá até os nossos dias, não têm sido diferente.
Os comunistas sempre estiveram presentes, mas escondidos, e disfarçados de tudo aquilo que fosse diferente de comunistas, e assim foi durante todo o período de 1964 até o fim do regime militar em 1985. Aqueles que conseguiram escapar das prisões e exílios, e permaneceram no Brasil, mantiveram-se em silêncio para não serem descobertos. Em 1979, em meio a uma grande comoção nacional encabeçada pela Rede Globo, foi promulgada a Lei da Anistia pelo Presidente General João Figueiredo, que concedia o perdão aos crimes políticos praticados no Brasil pelos comunistas terroristas que estavam presos e exilados e isto é que foi o grande erro dos militares, porque ali estavam os “ovos da serpente” (Zé Dirceu, Dilma Roussef, José Genoino, Leonel Brizola, Fernando Gabeira e outros), é bom lembrar que FHC estava no meio dos que retornaram, não porque havia sido deportado junto com os outros, mas porque ele havia fugido do Brasil, ainda na década de 60, antes do inicio das prisões e deportações. Ao retornarem ao Brasil, junto com os da classe artística (Gilberto Gil, Caetano Veloso, Chico Buarque, Glauber Rocha, e outros), juntaram-se aos partidos de esquerda e aos movimentos sindicais que já estavam bastante atuantes no pais, sendo um de seus principais líderes, Luiz Inácio da Silva, conhecido como Lula, este incorporando o seu apelido “Lula” em seu sobrenome só após a sua posse como presidente do Brasil em 2002, passando a ser seu nome: Luiz Inácio Lula da Silva.

Lembrando que o Lula foi cria de todo um movimento, porque tinham medo que Brizola, entre outros, ao retornar, acabaria por sufocar todo o restante da esquerda que queria a hegemonia. O Lula foi portanto, cria dos movimentos eclesiais de base, com os sindicatos e outros, para neutralizar, especialmente as forças brizolistas que surgiriam.

Bem, após tudo isso, aqueles ovos de serpente que foram plantados no meio político, e passaram a fazer parte do governo do Lula, eclodiram e o resto vocês já sabem, aconteceu exatamente como profetizou o saudoso General Ernesto Geisel:

“Em dez anos, eles roubarão até as prensas da casa da moeda, em vinte, perverterão toda a nossa juventude e em trinta, o povo irá saber o que é, viver no comunismo”.

O primeiro “ovo de serpente” que retornou ao Brasil pela lei da anistia, a assumir um cargo no governo como ministro, foi FHC, e logo em seguida foi eleito presidente, esse comunista Fabiano disfarçado de “social democrata”, foi quem criou, o MST, MTST, alterou o currículo escolar do Ensino primário, Segundo grau e Superior, retirando matérias como: Educação Moral e Cívica, OSPB – Organização Social e Política do Brasil e introduziu a Sociologia e Filosofia, ambas com o viés totalmente esquerdista-marxista, acabou com o Ministério da Marinha, com o Ministério da Aeronáutica, com o Ministério do Exército e criou o Ministério da Defesa, colocando um civil como ministro, iniciando assim o processo de sucateamento e desvalorização de nossas Forças Armadas através do achatamento nos soldos dos militares e nos orçamentos para os programas de atualização, reciclagem e fortalecimento de nossas FFAA.
FHC, criou também o STF, que não existia e na Constituição de 1988 que é de viés comunista, (vejam; nossa Constituição de 1988, não é comunista, ela é de tendência comunista) criou a blindagem para os bandidos do congresso; o “Foro Privilegiado” e ao mesmo tempo engessou as Forças Armadas deixando-as reféns dessa Constituição e implementou a reeleição para presidente, coisa que não existia, nem antes e durante o regime militar no Brasil, e hoje já se tem provas de que ele articulou, manobrou e comprou a maioria dos parlamentares do congresso para aprovarem a reeleição para presidente, governadores e prefeitos.
Foi o FHC, quem preparou o caminho para a comunização do Brasil, a longo prazo, sendo estimado para trinta anos, a sua conclusão, e de lá para cá, todo o aparelhamento do sistema, em todas as áreas e em todo o país. A única área que não foi aparelhada e não sofreu influência, foram nossas Forças Armadas. Elas durante todo esse tempo, sofreram os ataques diretos (Mídias Oficiais, Jornais, TV’s) e indiretos (FHC, Lula, Dilma), mas se mantiveram firmes leais ao Brasil e ao povo brasileiro, honrando seu juramento à Bandeira brasileira.
As tentativas de influenciar, e de aparelhar os homens dos botões dourados, foram muitas, mas todas sem sucesso, porque nossas Forças Armadas, não são comunistas elas têm ódio, de comunistas.
FHC, declarou uma vês que, durante seus dois mandatos, o dia mais feliz da vida dele, foi quando ele passou a faixa presidencial para seu sucessor o Lula, como quem estava dizendo : “Toma, agora é a tua vez”, podem pesquisar, está registrado, FHC disse isto e ainda tem brasileiro que pensa que ele não é comunista. Na minha opinião ele é pior de que Lula, porque ele é um homem letrado, mas é comunista, e Lula foi uma construção dele.
Em meio a tudo isto, nosso Exército não passou ao largo, pelo contrário, sempre esteve de perto, vendo tudo, acompanhando tudo, observando tudo e mais, trabalhando em silêncio para encontrar uma forma de intervir com o objetivo de mudar o sistema e fazer a limpeza total, para que nosso país voltasse a seus dias de glória como foram os dias da década de 70, onde chegou a ser a oitava economia do mundo. Todos sabemos, o que já é bastante notório as diversas declarações dos comandantes e generais, de que os militares são legalistas e não agirão fora da Constituição, isto é patente e muito claro e é exatamente por isto que a Intervenção Militar aos moldes de 1964, ainda não aconteceu, e tem mais, não é só por isto, há também a comunidade internacional, a ONU e o que está acontecendo no cenário externo, com guerras localizadas no Oriente Médio, ameaças de guerra e preparações para a guerra, tudo isto teria um impacto significativo no Brasil, caso houvesse uma Intervenção Militar Direta em nosso país. E é considerando tudo isto que, no meu entender, os militares chegaram à conclusão e resolveram agir de uma forma diferente, de tudo aquilo que os intervencionistas pediram, esperavam e ainda esperam, eles resolveram penetrar no sistema da mesma forma como os comunistas atingiram o poder, ou seja, pelas vias legais, pelo voto direto. Quero deixar claro aqui, que sou Intervencionista, não compareci às urnas, não votei, nem no primeiro e nem no segundo turno, por entender que, as urnas são fraudáveis e fraudadas e não confiar em nosso sistema eleitoral no Brasil. Mas como o nosso amigo Albari sempre diz em suas Lives, e eu assisto todas elas, ele diz: “Gente, os detalhes, olhem os detalhes”… Então, as Forças Armadas, estando nessa situação com “pés e mãos” atados foi a única forma legal de entrar no sistema, minimizando ao máximo os riscos de confrontos e derramamento de sangue e também, sem ninguém, nem de dentro, nem de fora do pais, (ONU, OEA, governos de outros países, Partidos Políticos dentro do País, etc…) pudesse se levantar e dizer que no Brasil houve ou está havendo um Golpe Militar.
A seguir, vou enumerar alguns fatos relevantes que levam a qualquer analista ou cientista político chegar à conclusão de que o Brasil já está sob o comando dos militares. Não se trata de os militares ou as Forças Armadas se envolverem em política, os militares e as FFAA, não são políticos, mas todos os Generais que passaram pelo Alto Comando das FFAA, estão preparados para dirigir e conduzir um país, todos os generais que passam pela Escola de Estado Maior das FFAA, já atingiram o tôpo da preparação para se tornarem Chefes de Estado, Presidentes, Primeiro Ministros etc…
Em 2017, quando o General Mourão pronunciou aquele discurso na Loja Maçônica em Brasília, que posteriormente vazou ao público, pelas as redes sociais, causando todo aquele alvoroço no meio esquerdista, nos políticos do congresso e nas mídias jornalísticas, a Intervenção Militar já havia começado anos antes, e estava em andamento, ela não começou alí, o que começou alí, foi o despertamento da luta patriótica no Brasil de todos os Intervencionistas que a anos já estavam na luta pela Intervenção Militar. Ou quem não lembra das faixas de Intervenção Militar nas passeatas de 2016 pedindo o Impeachment da Dilma? Foi o General Mourão que promoveu o despertamento nos Intervencionistas que ali começaram a avistar uma Luz no fim do túnel. Dentre as palavras que o General Mourão disse, foi que, se as autoridades e o sistema de justiça não retirassem da vida pública, todos os políticos corruptos, punindo-os por todos os ilícitos cometidos, “Nós teremos que Impor isto”. Lembram?
Pois bem, agora eu quero atentar para o que ele não disse, mas que ficou subentendido, ele não disse como iriam fazer isto. Ou disse?
Alguém sabe dizer se ele, lá nesse pronunciamento, ele disse como eles (as FFAA) iriam fazer isto?
Não! Ele não disse como iriam fazer isto. Entretanto para mim, ficou bem claro, naquele momento desse pronunciamento, que ele não estava blefando, ele estava falando sério, e eu tive a certeza que eles iriam fazer exatamente como ele disse. Como? Como eu não sabia, só tinha certeza de que eles fariam. Quando? Também eu não sabia exatamente quando, mas hoje, eu já sei, e posso ver exatamente pelos detalhes e pelos resultados de tudo o que aconteceu no Brasil desde lá em meados de Setembro de 2017 até hoje, e posso afirmar, que nós já estamos em um Governo Militar.
Nos diversos encontros e reuniões que o General Villas Boas teve com os senadores e políticos do congresso nacional que foram gravados e transmitidos em diversas redes de jornais e TV’s, ele disse exatamente assim: “O problema do Brasil muito mais profundo do que qualquer pessoa possa imaginar”. Por aí, nós podemos ver a quão baixo nível, nosso país foi lançado nos últimos 30 anos, atingimos o fundo do poço.
Vamos agora citar alguns fatos importantes que ocorreram no Brasil desde o final de 2017 até hoje.
Após o pronunciamento do General Mourão, ele não foi repreendido nem punido como todos os esquerdistas queriam, e todas as Mídias Jornalísticas esperavam, pelo contrário o General Vilas Boas, indiretamente reforçou o que Mourão falou quando deu aquela entrevista para o Pedro Bial, que ficou se remoendo por dentro, Villas Boas deixou claro ali que o “problema” já estava resolvido, e como Mourão iria para reserva só em março de 2018, ele mesmo resolveu antecipar e entrou com seu pedido, antes do final de 2017.
No inicio de 2018, ano de eleições presidenciais, o Presidente Michel Temer decreta Intervenção Federal no Estado do Rio de Janeiro tendo seu encerramento previsto para 31/12/2018. Aí todo o Brasil, junto com as mídias oficiais, começam a especular que se tratava de uma jogada política de Temer apenas para ganhar prestígio, tendo em vista que naquele momento ele era um possível pré-candidato à reeleição, porém na minha visão essa manobra não teve origem com Temer, mas foi uma estratégia dos militares que já estavam agindo nas sombras, para o bem de nosso país evidentemente, ou seja, 2018, votações importantes de reformas, sendo a principal delas a da Previdência, o que poderia ocasionar em um desastre, os militares então forçam Michel Temer a decretar Intervenção Federal no RJ, para garantir que a votação da Previdência não ocorresse em 2018 e fosse deixada para ser votada no próximo governo, além de deixar Temer sem poder assinar nenhum PL prejudicial ao Brasil e aos brasileiros.
A Paralisação dos Caminhoneiros. Penso que esse foi o primeiro momento crítico dos fatores de 2018, em que o ponto de ruptura esteve bem perto de se romper, resultando em uma Intervenção Militar direta no Brasil, o que só não aconteceu, por causa da sabedoria e inteligência do General Villas Boas, que conseguiu segurar as Onças dentro das casernas, pois naquele momento grande números de generais já não estavam mais suportando, vendo o rumo que as coisas estavam tomando e já estavam decididos e determinados a entrar com o pé na porta. Essa paralisação no Brasil, durou exatamente dez dias e a paralisação dos caminhoneiros que ocorreu no Chile em 1973, durou 26 dias e resultou no Golpe Militar Direto em que foi deposto o presidente socialista Salvador Allende pelo General Augusto Pinochet. Acredito que, se a paralisação dos caminhoneiros se mantivesse por mais uma semana ou um pouco mais, dez dias, a Intervenção teria acontecido.
Em seguida foi a prisão de Lula, ele já havia sido julgado e condenado, mas sua prisão ainda não havia sido pedida.
Sendo decretada sua prisão, todas as articulações no judiciário para uma possível “não prisão”, foram sufocadas. Lembram dos tuites do General Villas Boas nas redes sociais? Aquilo ali, não foi nada mais do que uma cutucada no STF com a ponta da baioneta e o Lula foi preso e está preso até hoje.
Concessão do Habeas Corpus em favor de José Dirceu, que resultou em sua soltura, depois de ter sido julgado e condenado a mais de 30 anos, não teve interferência dos militares, mas a liberdade de Dirceu, foi um fator relevante que poderia sim ter sido impedida pelos militares, mas que não o fizeram.
Depois, veio a primeira tentativa direta de soltar Lula em um contexto totalmente adverso por meio de um Juiz plantonista, o que não deu certo.
Em seguida a questão de Lula ser ou não candidato a Presidência, pois toda a esquerda estava decidida e determinada que Lula sim, seria candidato à presidência, porém, mais uma vez, as FFAA, intervém e Lula é barrado pela Lei da Ficha Limpa, sendo escolhido o poste do Haddad para concorrer à presidência pelo PT.
Em Agosto, quando Dias Toffoli, assume a presidência do STF, ele escolhe um General para ser o seu assessor pessoal, o General Fernando Azevedo e Silva.
Vocês acreditam mesmo, que foi o próprio Dias Toffoli que resolveu escolher por vontade própria um General para ser seu Assessor direto e pessoal?
Gente! Os detalhes! Olhem os detalhes, é claro que não foi ele que escolheu um General para ser seu “conselheiro”. Foram os militares que colocaram esse General lá dentro do STF. Vocês conseguem ver aí, a intervenção militar dentro do Judiciário?
No dia 06 de Setembro, acontece o atentado, que quase tira a vida do candidato à presidência, Jair Messias Bolsonaro, e imediatamente o Alto Comando das FFAA, entram em reunião extraordinária para tratar sobre o referido assunto, tendo todo o país sido informado sobre esta reunião, por todos os meios de comunicação. Esse foi o segundo momento crítico de 2018, em que outra vez, o ponto de ruptura esteve bem próximo de arrebentar e acontecer a Intervenção Militar direta no Brasil o que na minha opinião, se Bolsonaro não tivesse sobrevivido, a Intervenção aconteceria.
Após isso, temos as eleições de Outubro, e elas ocorrem de uma forma como que conturbadas tanto no primeiro quanto no segundo turno e como já declarei no início desse artigo, não fui às urnas e não votei, não pelos candidatos, mas por não confiar nas urnas nem acreditar no sistema, entretanto elas ocorreram, com todos os percalços e o resultado foi, que, Bolsonaro ganhou, indo para o segundo turno com Haddad, que foi o segundo lugar e no segundo turno, Bolsonaro ganha e é declarado oficialmente o presidente eleito.
Na minha visão, o que aconteceu foi o seguinte: Bolsonaro ganhou, logo no primeiro turno com mais de 65% dos votos válidos, mas as urnas foram manipuladas para ele não ganhar com mais de 51% dos votos e levaram para o segundo turno, junto com o segundo colocado, Haddad. O próprio Bolsonaro estava ciente de que isso poderia acontecer, lembram das declarações dele quando estava no leito do Hospital? Bem, aí alguns podem perguntar: E o Exército, não estava vendo isto? Porquê não fizeram nada? Eles não fizeram nada porque entenderam, que ainda não era a hora de faze-lo, e resolveram esperar até, o segundo turno, para ver quem as urnas iriam escolher como presidente e foi exatamente aí que os militares mais uma vez intervieram no STF, deixando bem claro que, se o resultado das urnas fosse diferente daquele que as ruas estavam indicando, eles iriam intervir. Foi então que o STF finalmente entendeu o recado dos militares e puderam sentir de pertinho o Bafo da Onça e a sua respiração nos seus cangotes, e então resolveram não “tocar” nas urnas e deixaram que elas mostrassem o verdadeiro resultado dos eleitores que votaram no segundo turno.
Tudo já estava articulado e planejado para Haddad ganhar no segundo turno com uma diferença mínima de menos de 5% igual como foi na eleição de Dilma em 2014, que ganhou com diferença de 3,28% em cima de Aécio Neves. O que é mais interessante disso tudo, é que Bolsonaro sabia disso e já estava preparado para aceitar a derrota, ele não esperava a vitória e não estava preparado, a evidência disso é que ele e sua esposa tiveram que se preparar às pressas, para o pronunciamento oficial em rede nacional já como presidente eleito.
Passadas as eleições, já com o presidente eleito reconhecido oficialmente, inicia-se o processo de transição da nova equipe do futuro governo com as indicações para os diversos cargos estratégicos dos primeiro e segundo escalões, como são tantos nomes, não irei entrar em maiores detalhes, mas apenas quero destacar o expressivo número de Militares.
Generais, Brigadeiros e Almirantes na composição do novo governo. Vocês acreditam mesmo que todos esses nomes e indicações de Militares, foi escolha e indicação somente do Presidente Bolsonaro?
Pessoal! Os detalhes! Olhem os detalhes repito, como diz sempre nosso colega Albari; observem os detalhes. Tudo isso que estou expondo nesse artigo é o resultado de minhas conclusões, a partir de tudo que tenho observado e acompanhado, dos acontecimentos nas mídias sociais e oficiais. Não tenho informações de ninguém ligado ao governo ou às FFAA, não conheço pessoalmente nenhum militar, político ou alto funcionário público ligado a eles.
Evidentemente que, durante todo ano de 2018, ocorreram muito mais outros fatos que não mencionei aqui, por não considerar relevantes como os que relatei e também por não lembrar de todos.
Entretanto, as duas últimas ocorrências de 2018, que confirmam tudo o que tenho relatado até aqui foram:
Primeiro: A tentativa do Ministro Marco Aurélio de conceder liberdade a todos os presos que tiveram a condenação confirmada pela segunda instância da Justiça, determinando a soltura destes, também sendo Lula beneficiado diretamente, em uma manobra sórdida e inesperada pegando a todos de surpresa e praticamente sem chances de reversão. Um tremendo golpe-baixo, desferido por aquele Boca-de-Ovo do Marco Aurélio, mas que não deu certo, e imediatamente mais uma vez o Alto Comando das FFAA entra em reunião extraordinária por meio de vídeo conferência a através do emissário do Exército junto com o General Ajax, encostam Dias Toffoli contra a parede, para impedir o cumprimento da decisão de Marco Aurélio. Parte do que foi tratado nessa reunião fechada que aconteceu entre o emissário do Exército, General Ajax e Dias Toffoli no STF, foi divulgada por muitos meios de comunicação e mídias alternativas, em que mostrava que se essa decisão de Marco Aurélio fosse adiante o Exército iria intervir no STF e mais uma vez, o Braço Forte e a Mão Amiga do Exército, entraram em ação, e o Ministro Dias Toffoli já como plantonista no STF, derruba a decisão de Marco Aurélio. Conseguem ver aí? O que foi isto que aconteceu se não foi uma intervenção militar dentro do STF?
Segundo: Após essa tentativa de soltarem mais de 160 mil presos em todo o país, que foi sufocada, vem a questão do Indulto de Natal que seria assinada por Michel Temer, através da qual também seriam beneficiados outra grande quantidade de presos com a libertação destes. Em meio a todas as especulações, se Temer iria conceder ou não este indulto, no último dia de 2018, a 31 de Dezembro, Temer não assina esse famigerado Indulto.
Muitos podem não concordar com tudo ou com nada do que eu coloquei aqui, mas de uma coisa tenho certeza, o Brasil, deu um guinada de quase 180 graus, retirando do poder um grupo criminoso da esquerda comunista radical marxista leninista, e por isso, eles não estão conformados e farão de tudo para tentar retornar ao poder e quem os retirou foram nossas FFAA. Não quero dizer com isto que a guerra contra o comunismo está vencida, mas que apenas uma batalha foi vencida aparentemente, pois ainda existem muitos comunistas dentro do Legislativo, Judiciário, outros que permanecem no Executivo e aqueles que se infiltraram pegando carona na onda “Bolsonaro” sendo eleitos, a turma do MBL, outros comunistas fabianos. O que acontecerá daqui para frente é difícil de prever, só através dos acontecimentos é que poderemos ver se estamos vencendo a guerra contra o comunismo ou se ele mudou de tática, mas ainda assim minha conclusão é que Sim! Já estamos sob um governo militar, e dependendo do que virá, os Militares, tomarão tudo, onde teremos, Estado de Sítio, Toque de Recolher, Lei Marcial, Tanques nas Ruas e Corpos no chão.”

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 99820-9599 (TIM)
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 230119 – Sim, já estamos em um Governo Militar – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

#COJAE @elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip #FalaPortaldaRadio #BoicoteaRedeGlobo #conipsi #cojae #dojae #ciepClubedeImprensa #abaixoaRedeGlobo

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.