Sheherazade tupiniquim e suas histórias fantásticas

As coisas estão muito interessantes no Brasil…
De um lado vemos um grupo, que podemos facilmente enquadrar como terroristas, – dado o estilo da ação dos mesmos, e o que acontece à sua volta, quando eles passam – e de outro lado, observamos pessoas que parecem, ao menos, estar empenhados em mudança, mas que não se utilizam das mesmas armas, e artimanhas que esses terroristas se utilizam.
Isso parece muito interessante, até porque, pela lei da guerra, supõe-se que o adversário escolha as armas, sem problema algum, porém, a ala atacada, por questões óbvias, deve responder, sob pena de perder a guerra, jogar à altura do que esteja sendo proposto pelo adversário.

Pois bem, entre idas e vindas, entre fatos e contra-fatos, vemos por estes últimos dias de julho, que houve uma reunião na UFRN Universidade Federal do Rio Grande do Norte, e que na referida reunião, um tal professor Sidarta Ribeiro, diretor da SBPC Sociedade Brasileira de Proteção à Ciência, propôs uma palestra.

Até aí, “no problem”, palestras são comuns, nesses meios acadêmicos. O que pareceu causar estranheza, especialmente aos participantes do referido encontro, foi que, em determinado momento, um grupo de militares (segundo me consta 4 ou 5) adentraram no recinto, e de forma bastante aberta, como convém a uma sociedade democrática (posto que em sociedades democráticas, não se vê motivos, para escândalos, quando em ambientes públicos, como esse, por estar acontecendo dentro de uma Universidade Federal, surjam pessoas de uma ou de outra das Instituições responsáveis pela Ordem e Progresso de nossa nação, manifeste interesse em filmar, até mesmo para análise do que esteja sendo proposto ali.) resolveram filmar a palestra do tal Sidarta.

Parece que isso desagradou a muitos…
Imaginem um grupo de militares, disseram alguns: “invadiram o recinto e filmaram”.
Primeiro: Temos que refazer tal leitura, pois, os militares, não invadiram absolutamente nada. Subentende-se que nossas Forças Armadas, não possam encontrar nenhuma porta ou cofre trancados, nos ambientes públicos.
Nos ambientes privados eu concordo, que possa haver uma ou outra porta que não lhes seja franqueada, mas no que toca ao poder público, uma vez que as Forças Armadas, como o próprio nome diz: “Nossas Forças em Armas”, não vejo como possa em qualquer hipótese, esse fato ter causado tanta inquietação.
Segundo: Que assunto poderia estar sendo tratado, que houvesse a necessidade de esconder, especialmente de nossas Forças Armadas?

Seria o caso talvez de nosso ilustre professor Sidarta estar preocupado em fazer alguma surpresa às nossas virtuosas Forças Armadas?
Não vejo outro motivo que não esse, de Sidarta ter ficado tão incomodado com os militares filmando uma palestra de um homem ligado, direta ou indiretamente ao governo, afinal é diretor do SBPC, além disso, dentro de um prédio público, custeado por verbas públicas, e ainda por cima, gozando da segurança que goza uma instituição pública.

Pois olha minha gente, todos que pensam nesta nação, sabem, ou pelo menos imaginam, que muito antes do que essa claque toda imagina, veremos os militares, todos fardados, já não adentrando em um ambiente de uma Universidade, mas em ambientes, como o STF Supremo Tribunal Federal, o Senado Federal e a Câmara dos Deputados.
E quando eles tomarem essa atitude de simplesmente entrar nestes ambientes, que ora cito, creio que já não será para fotografar e filmar. Penso que ao fotografar e filmar a palestra de Sidarta, não esteja sinalizando para nada mais, nada menos, do que querendo dizer: “Estamos de olho em tudo, e não somente sabemos tudo o que está acontecendo, como temos condições de por um ponto final em tudo.
Mas é claro, que a turminha do recreio: Dias Tóffoli, Gilmar Mendes, Felipe Santa Cruz, Greenwald, Manuela D`Ávila, Jean Wyllys, David Miranda, Alcolumbre, Rodrigo Maia e a caterva que os segue, está pensando que as Forças Armadas, servem apenas para tapar buracos em rodovias, e levar xingamentos e impropérios de pessoas como Olavo de Carvalho e uma meia dúzia de imbecil, que não enxerga o próprio pé.
Devo adverti-los, que homens que conseguem consertar estradas e não desalinhar a farda, são muito capazes de apresentar uma jogada de mestre, quando sequer se lhes percebe a presença em seus ambientes, ou vocês acham que os militares tão somente chegaram à UFRN quando então começaram a fotografar e a filmar, ou quem sabe, já lá estavam havia bastante tempo, a observar todos os pontos da referida reunião, até que resolveram finalmente filmar e gravar, a fim de ver se de fato, Sidarta, gostará de suportar o peso de suas palavras em um confronto direto de homens que respeitam o fio do bigode mais que suas próprias vidas?

A onça está com a sede de um animal perdido no deserto por vários dias, e a cobra está doidinha para mostrar, que histórias como as de Adélio, de Jean Wyllys, de Manuela D`Ávila, de VerdeValdo, já não mais lhe encanta. Ela quer mostrar que já conhece um pouco das histórias das mil e uma noites e que magoado por ter sido traído, agora espera não mais ver-se frente a um novo traidor, por isso, ao amanhecer, extermina a possibilidade da traição.

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 300719 – Sheherazade tupiniquim e suas histórias fantásticas – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.