O desespero transforma o homem, quer ver?

Como se transforma um povo em pessoas desesperadas
– Após 6 meses sem renda, a água batendo na bunda, nada do que tenta dá certo;
– Tudo à tua volta contribui para teu desespero, o alto custo do ensino, o alto custo de vida, as mercadorias escasseando em tua mesa, a falta de perspectiva para a aquisição do que comer, para o dinheiro da passagem do ônibus para o dia seguinte, a luz, a água, o telefone, o aluguel, enfim…
– Em algum momento, de alguma forma, você ainda tinha alguma coisinha que entrava, de repente, nada mais entra; tudo te foi cortado, nenhuma fonte de renda te sobra, nem mesmo os programas sociais, pois, até eles foram cortados.
– Médicos, convênios, dentistas, tudo o que você precisa, está pela hora da morte; para onde correr? Correr para onde? não há meio algum, tudo te falta, até mesmo a condição para chegar até o pronto socorro mais próximo, e lá também, não existe atendimento, porque tudo está cortado, não existem leitos, não existem medicamentos, e nem mesmo perspectivas para atendimentos.
– Todas as portas estão fechadas, dezenas de currículos entregues por mês, e em alguns momentos, você extrapolou e entregou até mais de um currículo ao mesmo tempo e ainda assim, nada surte efeito.

Dessa forma, ou, como descrito acima, consegue-se os trabalhadores ideais – Aqueles que aceitarão qualquer sacrifício, e por qualquer salário;
– Melhor dizendo, nem em salário se fala, o camarada estará disposto a tudo e por qualquer coisa;
– Porque pensar em negociar, afinal de contas, o que não conta nestas circunstâncias são as condições, afinal de contas trabalha-se em quaisquer condições;
– E porque não longe da sua família? Afinal de contas, tudo o que se necessita é colocar, ainda que seja, apenas um pedaço de pão sobre a mesa para a família;
– Ética? Moral? Caráter? Conceitos? Desde quando se poderá falar em qualquer coisa neste sentido, afinal de contas, o que vale é o que posso levar para casa ao final do dia. Se vamos viver uma semana, amanhã verei o dia de amanhã, agora tenho que ver do de hoje. E é claro que te vendo toda a minha terra, toda a minha propriedade, e por qualquer dinheiro, afinal de contas, você está me fazendo crer que você poderá criar uma fonte de renda nela

E naturalmente nas condições acima descritas, conseguimos então, os cidadãos desorientados
– Imagine que ele terá tempo para pensar em problemas ambientais? Afinal de contas o aluguel é o que ele tem de mais urgente para pagar!
– desde quando poderá pensar em direitos de minorias? O emprego que ele necessita para suprir as necessidades básicas de sua família, fala muito mais alto!
– O que é essa coisa de reforma agrária? Imagina que tenho cabeça para sequer pensar em imaginar o que seja esse bicho, afinal de contas, eu não creio que “reforma agrária” seja algo que seja de comer, e a urgência de meus filhos é ter o que saciar sua fome agora!
– Um dia no passado, creio que até já imaginei o que fossem refugiados? Mas hoje, eu creio que refugiado sou eu, pois não tenho para onde ir, não tenho o que comer, não tenho nada de meu, a não ser as doenças que me exigem, que eu tenha condições de pagar pelos remédios que necessito!
– Bem, meu pensamento mais longo é do alimento de agora, para o alimento da próxima refeição. Ou seja, pensar a longo prazo? Ora, ora, ora, como poderei pensar a longo prazo se tudo o que tenho são problemas, que requerem solução agora!

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (Oi)
(41) 99820-9599 (Tim)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 250818 – O desespero transforma o homem, quer ver? – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

#COJAE

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.