Maduro em seus estertores

Juan Gerardo Guaidó Márquez, trata-se de um engenheiro venezuelano, e que atua como político na qualidade de presidente da Assembleia Nacional da Venezuela desde 01/2019.

Que Maduro sempre foi um usurpador todo mundo sabe. Que as forças ocupantes do poder, representantes do Foro de São Paulo, têm inúmeros meios de fazer com que a manutenção do poder se faça, também, todo mundo sabe. Que os venezuelanos, assim como muitos brasileiros (eu inclusive), queríamos uma Intervenção Militar e que não veio da forma como pretendíamos, isso também é uma coisa mais do que certa.
Entendemos no entanto que alguma coisa tem que haver. Os venezuelanos não estão gostando nem um pouco da possibilidade de o poder passar pelas mãos de Guaidó e daí vir a surgir uma nova eleição.
Eu os entendo, inclusive na última eleição brasileira, não fui às urnas, porque não compactuava com a eleição, e porque eu queria a Intervenção Militar, que para mim, é a única via de possibilidade de mudança para meu País.
No caso do Brasil, inclusive, hoje pelo trote da boiada, percebo que eu poderia estar errado. Talvez amanhã ou depois eu ainda diga que me arrependo de ter crido de alguma forma no governo montado, na minha opinião pelos militares em meu País.
Observem que Bolsonaro, elegeu-se pelo PSL – Partido Social Liberal, alguém acha que eu aceitaria votar em alguém de um partido assim, e com urnas fraudadas?
O Vice do Bolsonaro, o general Mourão, vinculou-se ao PRTB – Partido Renovador Trabalhista Brasileiro. Pois bem, será que preciso explicar minhas dúvidas com relação à política brasileira?
Não creio que esteja na minha capacidade, até pela minha ignorância no que se refere às questões políticas da Venezuela, aceitar, ou deixar de aceitar Guaidó.
Porém, me reservo ao direito de opinar, com base na leitura que faço de tudo o que está acontecendo e do que vejo.

Todo o povo venezuelano está convocado e poderá estar vivendo a mudança.
É claro que não agradará a todos, e é elementar que não será exatamente o que todo mundo quer, mas, pode ser que este seja o passo que o povo venezuelano tenha que vir a suportar.

Guaidó declarou-se presidente de transição da Venezuela, e juntamente com esta declaração, diz comprometer-se a convocar eleições urgentes e imediatas e além disso pôs-se a mobilizar os venezuelanos para que vão para as ruas no dia 23/01/2019 próximo.
A OEA (Organização dos Estados Americanos) que já havia exigido que Maduro renunciasse por bem, declarou o seu apoio nesta sexta 11/01/19 bem como o Brasil, a que Guaidó ocupe o cargo de presidente interino da nação venezuelana.
Como já estava acontecendo o Grupo de Lima já havia declarado seu repúdio ao continuísmo proposto pelo ditador Maduro, onde 13 dos 14 países que o compõem, já haviam assinado uma declaração conjunta em oposição a Maduro. Donde se deduz que o apoio a Guaidó será bastante grande e intenso nas próximas horas.
Guaidó passa a ser visto por boa parte da comunidade internacional, como sendo o homem que deverá guiar o País rumo à sua restauração democrática.
O Ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo, pronunciou-se favorável a essa mudança e além de saudar a atitude de Guaidó, creio que já deve ter algo a oferecer como ajuda humanitária à Venezuela e a seu povo maravilhoso que merece essa, que aparenta, ao menos ser uma mudança nos rumos da condução dessa nação.
Luis Almagro secretário geral da OEA, também se pronunciou, externando apoio através de seu twitter, uma vez que a OEA já havia declarado considerar o governo de Maduro como ilegítimo na quinta dia 10/01/19.
Disse Almagro em seu twitter: “Você tem o nosso apoio, da comunidade internacional e do povo da Venezuela”

“Como todos sabemos, esta Presidência está sendo usurpada. E não basta nos apegarmos aos artigos da Constituição para torná-los realidade. Necessitamos do somatório da força nacional e internacional para conseguir sua plena aplicação” (Guaidó)

Artigo 333 no qual se apega Guaidó, da Constituição de 1999, que foi aprovada no governo de Hugo Chávez e que na eventualidade de alguma coisa sair do controle, todo cidadão seja ele autoridade ou não: “terá o dever de colaborar com o restabelecimento de sua vigência”.

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 110119 – Maduro em seus estertores – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

#COJAE @elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip #FalaPortal #BoicoteaRedeGlobo #conipsi #cojae #dojae #ciepClubedeImprensa #abaixoaRedeGlobo

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.