Figurinha carimbada quer libertar Lula ao arrepio da lei

Rogério Favreto, um dia foi um simples advogadozinho; apareceu, como que tendo brotado no tapete da sala e filiou-se ao PT em 1991.
Tarso Genro na década de 90 brilhava no cenário gaúcho como prefeito da belíssima e infeliz (pelo prefeito que estava tendo) Porto Alegre. E nessa ocasião, o Tarso Genro, resolve presentear o rábula com o cargo de procurador-geral da prefeitura da capital do Rio Grande do Sul.
Mas a trajetória do nobre aprendiz de feiticeiro, vai de vento em popa. Chega o ano de 2005 e Favreto é levado para um gabinete na Casa Civil durante o governo do apedeuta.
Novamente Tarso Genro o convoca em 2007 e ele assume o comando da Secretaria da Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça, ficando aí até o ano de 2010.
Em 2010, como que um ano que traz novidades, Favreto deixa o cargo e também se desfilia do PT.
Mas como o Brasil é a terra da jabuticaba, percebemos que Favreto deixou o cargo e o PT, a fim de descompatibilizar-se e dessa forma estar livre para ocupar o cargo de magistrado a que Dilma Rousseff o eleva. A partir disso, Favreto é agora um dos juízes do Tribunal Regional Federal da 4ª Região.
Por ser justamente o Tribunal da 4ª Região, o revisor das decisões da Justiça Federal em Curitiba, Favreto consegue desmontar tudo o que seja montado e que possa atacar o PT e seus asseclas. E assim vemos por exemplo a figura do “aPaTrinhado”, agradecendo seus “PaTrinhos”, ao votar (voto único), a fim de que fosse aberto um processo disciplinas contra o Dr. Sérgio Moro (acusação = agir por “índole política”). Mas o vemos circular com a mesma desenvoltura, contra tudo o que provenha da pena do Dr. Moro, ou mesmo contra tudo o que seja adotado pela Força-Tarefa da Lava Jato.
Certamente PTralhas e apaniguados, encaram Favreto como um “digníssimo” juiz, até pelo fato de que na figura de um desembargador, o indivíduo não perde uma única chance de demonstrar sua gratidão e apreço a seus “PaTrinhos”, pois ele sabe, que está no cargo não por seus dotes e qualificações, senão por sua lealdade à quadrilha.

E eu não poderia deixar de ressaltar aqui a opinião do nobilíssimo Augusto Nunes, que registrou, na matéria que deu origem a este texto:
““Isso sim é que é juiz!”, certamente murmuram Lula, Dilma e demais admiradores da justiça bolivariana inaugurada na Venezuela. Se o povo brasileiro não tivesse reagido a tempo, se a seita lulopetista continuasse no poder, um desses favretos da vida já estaria reinando no Judiciário como presidente perpétuo do Supremo Tribunal Federal.” (Augusto Nunes – Revista Veja)

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (Oi)
(41) 99820-9599 (Tim)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 220718 – Figurinha carimbada quer libertar Lula ao arrepio da lei – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

#COJAE

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.