Falar do Islam, e suas consequências

A grande maioria das pessoas que se levantam para falar o que pensam do islam e de outros movimentos sectários, não têm a mínima ideia do que acontece com os que se levantam de fato.
Têm uma ideia, digamos, encoberta por um véu. Porque, com aparência de coisa boa, onde boas pessoas estão envolvidas, a grande maioria pensa de fato, que nada de mal pode acontecer ao denunciar o que se vê de errado. Afinal de contas, se estou vendo o erro, porque não o posso denunciar?
Pois muito bem, inúmeras vezes podemos presenciar em nosso dia-a-dia, ainda que de forma subliminar, as consequências a que estão sujeitos os que ousam levantar-se contra o mal que caminha a passos largos para tomar conta do mundo ocidental. “O mundo de Orwell de “1984”, chega finalmente a Londres.”
“Ele sabia no que estava se metendo.”
“Você sabia no que estava se metendo governo britânico.”
“Aqueles que fazem da revolução pacífica impossível, fazem da revolução violenta inevitável.” (John Kennedy)
A Inglaterra perdeu, porque permitiu que suas leis e seu estado, fosse completamente dominado pela cultura e pelo poder que o povo islâmico consegue fazer para transformar um País em um estado totalitário.
A Inglaterra, assim como a maioria dos países que abriram suas fronteiras, ainda não entenderam o que isso significará para suas próximas gerações.
Algo similar aconteceu, quando Hitler, em seu delírio totalitário resolveu por fim à vida de milhões de pessoas, alegando que se buscava a raça ariana. Hoje se percebe que essa mesma neura continua crescendo e tomando forma, apenas que neste momento, sob a máscara da imigração de um povo que supostamente busca um lugar melhor para viver. Porém, esse mesmo povo que busca um paraíso, porque em sua terra, entre os seus irmãos, não conseguem encontrar a paz, busca a transformação da nação que o acolhe, naquele reduto que a pouco abandonou. Se existe lógica nisso, sou sincero ao dizer que desconheço.
Não desconheço por falta de interesse, senão pela falta total de nexo, e de concordância.
Meus queridos irmãos, povos de cultura ocidental, não abram mão de seus valores e de seus direitos e de sua pátria, por conta de falácias de “islamofobia”, “homofobia”, ou quaisquer outros ditames de origem esquerdopata, porque são dementes, que não vivem bem entre si mesmos, e que portanto, não poderiam, jamais, conseguir viver bem em culturas diferentes. São pessoas que em sua maioria induzem as culturas que invadem, transformando-as no caos, porém, que ninguém se engane, em seus países de origem, esses mesmos que hoje eles induzem ao caos, são os primeiros a serem mortos, decapitados e expostos em praças públicas, a fim de servirem de exemplo a quantos o vejam.

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (Oi)
(41) 99820-9599 (Tim)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 060818 – Falar do Islam, e suas consequências – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

#COJAE

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.