Era só o que faltava!

Um grupo de senadores e senadoras franceses divulgou um manifesto, publicado no jornal Le Monde, em que criticam o que eles chamam de “golpe contra Dilma”, feito pelo Congresso brasileiro. A carta dos senadores parece ter sido escrita pela equipe da própria Dilma: fala que retiraram uma “presidente legitimamente eleita por 54 milhões de brasileiros”; afirma que afastaram a petista para colocar em prática “o programa rejeitado nas urnas, a partir da ascensão de um governo exclusivamente composto por homens”; diz que o presidente Michel Temer acabou com programas sociais e implantou um programa de austeridade para “acabar com os programas que durante 13 anos tiraram mais de 40 milhões de pessoas da pobreza”. O texto ainda passa por críticas, óbvias, aos órgãos de comunicação, e cita até a votação do impeachment, com deputados exaltando suas famílias ou o coronel Ustra. Por fim, os parlamentares franceses, além de exigirem que o presidente François Hollande se pronuncie sobre o “golpe”, encerram dizendo que “centenas de milhares de brasileiros estão agora se mobilizando em todo o país para a defesa da democracia, exigindo a saída deste governo ilegítimo e o retorno da presidente eleita democraticamente”. Centenas de milhares nas ruas? Façam-nos o favor. Esses senadores perderam a noção do ridículo. Que se preocupem com seu próprio país e com os problemas que enfrentam, como os frequentes atos terroristas.

Postado por Roberto Jefferson às 12:48 -/blogdojefferson.com/mostranoticia.aspx?codNoticia=27393

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.