Dilma Rousseff política, ou analista política

CLACSO – Primer foro mundial del pensamiento critico

Neste encontro, por conta da 26ª Asamblea General de CLACSO – Consejo Latinoamericano de Ciencias Sociales, realizado na Argentina entre 19 a 23/11/2018 e que contou com a presença de Dilma Vana Rousseff, Manuela Pinto Vieira d’Ávila, Guilherme Castro Boulos, e, Fernando Haddad, aconteceu Primeiro Foro Mundial do Pensamento Crítico.
Isto, nada mais é, que roupa nova em figuras velhas. Ou, podemos dizer um nome novo a um encontro que tudo indica ter sido do Foro de São Paulo.

Uma recepção um bocado estranha, sem muito entusiasmo de nenhum dos lados, chama a atenção a fala de Dilma Vana Rousseff e a eterna cantilena entoada, já desafinada pelo próprio desgaste que ela causa, do “Lula Livre”.

Dilma de sua forma tenta dissertar sobre o que ela pensa ter entendido, acerca do resultado das últimas eleições no Brasil.

“Nós elegemos a maior bancada no Brasil. Nós elegemos, partidariamente, o maior número de governadores. Nós elegemos o maior número de representantes nas Assembleias Legislativas Estaduais.” – (Dilma Vana Rousseff)

E tenta alertar ao hemisfério esquerdopata, o que ela entende ser um perigo. O fato de, em sua opinião, o Brasil estar de joelhos, e submisso aos EUA.

“É um governo, (o governo de Bolsonaro e sua política governamental) ou uma proposta de governo, que não chegou ainda a se consolidar, que se caracteriza do ponto de vista de política externa, por um alinhamento submisso aos Estados Unidos.” – (Dilma Vana Rousseff)

A doença esquerdopata que se manifesta solidificada, no sentido de que, a simples aproximação do Brasil aos EUA, ou a países a ele alinhados, já nos coloca na posição de total submissão e servilismo ao Tio Sam.
Sempre haverá pelo ponto de vista doentio da esquerdopatia, que o alinhamento aos ideais norte americanos, seja uma doença, que deva ser combatida ferozmente, por ser algo destrutivo.
E de toda e qualquer forma, segundo a visão esquerdopata, todos terão que ver esse alinhamento, como fascista e portanto desmerecedor de qualquer crédito.

Importante salientar o que diz o ilustre Emilio Gentile, historiador italiano e especialista na ideologia e cultura do fascismo. Lembrando que ele, além de ter estudado com Renzo De Felice. é considerado um dos mais importantes historiadores da cultura italiana e da ideologia fascista.

“A democracia não está em risco por causa de um fascismo que não existe. Hoje, o perigo é a democracia que se suicida” – (Emilio Gentile)

“O fascismo sempre negou a soberania popular, enquanto o nacionalismo populista de hoje reivindica o sucesso eleitoral. Esse políticos de agora se dizem representantes do povo, pois foram eleitos pela maioria. Isso o fascismo nunca fez” – (Emilio Gentile)

Somente o que foi descrito acima, já destrói qualquer tentativa de transformar a aproximação do Brasil aos EUA, como sendo algo destrutivo ao País. Porém, temos por oportuno lembrar que:

Quando Evo Morales resolveu fazer de conta ser senhor e proprietário daquilo que nos pertencia, ao resolver nacionalizar a unidade refinadora de petróleo com bandeira da PETROBRÁS.
O Brasil naquela ocasião, representado pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva, resolveu ficar quieto e adotou a posição de “Sim Senhor”, dizendo amém ao doravante, proprietário, daquilo que pertencia ao povo Brasileiro, embora estando em terras bolivianas. Muito difícil perceber a submissão?
A seguir temos as situações que envolvem Hugo Chávez, na Venezuela, onde o Brasil, entre outras coisas, paga os custos com o metrô venezuelano. Até onde consta, tudo isso teria sido a título de empréstimos. Porém, ocorre que a Venezuela também resolveu que nada deve. Percebe-se aqui ao menos a submissão?
E Cuba, que por precisar de dinheiro e de investimentos, culmina por amolecer os corações de Lula e Dilma, que entre outras coisas, assinaram um termo, com a contratação de médicos que “supririam” uma necessidade brasileira, através de homens e mulheres cubanos que seriam enviados ao Brasil nesse papel.
Não nos esqueçamos do Porto de Mariel, e outros investimentos com capital brasileiro.
O fato de não haver respeito sequer aos acordos com o Brasil, já não demonstra a submissão do governo brasileiro aos irmãos Castro?

E seguindo na linha da poderosa analista política, ela revela o que entende ser necessário para combater os responsáveis pela derrota imposta ao PT nas últimas eleições.

“E ser capaz de fazer todas as alianças necessárias, com todos os seguimentos. A gente fará aliança, até com o diabo, para combatê-los.
Agora, tem de ter uma espinha dorsal, tem de ter um coração. E o coração é anti-neo-liberal, e anti-autoritário neo-fascista.” – (Dilma Vana Rousseff)

Lembrando que somente pode existir algo ou alguma coisa com poder sobre outra, desde que a primeira, seja superior à segunda, do contrário será sufocada.
Diante disto, e levando em conta que temos um presidente que da mesma forma que Dilma e Lula, foi eleito por uma maioria de votos, então podemos entender perfeitamente a sugestão de uma tomada de poder, por um governo ditatorial.

Seguindo essa linha de pensamento, podemos ver que a esquerdopatia encontra-se quase sem representação alguma no Brasil e na Latino América. O que resta da esquerda?
Juan Evo Morales Ayma na Bolívia; Nicolás Maduro Moros na Venezuela; Raúl Modesto Castro Ruz em Cuba; José Daniel Ortega Saavedra na Nicarágua; Luiz Inácio Lula da Silva no Brasil… Pois bem, ao analisar-se esse quadro e vendo que:
Lula está preso; Raúl Castro está fora do páreo praticamente; Daniel Ortega e os demais não têm um perfil adequado para liderar, sobraria quem?
Dilma, assim como Haddad, estão às portas da cadeia, e portanto, também não têm condição alguma de postar-se como tais.

E além disso, leva-se em conta que o Tribunal Superior da Venezuela, que se encontra exilado, ou seja, está totalmente fora da área territorial da Venezuela, decidiu pela prisão de Nicolás Maduro Moros.
Parece que essa ação, já foi comunicada à INTERPOL, e caso Maduro aventure-se a uma saidinha de final de semana da Venezuela, rumo a algum País que seja contrário ao jugo déspota imposto sobre a Venezuela, este poderá ser preso.

No desenrolar da conversa, vemos Dilma tentando denegrir a imagem e o trabalho do juiz Dr. Sérgio Fernando Moro, alegando que o mesmo teria sido parcial e que portanto, não atinge pré requisitos necessários para que possa assumir o cargo de Ministro da Justiça, ou que estaria sob suspeição, portanto, inapto a exercer qualquer cargo.

“A prisão do presidente Lula, é talvez, a manifestação mais clara do autoritarismo despótico.
Porque? Porque não é trivial e nem banal, que o juiz, que julgou, condenou; o juiz que interditou; o juiz que estava em férias em Portugal resolveu descumprir uma decisão de um tribunal superior a ele.
Esse juiz, que a seis dias da eleição, divulgou uma delação premiada que tinha um ano e meio. Que não tem provas, que o próprio Ministério Público se recusou a aceitar. Esse juiz se transformou no Ministro da Justiça.” – (Dilma Vana Rousseff)

Bem, a ilustre senhora, ignora que, o desembargador Rogério Favreto não poderia de forma alguma ter tomado a atitude que tomou, por não estar na sua alçada aquela atitude, e que o Dr Sérgio Fernando Moro, em férias, ou não, poderia sim, continuar tomando conta dos assuntos que estavam sob sua responsabilidade. Tarefa desincumbida, aliás, a contento, coisa rara de se ver no funcionalismo público dos dias atuais.
E quanto à delação de Antonio Palocci Filho, não precisamos entrar nesse mérito, afinal de contas, tanto a mentira, quanto o mentiroso, pecam, por dar à mentira, valor acima do que lhe cabe.

Percebemos no correr da manifestação de Dilma, nesse congresso, que a esquerda não aceita o uso da internet pela população, ou seja, não aceita, as liberdades individuais. Dessa forma, a esquerda pelas lideranças locais, tentaram censurar YouTubers, páginas de FaceBook e grupos de WhatsApp.

“No Brasil houve impulsionamentos massivos e maciços, porque utilizou WhatsApp em todas as proporções imaginárias, o que permitiu que houvesse uma relação direta do candidato que tinha só 38 segundos de programa de televisão, que não tinha estrutura nacional de partido e que nunca ia a debate.” – (Dilma Vana Rousseff)

Em função disso percebeu-se que não é admissível que uma pessoa possa chegar a ser eleito, nas condições que se apresentaram.
Assim que eles tinham a total e plena certeza, de, segundo as regras do jogo, no Brasil, que qualquer pessoa, em qualquer condição diversa, pudesse vir a ser eleito. Poderia concorrer, mas jamais, poderia ser eleito. Dessa forma, os esquerdopatas, estão, até o presente momento, buscando os culpados pelo sucesso eleitoral de Jair Bolsonaro.

“O que que articularam no Brasil. Grupos religiosos; grupos a favor do armamento; grupos que a gente chamou o pessoal da bala; grupos que quer e que se defende que mate com um tiro na cabeça qualquer assaltante; e que se faça justiça pela próprias mãos; ao mesmo tempo, grupos familiares, grupos profissionais. Todos os grupos.” – (Dilma Vana Rousseff)

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 231118 – Dilma Rousseff política, ou analista política – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

#COJAE @elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip #FalaPortal #MiottoéÓttimo #conipsi #cojae #dojae #ciepClubedeImprensa #bandeiradoBrasilnajanela

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.