De golpe em golpe, a Ditadura do Proletariado é instaurada

Rogério Favreto encontrou uma verdadeira pedra em seu caminho.
Trata-se da guerreira Raquel Dodge, que por sua vez, tem a verve do cumprimento do dever, pela ótica correta do servidor público, e não pelo viés esquerdopata e demente que apresenta o doido varrido.
O doido varrido em questão, tentou no dia 08 de julho de 2018, soltar o apedeuta da prisão em que se encontra na sede da Polícia Federal em Curitiba – Paraná, após trânsito em julgado de processos, onde ele é réu e portanto, julgado e condenado como culpado, não resta alternativa, senão o cumprimento da Lei, ou que, ao arrepio da Lei, seja solto para continuar com as falcatruas que vem cometendo ainda em cana; porque é claro, que Rogério Favreto, fez apenas o que fora mandado fazer, ou seja, soltar o delinquente.

Ultimamente se fala muito que as eleições de outubro de 2018, estarão sendo realizadas ao arrepio da Lei.
Não queridos, não se trata de que as eleições estejam sendo ao arrepio da Lei, porque elas vêm sendo fraudadas a muito tempo.
Portanto, não há mais dúvidas, que tudo não passa de um grande jogo, que começou em 1985, quando da entrega do poder ao povo brasileiro. Aquilo, não passou de um grande circo armado.
As eleições transcorreram, pode-se dizer normalmente, o Tancredo Neves ganhou no “voto”, porém, morto não assume, e dessa forma, o cargo fica vago. Entra em cena o General Leônidas Pires Gonçalves, que à época exercia o cargo de Comandante do III Exército em Porto Alegre – RS. Porém, havia sido designado por Tancredo para o cargo de Ministro do Exército, e justamente foi ele, quem garantiu a posse de seu vice, o meliante José Sarney, ao arrepio da vontade de grande parte do Exército que achava melhor dar posse ao Presidente da Câmara, que naquela ocasião era exercido pelo Ulysses Guimarães.

Não podemos ignorar que a anuência de Ulysses, que mesmo preferido por parte do Exército para que assumisse a presidência, foi preterido a favor de José Sarney, fora motivo de curiosidade por parte de muitos que acharam muito estranho Ulysses ter aceitado pacifica e passivamente.
Ao ser questionado do porque de ter aceitado de forma passiva e pacífica, ele respondeu que, estivera ali juntamente com Sarney um jurista, e que esse jurista, era nada mais e nada menos que o ministro do Exército; dessa forma, caso o Ulysses não houvesse aceitado a tese apresentada pelo jurista, a crise estaria armada.

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (Oi)
(41) 99820-9599 (Tim)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 220718 – De golpe em golpe, a Ditadura do Proletariado é instaurada – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

#COJAE

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.