Artigos

Gabriel Monteiro X Professora Maconheira

À medida que o tempo passa, mais e mais admiro a figura do Gabriel Monteiro, um rapaz que consegue trafegar entre um anonimato humilde, apesar da forma sábia com que aborda os dementes, que se dizendo esquerdistas, conseguem enganar-se a si mesmos.
Pela cara da professora, se percebe uma cabeça vazia, com olhos que se perguntam: “onde estou, quem sou, o que estou fazendo aqui?”
E o Gabriel, implacável, coloca a infeliz a correr dentro de si mesma em busca de algo que nem ela mesma sabe o que é.
Já se perdeu a tanto tempo, que simplesmente, já nem sabe mais o que é que procura.
E infelizmente, ainda tem alguns bandidos, podemos até chamá-los, assassinos, que votam às pressas, o “abuso de autoridade”.
Fôssemos uma nação séria, e essa desqualificada estaria no mínimo demitida, porque, logicamente, como disse o Gabriel, se tem uma coisa para a qual essa mulher não serve é para exemplo de ninguém. Professora?
Imagina, uma perdida, demente, desqualificada, filmada fumando maconha, enquanto, pensa que participa de um protesto que almeja tratar da educação no Brasil. Mas como ela disse, os animais se drogam.
Esquece a pobre infeliz, que os animais, ainda que assim procedam, o fazem, dentro de uma realidade irracional. E naturalmente, que enquanto irracionais, jamais poderiam estar atuando como professores em qualquer lugar, dentro de uma sociedade dita organizada. Brasil acima de tudo e Deus acima de todos!!!
Aço!!! Selva!!!

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 160819 – Gabriel Monteiro X Professora Maconheira – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Vejam a coerência esquerdoPaTa

O José de Abreu, que maravilha, quanta coerência, quanta moral e quanta ética que se percebe que lhe falta.
Ele inicia fazendo uma propaganda a favor do PSDB, porque claro, ele foi um tucano, como ele mesmo se declara durante o vídeo. “Tucano e eleitor do PSDB, um partido do bom senso e da responsabilidade!”
“Você não vê os tucanos atrapalhando o GDF, como fazem outros partidos de oposição, tudo isso é fruto do esforço e do compromisso tucano com o futuro de nossa gente!” Confesso que fica interessante ouvi-lo falar.

Mas em seguida, parece que surge algo das sombras, parece mesmo um frankenstein, pois já começa com uma cara de um personagem diferente, afinal de contas o José de Abreu, por ser ator, pode-se dizer sim, que ele tem algumas caras. Nesta cara ele apresenta alguém defendendo o PMDB.
“O desemprego é um problema mundial, no Brasil, são milhões de pessoas sem emprego. O PMDB tem propostas concretas para gerar novos postos de trabalho, liberar recursos sem burocracia, para a agricultura, pequena e média empresa, e a construção civil.”

E por fim aparece a figura quase mefistofélica, que agora levanta a bandeira do PT, ou seja, agora aderindo à quadrilha PTralha, como uma pessoa com a coerência à flor da pele, tenta continuar enganando, agora pela força da mentira deslavada e consequente, quando diz:
“Sem nunca mudar de lado, sempre junto do povo, sempre ao lado dos mais fracos…”

Fica interessante de fato, porque se percebe que o cara é tão canalha que se acredita de fato, estar fazendo um trabalho em prol de alguém, só não percebe que esse alguém é ele mesmo.
Quando diz sempre ao lado dos mais fracos, percebe-se o total descaramento, pois, PSDB, PMDB e PT, não só os maiores e mais fortes, como também as mais ricas quadrilhas criminosas deste doente Brasil.

Brasil acima de tudo e Deus acima de todos!

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 150819 – Vejam a coerência esquerdoPaTa – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Porque faltam alguns medicamentos?

Um grande balcão em Minas Gerais, repleto de medicamentos, devidamente estocados, para que possam chegar ao vencimento e assim, ou jogar fora, ou colocá-los para a população, a fim de matar a grande maioria da população.
Os medicamentos que muitos precisam para serem salvos, estão devidamente armazenados, mas para isso, não existe STF, e ninguém mais que faça qualquer tipo de controle.

E como nos alerta nossa amiga Bernadete: Que os podres do PT que estão aparecendo dia após dia, minuto após minuto…
E justamente por conta dessa miséria e injustiça, que muitos de nossos amados irmãos e irmãs sofrem, clamam e gritam…
Pena que é um grito sem eco, ou seja a essa é a situação de abandono que vem a público para ser denunciado por este vídeo lá em Minas Gerais.
Mas não pensem que isso acontece somente lá, porque não é verdade, isso está acontecendo no Brasil inteiro, só que nos demais estados, não tem quem denuncie. Brasil acima de tudo e Deus acima de todos…
Aço!!! Selva!!!

Ou como nos lembra a nossa, também querida irmã e amiga Nilta Pinheiro: Que o significado deste imenso depósito de medicamentos, equipamentos, móveis e afins é simplesmente a indústria da morte encomendada para nós, povo brasileiro, o qual deveria ter conhecimento desta barbárie…
E depois de tomar ciência desta situação, será que ficariam inertes, parados, sem fiscalizar esta corja, principalmente, se você já perdeu algum familiar ou amigo pela falta de remédios/materiais?
Quando se tem conhecimento, nos tornamos responsáveis, ou será que é melhor virar as costas por comodidade?
Quando a mosquinha do questionamento morde, não tem mais jeito de ficar parado porque a paz simplesmente desaparece! Falta veicular este vídeo para chegar aos quatro cantos deste País!
Vamos nós também deixar esse legado de denúncia às próximas gerações, no sentido de passar o Brasil a limpo mostrando a verdade em seu único lado! #BrasilacimadetudoDeusacimadetodos
#FalaPortaldaRadio

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 150819 – Porque faltam alguns medicamentos? – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Auditor da Receita Federal X STF

Como vemos este auditor da Receita Federal, resolveu botar a cara a tapa, não creio que tenha sido para aparecer, pelo simples fato de que o que ele fala é algo que vemos e que está sendo assustador.
Ele denuncia, de certa forma, uma ditadura do judiciário que vem mostrando as unhas, à medida que o tempo passa.
Veja-se o caso de Gilmar Mendes que se arvora o titular da ética e da moral, tendo tanta coisa à sua volta.
Barata, Silval, Aécio, enfim, são tantas as coisas que o colocam a nocaute como um ser ético, que torna-se quase impossível alcançar um modelo a ser seguido, quando o próprio STF, está usurpando dos direitos das outras instituições de forma harmônica no Estado Democrático de Direito.
Precisamos apoiar este auditor, assim como, a grande maioria dos demais membros do funcionalismo público. Lembrando sempre a máxima:
Brasil acima de tudo, Deus acima de todos!

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 140819 – Auditor da Receita Federal X STF – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Burburinho: Canalhas salvando o Brasil, isso é possível?

Vamos a um publicação do nosso General Villas Boas, feita em seu twitter:
“Tão logo o Mercosul assinou o tratado com a União Europeia deu-se início a uma enxurrada de acusações contra o Brasil usando argumentos ambientalista indigenista que incluíram publicações em órgãos de imprensa norte-americana. Na verdade trata-se de tentativas de criar barreiras não tarifárias contra nossos produtos. Quando a inteligência brasileira, englobando a imprensa, universidade e partidos políticos, entenderão que essas são as ferramentas empregadas pelo moderno imperialismo? É triste ver a submissão que houve no Brasil durante tanto tempo.”

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

A matéria veiculada pela Revista Sociedade Militar do dia 10/08/19 sob o título: “É MENTIRA DO TOFFOLLI, nenhum general o consultou” diz OFICIAL SUPERIOR

“… até há uma semana tudo que esse cara falava era considerado como mentira… a direita o chamava de o advogado do PT e só porque agora disse que um general o consultou sobre uma GLO ele é o cara mais verdadeiro do planeta… só acredita nisso quem nunca botou os pés em um quartel… Mesmo o oficial general mais bisonho sabe como e quando se processa uma operação de Garantia de Lei e da Ordem… temos até o manual de GLO, de 2014, salvo engano… Parece-me que esse ministro quer se fazer parecer o arauto da legalidade o cara que salvou o Brasil de uma intervenção militar.. O país passou por momentos muito piores há pouco tempo e não se cogitou nada parecido… isso é Mentira do Toffoli, nenhum general o consultou… ou quem mente é a Revista Veja… eles sabem da euforia de grande parte dos brasileiros com essa coisa de intervenção militar… Por que motivo os mesmos que chamam o ministro de corrupto, incapaz, advogado do PT agora resolveram lhe dar credibilidade?”

A fala acima é de um oficial superior do Exército Brasileiro, que contesta veementemente o que se atribui à Dias Toffoli sobre um oficial general ter pedido sua opinião sobre a legalidade de uma operação GLO em caso de caos social. O senador Major Olímpio declarou hoje para um programa de rádio que a fala de Toffoli é “absolutamente fantasiosa… o super Toffoli salvou o Brasil?!“, O senador disse que jamais aconteceram essas coisas.

A Veja diz que: “… um dos generais próximos ao presidente chegou a consultar um ministro do Supremo para saber se estaria correta a sua interpretação da Constituição segundo a qual o Exército, em caso de necessidade, poderia lançar mão das tropas para garantir “a lei e a ordem”. Em outras palavras, o general queria saber se, na hipótese de uma convulsão, teria autonomia para usar os soldados independentemente de autorização presidencial.” e

“… Não é incomum que a autoridade de um presidente da República seja posta em xeque, testada logo no início do governo. E foi o que aconteceu. O presidente Bolsonaro também recorreu às ruas para reafirmar sua autoridade. Isso causou algum tipo de estranhamento. Tive várias conversas com parlamentares e meu foco foi sempre reforçar que o presidente foi legitimamente eleito, tem a respeitabilidade de quem recebeu 57 milhões de votos e seus projetos e programas precisam ser vistos com esse potencial. Foi uma mudança radical de perfil. “

O Militar entrevistado está correto. O Brasil não esteve a beira de um caos social durante os poucos meses em que Bolsonaro está no governo. E mesmo que houvesse esse risco, a legislação é bem clara e não deixa dúvidas sobre as hipóteses em que se convoca uma operação de GLO. Durante uma grande crise no governo DILMA os generais foram consultados sobre uma ação mais incisiva, um estado de emergência, e souberam responder muito bem sobre o assunto. Lembramos ainda que a maior parte daqueles generais que integravam o ALTO COMANDO naquela época anida estão na ativa.

Ao que parece o MINISTRO quer posar de pacificador, salvador da pátria ou algo do tipo ao mesmo tempo em que é irresponsável dizendo para o mundo inteiro que o BRASIL é um país instável, onde golpes podem acontecer contra um governo com 5 meses de duração. Outro absurdo criminoso está em ter lançado dúvidas sobre a lealdade dos oficiais generais mais próximos do presidente Jair Bolsonaro.” (Revista Sociedade Militar)

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

O que gosto muito de lembrar e acho oportuno aproveitar as palavras do próprio Emílio Odebrecht, quando ele diz: “A minha geração deveria ter vergonha pela omissão”.
No caso dele, é claro, ele errou muito mais, porque não só foi omisso, como também conivente e um dos principais executores da sanha criminosa, na grande marcha carnavalesca que vinha sendo entoada com o objetivo de colocar o povo para sambar, o que eles estavam tentando batizar como algo parecido com a “marcha do crioulo doido”.

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

Sérgio Moro nas palavras do próprio Bolsonaro, foi o “Homem que teve a coragem, a galhardia, e a vontade de fazer cumprir a lei, fazer com que as entranhas do poder, fossem colocadas a vista de todos, do passado, e também do presente, uma pessoa a quem devemos em grande parte a situação em que o Brasil se encontra, ao lado da democracia e da liberdade.”

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

lembrando ao povo brasileiro, que estávamos, como um grupo de deslumbrados, sendo governados por uma das maiores organizações criminosas, jamais vista no mundo inteiro.
Tudo acontecia a olhos vistos, porém, camufladas por atitudes sórdidas, atitudes das mais abjetas que se pode imaginar.
Era como se vivêssemos um grande e nojento jogo de poder, asqueroso oriundo de um estado paralelo, conduzindo a sociedade a um grande jogo de compadres, e tudo para dar a credibilidade que as atitudes dessa imensa organização criminosa necessitava para iludir ao povo ignaro, com em um grande show ilusionista. Nós fingimos que governamos, porque vocês acreditam!
A única diferença que os únicos que fingiam, são exatamente os mesmos, que ainda hoje ocupam os altos postos no comando de nossa nação. Leia-se aqui: STF, Câmara e Senado Federal, bem como a grande maioria dos servidores de outras autarquias, que estão envolvidas até o tutano com o Crime Organizado, porque fazem parte sim, da ORCRIM que hoje ainda, domina a nossa Pátria.

Isso é verdadeiro?
Claro, era dessa forma que estávamos sendo mantidos na ignorância. Enquanto projetos de interesse da nação não chegavam sequer a ser apreciados, os interesses da quadrilha e dos apaniguados, eram, como são hoje, os únicos interesses a serem apreciados pelos homens de TOGA.
Por esse motivo, não se tem notícia de assuntos de relevância que tenha sido apreciado com carinho pelos togados. O objetivo deles, é hoje, como sempre foi, manter seus correligionários longe das penalidades da Lei, e se houver necessidade, que a lei seja rasgada, reescrita, mal interpretada, que importa?
O que verdadeiramente importa é manter Gleises, Pimentas, Lulas, Dirceus, Eikes, Marias (não importa quais, desde que não sejam santas), Manoelas, Jandiras, Humbertos, Lindibergs, Crivellas, Eduardos, Dilmas, Aécios, Baratas, enfim, a lista é grande dos “Amigos do Amigo, do Amigo de meu pai”, e todos muito bem protegidos, por seres saídos das fossas, como: Gilmar, Alexandre, Lewandowski, Cármen, Marco Aurélio, e todos sob a batuta de um tal Dias, que mais se identifica como o “Amigo do Amigo de meu pai!”.

Pronto, a canalhocracia, estava, como bem se percebe ainda hoje, muito bem instalada!

O País sangra ainda hoje, porque esse cancro, tomou conta de tudo, infectando todos os pontos vitais, e por isso, agora se faz necessária uma intervenção muito séria.

E por esse motivo, percebemos um grito agonizante de Modesto Carvalhosa, onde ele acusa Gilmar Mendes pelos mesmos termos, com os quais ele tenta acusar a Força Tarefa da Lava Jato e a seus membros.
Carvalhosa do alto de sua indiscutível sapiência jurídica, bem como, do alto de seus 87 anos de uma vida, diga-se de passagem muito bem vivida, classifica a entrevista de Gilmar Mendes publicada pelo Correio Braziliense, como o vomitório de Gilmar, que ofende diretamente o Poder Judiciário.
Creio que dessa forma, os demais membros sérios, do Poder Judiciário, devem estar envergonhados, do que, indiretamente estão sendo colaboracionistas, quer seja por omissão ou por conivência.

A atitude de Gilmar Mendes e dos outros membros do STF et-caterva, sim, porque têm seus tentáculos nas demais cortes, é absolutamente truculenta e na medida de quem sabe que o que está fazendo é somente, porque sabe ter muito a temer.

Nesse caso, o ditado: “quem tem .. tem medo” se realiza e se integraliza totalmente nas atitudes desses vermes que já não escondem o motivo de seus atos.

E faz-se importante lembrar que de fato, justiça não é privilégio dos togados que pensam ser iluminados pelo saber, porém, uma necessidade natural de todo homem que vive em sociedade.

E, apenas para que não se tenha dúvida, o STF, está sendo visto como um papel higiênico sujo e que para nada mais serve, por esse motivo é que por todo lugar por onde se ande, de Norte a Sul e de Leste a Oeste a única verdade que ecoa é a de que o STF não passa de vergonha nacional.
O povo brasileiro está cansado e quanto mais cansado fica, mais lhe sobe a indignação por ouvir, ver e sofrer, por conta das barbaridades praticadas, por quem deveria ser, modelo de virtude e guardião moral e intelectual da linda e maravilhosa nação brasileira.
E Carvalhosa engrossa o tom e relembra ao povo, que o Senado, está de volta de mais um de seus recessos; e, que a partir de agora, não podemos deixar passar, mais esta oportunidade de exigir de Davi Alcolumbre que coloque na pauta a votação de todos os pedidos de impeachment contra Gilmar, Toffoli, Lewandowski, incluindo o de Alexandre de Moraes, que está sendo impetrado pelo próprio Carvalhosa.
O combate à corrupção, tem que ser sem medida, não podemos nos furtar e nos calar.
Os atuais donos do poder, precisam entender, que já não temos mais um só desejo, que não seja o de ver toda essa caterva, sendo tratada como deve; ou seja, que o STM assuma seu papel, e com ele as Penas Capital e Prisão Perpétua, aos canalhas apátridas.
Aos que ainda acham ser possível colocar o povo em currais e tratá-lo como gado, deixamos aqui a lembrança de que o Gigante Acordou, e que já se faz tarde para que a justiça efetivamente seja feita e completa.
Se ainda existe algum homem de bem, na Câmara, no Senado, no STF e nas demais casas, que se manifestem agora, ou calem-se para sempre, porque o momento é de limpeza, e de resgate da honra do povo brasileiro, que a muito tempo vem sendo ofendido pelos miseráveis que pensam ser os donos desta terra tão maculada pela presença deles e da maioria de seus familiares, a maioria, “garantistas da impunidade” – (texto montado com base na matéria do Correio Braziliense)

Lembrando que pelas palavras de Gilmar Mendes, a Força Tarefa da Lava Jato, bem como seus membros, tinham: “Atitude das mais sórdidas, das mais abjetas que se pode imaginar”; tratava-se de um “Estado paralelo”;
de um “Jogo de compadres”;
montado por “Um grupo de deslumbrados”;
ou seja, montaram uma “Organização criminosa”.
E eu digo, não Gilmar, isso tudo que você descreveu, é exatamente, o que você e os seus comparsas, vêm fazendo com a nação brasileira.
Você Gilmar utilizou-se da máxima Gramsciana: “Acuse-os do que você é e do que você faz!”

Sem a menor sombra de dúvida, já o povo brasileiro entendeu, que a esquerda que destruiu o Brasil, e que agora tenta desaforadamente impedir a sua reconstrução, não passa de uma das mais perigosas organizações criminosas, que hoje, está alojada nos porões do poder de nosso País.

Agora apenas a título de ensaio intelectual, imagine, como seria um País, ou, o Brasil com o Sérgio Moro e o Marcelo Bretas, cada um deles, ocupando a cadeira que já lhes pertence, no STF Supremo Tribunal Federal.
Tenho certeza, você já pode antever, que o Brasil, a partir disso, já não mais seria o mesmo que até hoje temos visto.
Mas, para não parar por aí, imagine então, o Deltan Dallagnol, ocupando a cadeira que também já lhe pertence, na PGR Procuradoria Geral da República.
Tenho certeza que já podemos vislumbrar algumas coisas, como por exemplo, a nova legislação tributária, que não busca esfolar o cidadão, mas que respeita o cidadão, por ser quem move a máquina administrativa; nossas cadeias acolhendo os marginais, como eles de fato merecem, porque enfim, o Foro privilegiado já não será mais empecilho; e o comunismo, finalmente sendo tipificado, na nossa legislação como de fato ele é, ou seja, crime.
Todas as quadrilhas criminosas sendo perseguidas de forma implacável, a começar pelas quadrilhas que hoje operam sob a denominação de partidos políticos.
E para completar o quadro, naturalmente, que já antevemos uma nova Constituição Federal, que já não mais terá os vícios, desta que hoje é chamada de “constituição cidadã”, porque prevê direitos, sem a contrapartida dos deveres, e especialmente, que prevê direitos, especialmente a canalhas e vagabundos.
Já não mais teremos um Brasil dividido, mas um Brasil de fato para todos, sem distinção de raça, sexo, cor ou credo. Um Brasil verdadeiramente grande e com a perspectiva da visão de grandes homens, porque se apoiam em ombros de gigantes.

Lembrando que essa será a única forma de termos o nosso Brasil de volta, já que, do jeito que está, é que não pode ficar; porque já não se tem a menor dúvida de que o PT é altamente perigoso. Vejam, que ele conduziu ao descaminho uma verdadeira quadrilha criminosa que é o PCC Primeiro Comando da Capital, quando o forçou a que se aliasse à maior organização criminosa hoje existente no Brasil que é a quadrilha do PT.

Enfim, vamos poder gritar em alto e bom tom: Brasil acima de tudo e Deus acima de todos!

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 110819 – Burburinho: Canalhas salvando o Brasil, isso é possível? – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Galerinha esquerdoPaTa torce contra

Surgiu um papo de uma espécie de conspiração no sentido de derrubada de Bolsonaro do poder.
Eu não poderia dispensar isso como se de fato não houvesse. Na verdade o que posso imaginar disso, seria, até mesmo uma espécie de sondagem das próprias forças aliadas ao governo, no sentido de verificar a quantas andam os interesses do presidente da Suprema Corte em derrubar um presidente legitimamente eleito.

“Entrego o comando do Exército Brasileiro, Exército de Caxias, ao Excelentíssimo Senhor Edson Leal Pujol!

Assumo o comando do Exército Brasileiro, o Exército de Caxias!”
Isto sendo feito na presença da Bandeira brasileira, e só então é que ela se retira.

Trago especialmente, como já trouxe uma vez, mas revendo a importância deste ato da troca de Comando do Exército, onde o General de Exército Eduardo Villas Boas, traz um vibrante Discurso de Despedida, na cidade de Brasília, sede do Governo Federal, no dia 11 de janeiro de 2019.

Vou tentar intercalar este vibrante discurso para que não seja apenas e mais uma vez, a leitura de tão grande documento:
“Excelentíssimo senhor presidente Bolsonaro e senhora Michelle. Festejamos suas presenças, assim como a nação brasileira festeja os sentimentos coletivos que se desencadearam a partir de sua eleição e assunção do cargo. O senhor traz a necessária renovação e a liberação das amarras ideológicas que sequestraram o livre pensar, embotaram o discernimento e induziram a um pensamento único, nefasto como assinala o jornalista americano Walter Lippman, “quando todos pensam da mesma maneira, é porque ninguém está pensando”.

2018 foi um ano rico em acontecimentos desafiadores para as instituições e até mesmo para a identidade nacional. Nele três personalidades se destacaram para que o “Rio da História” voltasse ao seu curso normal. O Brasil muito lhes deve. Refiro-me ao próprio presidente Bolsonaro, que fez com que se liberassem novas energias, um forte entusiasmo e um sentimento patriótico há muito tempo adormecido. Ao ministro Sérgio Moro, protagonista da cruzada contra a corrupção ora em curso e ao general Braga Netto, pela forma exitosa com que conduziu a Intervenção Federal no Rio de Janeiro. Todos demonstraram que nenhum problema no Brasil é insolúvel.

Destaco a presença do ministro Dias Toffoli, que, desde que assumiu a presidência do STF, vem fortalecendo o judiciário, conectando-o com a sociedade brasileira e seus anseios. Aqui se inscrevem também os ministros Luiz Fux, Carmen Lúcia e Alexandre de Moraes, a Procuradora Geral da República Raquel Dodge e a Advogada Geral da União, ministra Grace Mendonça, o ministro do STJ Francisco Cândido de Melo Falcão Neto, o desembargador Thompson Flores, presidente do TRF4 e o Dr. Wilson, consultor jurídico do Exército.

Igualmente o Superior Tribunal Militar e o Ministério Público Militar tiveram atuação determinante para a manutenção da disciplina nas Forças, bem como nos proporcionaram a segurança jurídica indispensável ao nosso êxito nas situações de emprego.

Desde que assumi o comando, tive como uma das principais preocupações a coesão do Exército e a identificação com a sociedade de onde temos origem. Nesse sentido, prestaram grande serviço os companheiros da reserva em todo o Brasil, incluindo-se aí os oficiais R2 representados pelas associações (AORE) e 3C de São Paulo. A todos sou muito agradecido pela aderência as nossas mensagens e diretrizes e pelas manifestações de apoio e confiança que em nenhum segundo me faltaram.

Minha homenagem especial e agradecimento às esposas de soldado, abnegadas mestras na arte de se readaptar a cada nova guarnição e esteio indispensável ao exercício da profissão pelos maridos. São essenciais ao êxito da estratégia da presença em locais remotos e, por vezes, inóspitos, pois o coração do soldado reside onde está sua família. Talvez por sua juventude, muitas vezes não têm noção da grandeza do que realizam. Ali estão tão somente por amor aos esposos, pelo dom de servir e por dedicação ao Brasil.

No mundo moderno, as Forças Armadas incorporaram funções inéditas. Uma delas é a Indução do Desenvolvimento econômico, científico, tecnológico e social. Para essa tarefa tornam-se indispensáveis o esforço e a participação conjunta das indústrias de defesa. Rendo minha homenagem e agradeço aos empresários que, com resiliência, conseguiram superar os percalços decorrentes da incerteza e descontinuidade dos repasses orçamentários que enfrentamos.

Boas vindas aos integrantes da imprensa, que, permanentemente vigilantes, produziram o efeito de induzir o nosso aperfeiçoamento institucional. Nesses quatro anos, convivemos com notáveis jornalistas, formadores de opinião da estatura de William Waack, Alexandre Garcia, Tânia Monteiro, Natuza Nery, Heraldo Pereira, Marco Antônio Villa, Merval Pereira, Pedro Bial, Júlio Mosquera, Thais Oyama, Igor Gielow, Ana Dubuex, Délis Ortiz, Gerson Camaroti, Eliane Cantanhêde, Fernando Gabeira e o empresário João Saad, dentre outros.

Minha jornada, como comandante, começou a partir da indicação da presidente Dilma Roussef e do Ministro Jaques Wagner. A ambos sou reconhecido.

Posteriormente, fomos honrados com a permanência no cargo pelo presidente Temer, que dedicou grande deferência às Forças Armadas e manifestou enorme confiança, evidenciada pela complexidade das missões que nos atribuiu.

No Ministério da Defesa sucederam-se três amigos, Aldo Rebelo, Raul Jungman e general Silva e Luna, que bem souberam nos representar politicamente e pleitear os recursos necessários à manutenção da prontidão das Forças e ao desenvolvimento dos projetos de modernização.

Ao assumir o comando, de imediato busquei inspiração em meus antecessores, generais Leônidas, Tinoco e Zenildo, todos em memória, e os generais Gleuber, Albuquerque e Enzo, cujas presenças agradeço. O momento especial vivido pelo Brasil se deve não somente aos protagonistas contemporâneos como nós, mas também, a ações remotas empreendidas por eles, com determinação, resiliência, firme ação de comando e liderança. Lograram superar sucessivas dificuldades orçamentárias, políticas e ideológicas, mantendo-nos coesos, apegados a nossos valores e identificados com a Nação Brasileira.

Nesses quatro anos fui ainda um espectador privilegiado da ação de comando sobre suas Forças por parte do almirante Eduardo Bacelar Leal Ferreira e pelo brigadeiro Nivaldo Luiz Rossato. Com esses novos velhos amigos, nos identificamos e alcançamos total integração. Quero ressaltar que diante de situações delicadas, que exigiram tomadas de posição, o fizemos com respaldo mútuo. Com ambos e as queridas Cris e Rosa, vivemos momentos inesquecíveis de compartilhada alegria e intensa amizade, que tenho certeza, enfeitará a nossa vida para sempre.

Igualmente desfrutei da camaradagem profissional do Almirantado e do Alto-Comando da Aeronáutica, que em ligação com seus correspondentes do Exército, foram facilitadores da integração das ações de interesses comuns.

No MD, a atuação das Forças foi potencializada pela capacidade de coordenação do almirante Ademir, bem como dos Secretários Gerais, inicialmente o próprio general Silva e Luna e, posteriormente, o brigadeiro Amaral. Deles dependeu o atendimento das necessidades orçamentárias e administrativas das Forças.

Volto ao meu Exército, onde ingressei há 52 anos, precisamente no dia 15 de março de 1967, inspirado em meu pai, artilheiro de boa cepa, e estimulado por minha mãe, verdadeira mulher de soldado.

Desde os 16 anos de idade, vivi abrigado em uma instituição onde o sucesso profissional jamais me exigiu abrir mão dos meus valores. Instituição de gente feliz, realizada e comprometida, em ambientes saudáveis, onde, despreocupadamente, minha família conviveu sob o manto da amizade e da camaradagem.

Trata-se de um Exército sempre presente nos mais remotos rincões, a proporcionar estabilidade, segurança, defesa e ações em prol do desenvolvimento econômico, científico, tecnológico e social.

Um Exército democrático, apartidário e inteiramente dedicado ao serviço da Nação, que desenvolve suas atividades em ambiente respeitoso, humano, fraterno, digno, honesto, disciplinado, responsável e solidário.

Um Exército presente onde for necessário, defendendo a soberania, vigiando as fronteiras, distribuindo água, abrindo estradas, protegendo índios, preservando o meio ambiente, guardando as riquezas, assistindo a população, garantindo a lei e a ordem ou promovendo a paz em nações irmãs.

Um Exército que ensina nas suas escolas, desde muito cedo, a disciplina própria dos homens livres, que estimula a fraternidade, o entusiasmo e a criatividade.

Um Exército em que sob a aura do patriotismo acolhe a todos, igualando oportunidades, independente de raça, credo, naturalidade, alinhamento político, condição econômica ou nível social.

Um Exército que objetiva transformar-se por meio de projetos amplamente apoiados na indústria nacional, na vanguarda da pesquisa e do desenvolvimento, geradores de empregos e de avançadas tecnologias, sobre os quais repousarão suas capacidades operacionais do futuro, as quais, por sua vez, darão consistência à estrutura dissuasória do país.

Um Exército no qual brasileiros de todos os rincões encontram proteção e segurança, razão pela qual o elevam, ao lado da Marinha de Tamandaré e da Força Aérea de Eduardo Gomes, à condição de Instituição com o mais elevado índice de confiabilidade do País.

Um Exército em que espero jamais ter transmitido maus exemplos, porque nunca os recebi.

Um Exército em que apreciei, com muita felicidade, o profissionalismo e o comprometimento dos oficiais e sargentos, cada vez mais ativos protagonistas no preparo e no fortalecimento dos valores da nossa Força.

No universo militar há ainda um componente fundamental, indutor de algumas características importantes de nosso ethos: as bandas de música, Napoleão dizia: “Ponha uma banda na rua e o povo a seguirá para a festa ou para a guerra”. Eu próprio talvez não soubesse ser militar e nem tampouco comandar sem a emulação de nossas canções e dobrados.

Inspirados pelo Gen Etchegoyen, criamos a função de Adjunto de Comando (Sargent Major em outros Exércitos). O êxito dessa iniciativa se deveu ao entusiasmo e ao engajamento dos nossos praças, que entenderam e avançaram no potencial desse novo sistema e, sobretudo, à atuação brilhante, à competência e à proatividade do Ten Crivelatti.

Devo a ele também um consistente assessoramento e o vislumbre de ações que tornaram a existência dos adjuntos de comando irreversível. Na pessoa do Ten Crivelatti agradeço e destaco a atuação de todos os adjuntos de comando, pelo fortalecimento dos laços de liderança e camaradagem nos ambientes onde atuaram.

Minha ação de comando ancorou-se no assessoramento de meus subordinados diretos, o que foi decisivo para os eventuais êxitos. No primeiro escalão estiveram meus Chefes de Estado-Maior: generais Etchegoyen, Fernando e Paulo Humberto, cujo critério de escolha respaldou-se na capacidade profissional, no amor à profissão e na amizade pessoal, atributos que, a bem da verdade, poderiam ser encontrados em todos os integrantes do Alto Comando. Esse colegiado que, emblematicamente, reunia-se em torno de uma távola redonda, onde as espadas unidas, simbolizavam nosso compromisso diante dos valores mais elevados do Exército.

Na mesma linha posicionam-se meus assessores diretos, desde o chefe de gabinete, Gen Tomás, importante contraponto e fator de equilíbrio das ações que empreendemos, extremamente criativo e de enorme perspicácia. Por detrás de nossas iniciativas operacionais, políticas ou estratégicas, encontraremos sempre alguma contribuição desse amigo.

No mesmo nível encontram-se o CIE, chefiado pelos generais Leme e Poty, decisivo para o embasamento de minhas decisões. O CCOMSEx, sob a liderança do Gen Rêgo Barros que preencheu todos os espaços possíveis de comunicação interna e externa, alçando a Comunicação Social do Exército a um elevado patamar na Era Digital e por fim a Secretaria Geral do Exército, com os generais Pereira Gomes, Negraes e Montenegro, infalíveis em suas ações, o Estado Maior Pessoal, chefiado pelos coronéis Ermindo, Guedes, Allão e Nigri e a equipe de segurança, chefiada pelo coronel Gilmar.

O cumprimento de minha missão só foi possível pelo desvelo desses oficiais e praças, que se multiplicaram em atenções e providências criativas com o intuito de mitigar as limitações pessoais decorrentes da minha doença.

Foram determinantes também as equipes de saúde, incluindo fisioterapeutas e fonoaudiólogos, tanto de São Paulo, quanto em Brasília. Em cada área contei com a atenção e a perícia de alguns dos mais renomados médicos do Brasil: Dra Lúcia, diretora do Hospital Sarah Kubitschek, Dr Acary, Dr Benny Schmidt, Dr Antônio Carlos Lopes, Dr Paulo Muzzi, Dr José Bento, Dra. Major Virgínia Satuf e Dr Ângelo Monesi. A todos, meu coração abriga na condição de filhos ou de irmãos, com infinita gratidão.

Cida, a quem de novo me refiro como a minha segunda espada, parafraseando o general Mascarenhas de Morais. Tua presença ao meu lado tornou-me possível viver, prosseguir no comando e aqueceu o coração do Exército. Mais uma vez, me dá a mão para juntos prosseguirmos em novas jornadas.

Quanto a nossos filhos, Tici, Mano e Drika, felizmente, teu DNA é mais forte que o meu. Lindos e que vieram ao mundo para torná-lo um lugar melhor. Talvez eu nunca lhes tenha dito o quanto deles me orgulho, inclusive, pelas famílias que constituíram.

Por fim, nesse momento, embora emocionado, sinto-me extremamente feliz, pela circunstância de estar passando o comando do Exército de Caxias a um profissional que elevará os níveis de desempenho da Força Terrestre, tanto no que diz respeito à parte anímica, quanto na eficiência operacional, ancorado na evolução tecnológica que vigorosamente persegue, bem como na interação com a sociedade, respaldado em sua evidente e renomada capacidade intelectual, na cultura profissional, na sólida liderança estratégica e na vasta experiência.

Amigo Leal Pujol.

Quando você olhar para trás, me verá em forma, imóvel, coberto e alinhado a sua retaguarda, como só os infantes sabem fazer, sob sua liderança, ansioso por contribuir para a grandeza do nosso Exército, desejando, de coração, absoluto êxito em sua gestão e muitas felicidades para você, Regina e sua família.

Que meu último ato como comandante seja um abraço de gratidão em cada integrante do Exército de Caxias. Levo como principal legado a saudade, porque, na minha alma, permanecerá esse vínculo com todos aqueles que comigo ombrearam nesses 52 anos de caserna, eternizado em cada sorriso e continência que me prestaram.

Em meu coração ecoam todos os brados que nos emulam:

Selva! Força! Comandos! Precede! Pantanal! Montanha! Aço! Aviação! Caatinga! Aeromóvel! Planalto! Pátria! Sertão! Zum zaravalho! Brasil acima de tudo! – (General-de-Exército Eduardo Villas Boas – Brasília 11 Janeiro 2019)”

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

“Não se deixem enganar pelos cabelos brancos, pois os canalhas também envelhecem.” (Rui Barbosa)

E como muito bem descrito por Gustl Rosenkranz, blogueiro berlinense:
“Sim, os canalhas envelhecem, assim como os idiotas, os hipócritas, os fofoqueiros, os trapaceiros, os falsos, os bandidos, os perversos, os narcisistas, enfim, todos mesmo.”

A gravação que liga o PT ao PCC é de abril de 2019, uma gravação que foi conseguida por grampo autorizado pela justiça, onde pegam conversas de integrantes do PCC.

“Uma quadrilha sem dinheiro é só um grupinho brincando de irmãos metralha.” – (Bárbara youtuber do canal Te Atualizei)

Gilmar Mendes tiraria Marconi Perilo da cadeia de forma muito rápida e objetiva inclusive pelo mesmo caminho utilizado para soltar o Beto Richa… Muito interessante…

a reação da esquerda após líder do PCC dizer que dialogava com o PT e reclamar da eficiência do Governo Federal na segurança pública.

E a nota do PT acerca desses áudios que estão circulando é que, trata-se tão somente de uma notícia forjada do caso PCC.
Sinceramente eu queria entender o que é que o PCC entende por parceria, porque o PT, de parceria não entende nada. Além de tudo, o PT não costuma ser honesto nem com os coleguinhas da própria quadrilha, imaginem que ele agirá com seriedade e respeito com os membros das demais quadrilhas.
Pois bem, mas de qualquer forma, a quadrilha criminosa do PT, creio que a única no mundo que se manifesta ativamente, através de sites e até mesmo da imprensa, publicou a seguinte nota na mídia, no dia 09/08/19.

“Nota da assessoria do PT sobre notícia forjada do caso PCC

Esta é mais uma armação como tantas outras forjadas contra o PT, e vem no momento em que a Polícia Federal está subordinada a um ministro acuado pela revelação de suas condutas criminosas.”

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

Claro que não poderíamos esperar coisas muito republicanas, ou mesmo honestas de parceiros e amigos dos governos PTralhas, como vem a ser o caso que envolve o governador Flávio Dino do PC do B, que teve a infelicidade de encontrar no aeroporto de Brasília com um cidadão, este sim, honesto e valoroso. Trata-se de um jovem, de nome Gustavo de Carvalho. Pois bem, esse jovem teve a infelicidade de encontrar-se com o Flávio Dino no Aeroporto de Brasília, e o enquadrou, apresentando o Dino ao Brasil e ao mundo, como o pilantra que ele verdadeiramente é.

Bem minha gente, sabe o que acontece, é que, quando alguém enquadra algum desses safados, depois eles criam uma armadilha e grudam o desafeto, fazendo tudo o que eles querem e o que eles pretendem, pois, como eles têm até mesmo parceria com quadrilhas criminosas, então, é óbvio que sabem o modus operandi dos esquemas criminosos.
Assim que foi o que aconteceu, Dino et caterva, seus guarda costas, pegaram o Gustavo e além de baterem no rapaz, ainda roubaram-lhe o celular.

Esse Jovem desmascarou o canalha que hoje está na qualidade de pior governador do Nordeste nos corredores do aeroporto de Brasília, no dia 22/07/19.

Mas é claro que Flávio Dino sempre conseguirá se superar e manter a sua posição de péssimo administrador público, doa a quem doer. E, além disso, as suas qualidades adquiridas ao longo da vida, também vão muito além do simples gestor de má qualidade administrativa que o Brasil poderia conhecer.

Não podemos esquecer, que bandido é bandido e que eles aguardam os momentos para poder saborear a vingança, pois, não admitem que alguém lhes desmascare tão somente. Assim, que no dia 09/08/19 vemos que os samangos de Flávio Dino pegam o jovem e o agridem de forma covarde e ainda lhe roubam o celular.

Naturalmente que tudo será negado até a morte, como foi no caso de Celso Daniel, entre outros, mas, já conhecemos os quadrilheiros que estão confortavelmente alojados nos palácios do poder em nossa terra.

De qualquer modo já existe um “BO” Boletim de Ocorrência, devidamente registrado na delegacia de polícia em São Luis, com data de 08/08/19.
E nesse BO são citados os nomes do ex-deputado e atual secretário de esportes Rogério Cafeteira, que auxiliado por seguranças, teria sido o autor da agressão contida no referido “BO”.

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 090819 – Galerinha esquerdoPaTa torce contra – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Saudade o preço de momentos inesquecíveis

Saudade é uma palavra interessante…
Gosto muito dela, em especial, pelo sabor que ela traz de coisas passadas…
E acho que todos devemos viver a vida com a segurança de vivê-la bem, para que no futuro, tenhamos sabores distintos e deliciosos de bons momentos e não apenas sabores amargos de vidas mal vividas…
Por isso gostei desta mensagem e gostaria de dividi-la também contigo, observe o quadro e tenho certeza que terá vontade de abrir tuas portas e janelas para que enfim o sol possa entrar e com ele os sonidos distintos da vida vivida em harmonia…

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 200414 – Saudade o preço de momentos inesquecíveis – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos:
(ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Ciro Gomes de boca fechada viraria poeta

Mas quando abre a boca, prova ao mundo que a imbecilidade tem nome, sobrenome e nasceu em um berço dos Gomes no feudo cearense.
O coronezinho de bosta, – como ele mesmo nomearia aos outros, pois ele é muito bom no vocabulário de baixo calão -, tentou lacrar em cima de um rapaz, como já havia tentado sobre o Caio Copolla, e agora tenta sobre o Eduardo Bolsonaro; porém, para sua infelicidade, o Eduardo abriu a boca e soltou um inglês, para ele ao menos, invejável.
Pois é Ciro, nessa você pagou o pau meu caro, assim, sugiro que te cales seu merda!

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 090819 – Ciro Gomes de boca fechada viraria poeta – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Lava Jato e seus gladiadores

O Ministro Sérgio Moro, herói da nossa nação
honrou a nossa bandeira
tirou de circulação
a quadrilha mais perversa e mandou para a prisão
o juiz da lava jato, sua caneta não poupou
puniu desde o porteiro, deputado e senador
até um ex-presidente e também governador
que roubaram do Brasil
Sérgio Moro condenou
o Brasil está feliz
com o que aconteceu
roubaram nosso dinheiro
mas vejam só no que deu
Sérgio Moro foi atrás
pegou a quadrilha e prendeu
não adianta negar
houve até devolução
devolveram os centavos
até cifra de bilhão
tudo isso comprovado no acordo de delação
parabéns força tarefa
e ao Deltan que coordenou
com a Polícia Federal
no inquérito indiciou
com a robustez das provas
a justiça condenou
O Brasil de gente honesta
tem a sua posição
não condena inocente
nem absolve ladrão
nosso País não terá
bandido de estimação
a defesa recorreu
usou de todo argumento
foi várias vezes ao supremo
em busca de provimento
teve os recursos negados
por falta de embasamento
quase 24 bilhões
a lava jato recuperou
imagine a quantia
que essa gangue roubou
milhares nos hospitais
essa quadrilha matou
Sergio Moro e Dallagnol
representam essa nação
são nossos gladiadores
contra toda a podridão
quem critica a lava jato
já está na contra-mão
sob as asas da justiça
Sérgio Moro se abrigou
da procela dos corruptos
e também do seu furor
hoje os corruptos estão presos
e a tempestade passou
tem preso acreditando
que um site é tribunal
e o hacker criminoso
é sua base legal
porém a nossa justiça
vai dar a resposta final
Sérgio Moro e Dallagnol
que mostraram o seu valor
receba essa poesia
feita por um trovador
é de todo coração
foi o Brasil quem mandou.
O poeta do nordeste
foi quem falou com você
Sou do Estado da Bahia
da região do Irecê
onde produz o feijão
pra toda a população
do nosso Brasil comer.
Aos amigos patriotas
eu imploro por favor
compartilhe essa poesia
que o poeta publicou
para todos os brasileiros
Chapéu de Couro mandou.
Parabéns Ministro da Justiça Sérgio Moro
Parabéns Deltan Dallagnol comandante da lava jato
Parabéns à Polícia Federal
O Brasil tem uma grande dívida com os senhores e com as senhoras Eu peço a todos os brasileiros que compartilhem este vídeo.
Até a próxima, estamos lá! (poeta nordestino Chapéu de Couro)

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 090819 – Lava Jato e seus gladiadores – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Quem são os coleguinhas?

Interessante esse áudio, obtido pelo jornal da Record, ele deixa muito claro quem é que efetivamente colabora ou colaborava com as quadrilhas criminosas e como as coisas ficaram depois que Bolsonaro assumiu a presidência, e resolveu colocar na cadeira de Ministro da Justiça o Dr. Sérgio Moro.
Além disso, vemos que o próprio cara que grava o vídeo, deixa clara a situação de que com Moro não tem negociação, e que com o PT havia diálogo, ou seja, com o PT os malandros tinham os mecanismos de controle. “O PT tinha um diálogo com nós, cabuloso mano.” (Elias)
Em lugar algum desse áudio se ouve esse cara chamar Sérgio Moro de colega, muito ao contrário disso, a própria Record, para poder divulgar o áudio, coloca o famoso bip em pontos onde o se ouve, ou pelo menos se depreende de que, esse tal Elias estaria xingando o Sérgio Moro.
E o próprio tal Elias, acrescenta que com Moro agora não tem conversa. e que Sérgio Moro teria entrado no Ministério para …., com eles. E termina afirmando que quando o PT estava no governo, a bandidagem tinha diálogo com o PT, o que mostra perfeitamente que, na via de mão dupla é claro, o PT também mantinha diálogo com eles.

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 090819 – Quem são os coleguinhas? – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

União da Direita com a Esquerda

Eis o sonho de todo brasileiro, afinal de contas, sempre vivemos muito bem entre os diferentes e nunca tivemos problemas. Passamos a tê-los após a ascensão de uma ala da esquerda radical ao alto poder do Executivo.

Em função do exposto, vemos o quanto a Rede Globo, como sempre furando o povo brasileiro.

Não quis te ofender, por esse motivo evitei o pronunciamento de um grande palavrão. De qualquer forma, você que sabe tudo, e sempre saberá até onde vai o poder dos monopolistas.
A família Bolsonaro, até o presente momento, vem se saindo melhor que a encomenda, por isso, eu não só recomendo este vídeo, como resolvi publicá-lo em um de meus canais, a fim de que todos saibam, como pensa essa família, que, pelo andar da carruagem, poderá vir a ter um de seus membros como ocupante da Presidência da República por muito tempo, porque basta que se revezem e a cadeira sempre estará muito bem representada. Parabéns à Família Bolsonaro.
Selva… Aço… Brasil acima de Tudo e Deus acima de Todos!

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 080819 – União da Direita com a Esquerda – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Qual é a realidade da educação atual?

Basta uma boa leitura para que se encontre inúmeros pontos que nos indique que de fato a Educação no Brasil precisa estar na mira da investigação.
Através do site “POLITIZE”, verifiquei uma matéria de autoria de: Isabela Moraes, com o título: “LAVA JATO DA EDUCAÇÃO: ENSINO SOB INVESTIGAÇÃO”, na qual me baseio entre outros para falar um pouco do assunto.

Nesta matéria o que mais me interessou foi justamente os casos UFSC –
Universidade Federal de Santa Catarina, UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais, e UFPR – Universidade Federal do Paraná.

Como deveríamos esperar, toda e qualquer autarquia, deveria estar sempre na alça de mira dos Tribunais de Contas, afinal de contas, figuram como gestoras de verdadeiras fortunas advindas do erário.
Por esse motivo, não deveria ser novidade uma investigação periódica dos gastos dessas autarquias educacionais. Até porque, dessa forma, estaria ensinando também à comunidade, a transparência com a coisa pública.

No entanto, parece ser necessária uma mudança, quase radical da política nacional, para que possamos ver algumas pessoas entendendo que isso tem que acontecer e que não se trata de perseguição política, senão de esclarecimento a quem paga isso tudo (o povo), como verdadeiramente estão sendo geridos os recursos destinados a essas autarquias.

“Embora tenha se tornado um acordo oficial e uma prioridade do Ministério da Educação apenas este ano (com a mudança dos ministérios do governo) a Polícia Federal já vem conduzindo investigações desse tipo há alguns anos.”

E porque sempre temos algumas pessoas que não se calam ante o descalabro, é que no ano de 2017, encontramos a UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina, como alvo de uma operação da PF Polícia Federal denominada “Ouvidos Moucos”. Essa operação que tinha por meta a investigação de supostos desvios de verbas em cursos de EAD – Educação a Distância, onde se veria irregularidades na gerência de verbas destinadas às bolsas da CAPES – Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Nessa ocasião foram presos sete funcionários, um dos quais, o próprio reitor: Luiz Carlos Cancellier de Olivo. Esses presos, foram liberados logo no dia seguinte, no entanto, os funcionários foram afastados da Universidade.
É claro que esta, assim como inúmeras outras operações da Polícia Federal, sempre suscitam críticas, por conta do fato de que isso acaba por expor os envolvidos. No entanto, pergunte-se a quem critica, “quem faz a exposição, a PF ou a mídia?” e além disso: “Foi a PF que pediu de joelhos que os envolvidos se envolvessem nas falcatruas, a fim de que, quando a PF fosse em seu encalço, gerasse a exposição?”
Parece-me que quando estão roubando e delinquindo, ninguém se preocupa com a exposição a que se submete.
E quanto ao caráter sigiloso das operações da PF, não conheço situação em que a PF tenha que fazer alarde para as operações, até porque, o sigilo torna-se forte companheiro para o sucesso da operação. Portanto, se houve quebra de sigilo, é porque houve vazamento, e aí, não se tem como culpar a PF, senão a própria imprensa que favorece, para que alguém vaze a informação, quebrando assim, o efeito surpresa de tal ato, que favoreceria muito mais o trabalho da própria corporação.

Bem, o término da história da UFSC é que o reitor afastado: Luiz Carlos Cancellier de Olivo, achou por bem suicidar-se. E apesar dos 23 funcionários terem sido mencionados no inquérito da Polícia Federal, nenhum deles, foi formalmente acusado pelas infrações.

As investigações que continuam, são agora atribuições do Ministério Público Federal e algumas pessoas ainda acham estranho que alguns professores ainda estejam impedidos de entrar na Universidade enquanto as investigações ainda estiverem em andamento.

A UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais, é outra que também foi alvo de investigações.
O motivo é que pudesse haver desvios de recursos públicos, em uma obra referente a um “Memorial da Anistia Política do Brasil”.
Neste caso, o reitor e a vice reitora desta Universidade, viram-se obrigados a prestar depoimentos.

E claro a pérola para mim é a UFPR – Universidade Federal do Paraná, que também foi alvo de investigação.
Em fevereiro de 2019, 13 funcionários da Instituição foram condenados por desvios de recursos públicos.
Mas veremos no entanto, o ilustre reitor Ricardo Marcelo Fonseca, emitindo uma nota, como uma espécie de desagravo, contra, (espero que não, mas é o que parece) as ações do poder público, pois parece que ele vê, como vindo a ser: “UM ANO DE ATAQUES CONTRA AS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS”. Embora esta nota tenha sido emitida em 06/12/17.

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

Gustavo Victorino vai direto ao ponto que verdadeiramente transtorna o sistema de educação que hoje vigora.
E é justamente contra isso que a sociedade como um todo vem se declarando contrária.

“Um dos princípios do Marx: Domine a mente dos jovens, é por eles que começa a nossa revolução, é por eles que começa a nossa dominação.”

“Nós transformamos as nossas universidades públicas, nos últimos 20 anos, em fábricas de comunistas e de socialistas, revolucionários que têm um conceito absolutamente desencontrado da realidade, especialmente nos princípios da meritocracia.
Esse é um problema que o Brasil vem enfrentando e que o Bolsonaro disse que iria enfrentar. Ele disse que quer mais matemática, que quer mais português, quer mais química e quer mais biologia nas salas de aula. E menos ciências políticas, filosofias, sociologias, ciências humanas que acabam formando a mente dos jovens, e transformando em massa de manobra, exatamente o que estamos vivendo hoje.
De cada dez desses jovens, nove não sabe porque estão nas ruas gritando e com bandeirinha vermelha na mão. …
Quem está fazendo gritaria?
São os reitores.
E quem são os reitores das universidades públicas?
Invariavelmente são líderes da esquerda, pensadores de esquerda.
Por exemplo, o PSOL é o “dono” da Universidade Federal do Rio de Janeiro a muitos anos. O reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro é um dos fundadores do PSOL”.

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

Já dizia o poeta naquela sua musiquinha esquerdopata: “Procurado bem, todo mundo tem…”
E é isso verdadeiramente o que acontece, na prática, procurando bem, pode-se encontrar coisas maravilhosas nos arcabouços da UFPR Universidade Federal do Paraná.
Encontrei um artigo, bastante interessante de: Katia Brembatti e Giulia Fontes, publicado na Gazeta do Povo no dia 14/02/2019.

A matéria foi publicada com o título:

“Fraude grosseira na UFPR leva à condenação de 13 pessoas em Curitiba

O desvio de R$ 7,3 milhões no sistema de bolsas de pesquisa da Universidade Federal do Paraná (UFPR) levou à condenação de 13 pessoas, em penas que somam 159 anos de prisão. Outras 21 pessoas foram absolvidas na ação penal, a partir do entendimento de que foram envolvidas no esquema sem o consentimento ou sem receber vantagens. A sentença foi dada pelo juiz Marcos Josegrei da Silva, da 14ª Vara Federal de Curitiba, exatamente dois anos após o caso vir a público, a partir da Operação Research.

A fragilidade dos sistemas de controle de pagamento de auxílio a estudantes e pesquisadores permitiu que duas funcionárias da UFPR montassem um esquema que funcionou de 2013 a 2016, cadastrando 30 pessoas que não eram professores ou alunos (e muitos sem curso superior) como bolsistas recebendo até R$ R$ 30 mil por mês. O desvio começou pequeno, com poucos envolvidos e pagamentos módicos, e cresceu de forma a incluir moradores de outros estados, que constavam como beneficiários de bolsas.

Os pagamentos suspeitos começaram em 2013, logo depois que Conceição Abadia de Abreu Mendonça assumiu um cargo de confiança, responsável pelo orçamento da pró-reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa da UFPR. Ela contava com o suporte de Tânia Márcia Catapan, secretária do pró-reitor e que manuseava boa parte dos documentos que circulavam pelo setor. Repentinamente, uma série de pessoas ligadas às duas servidoras passaram a ser incluídas na lista de beneficiários de auxílios para estudantes e pesquisadores. Cabeleireira, artesã, motorista e vendedor estão entre as profissões dos supostos bolsistas.

Os pagamentos escaparam a todas as formas de controle da UFPR. O fato de as pessoas não terem vínculo algum com a instituição não foi percebido. Os valores pagos acima do normal não foram detectados, mesmo com a publicação no Portal da Transparência do governo federal. Foi o que chamou a atenção da estudante Débora Sögur Hous, que reuniu as informações e procurou a Gazeta do Povo para denunciar. Paralelamente, o caso era investigado pela Polícia Federal, que considerou a fraude “grosseira”, sem sofisticação.

Sentença
O juiz aplicou penas duras aos envolvidos, especialmente para Conceição (17 anos, 8 meses e 20 dias) e para Tânia (16 anos e 6 meses), além da filha da funcionária aposentada Maria Áurea Rolland (13 anos e 4 meses), Gisele Aparecida Rolland (16 anos e 6 meses), considerada como uma espécie de aliciadora. Para 11 dos réus, o tempo de condenação foi superior a oito anos, o que significa cumprimento em regime fechado (presídio). Ainda cabe recurso da sentença e, por isso, os condenados não irão para a prisão até que o caso seja avaliado pela segunda instância judicial. Alguns chegaram a ser presos durante a investigação, mas foram liberados e cumprem prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica, enquanto aguardavam julgamento.

Os pedidos de ressarcimento aos cofres públicos tramitam em outras esferas, como em ações cíveis e mesmo em processos do Tribunal de Contas da União (TCU). Durante a investigação, houve bloqueio de bens e contas bancárias, mas em valores insuficientes para garantir a devolução. A apuração mostrou que o dinheiro era gasto, muitas vezes, em luxos, como cruzeiros com o cantor Roberto Carlos. Inclusive, alguns dos “bolsistas” eram, na verdade, vendedores de joias e roupas, que acabavam sendo pagos com as transferências bancárias irregulares.

As duas servidoras, Conceição e Tânia, foram demitidas da UFPR no ano passado, como resultado do processo disciplinar. A Universidade afirma que mudou os sistemas de controle e ainda passou a dar mais transparência aos processos seletivos para a concessão de bolsas e também para os pagamentos. Nenhum integrante da cúpula administrativa da UFPR constava na ação penal.

Outro lado
A defesa de Conceição Mendonça afirmou que ainda não tomou conhecimento da sentença para se posicionar.

O advogado de Tânia Catapan, Márcia Catapan e Melina Catapan também disse que ainda não teve acesso à decisão e que, por isso, não quer se manifestar.

O advogado de Norberto Ferreira dos Santos afirmou que está analisando a sentença para recorrer da decisão.

A defesa de Marco Aurélio Fisher não foi localizada para comentar o caso.

A reportagem não conseguiu contato com os advogados dos demais réus. O espaço segue aberto para manifestação.

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

Não se ignore que após esse fato a PF deflagra nova fase de operação que investiga desvios na UFPR.
A UFPR, bem como inúmeras outras Universidades Federais, têm muito a explicar à sociedade, sobre muita coisa que vem acontecendo nos corredores, salas e ante-salas dessas instituições.

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

Conforme mencionei acima, o reitor Ricardo Marcelo Fonseca, da UFPR –
Universidade Federal do Paraná, resolveu soltar uma nota, saliente-se que esta nota foi emitida em 06/12/17, através da Superintendência de Comunicação Social.
Afora o que se possa falar, para mim, isto mais parece, muxoxo, por conta do título: “UM ANO DE ATAQUES CONTRA AS UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS”.

Há quase um ano, no dia 9 de dezembro de 2016, a polícia federal irrompeu na UFRGS, em vista de uma suspeita de fraude em um programa de extensão. A polícia federal batizou todo o movimento de “Operação PhD”.

Pouco tempo depois, em 13 de fevereiro de 2017, algo similar aconteceu na nossa universidade: numa operação (batizada de “Research”), foram envolvidos mais de 180 agentes federais, cumprindo vários mandados de prisão e oito conduções coercitivas.

Mas o pior estava por vir: no dia 14 de setembro de 2017, numa operação batizada de “Ouvidos moucos” (em alusão direta à suposta falta de respostas da Universidade aos órgãos de controle), a polícia chega na UFSC para cumprir sete mandados de prisão temporária e cinco de condução coercitiva. Mais de 115 policiais foram envolvidos na operação – que vieram inclusive de outros estados. Nesse caso, porém, houve um fato grave adicional: o próprio Reitor da UFSC – Luiz Cancellier de Olivo – foi preso “por obstruir investigações”. Os supostos desvios (ainda em fase de investigação e apuração) teriam ocorrido na gestão anterior a dele. Levado a um presídio, algemado, submetido à revista íntima e solto logo depois, mas impedido por ordem judicial de colocar os pés na universidade que o elegeu, Cancellier cometeu suicídio no dia 02 de outubro de 2017.

Para quem imaginava que esta tragédia serviria para que a escalada contra as universidades fosse objeto de reflexão e cuidado, hoje, dia 6 de dezembro de 2017, vem outro grande choque: o alvo foi a UFMG. Outra operação policial, com 84 policiais federais, 15 auditores da CGU e dois do TCU cumpriu oito mandados de condução coercitiva e onze de busca e apreensão. A operação – não sem certo mau gosto irônico – foi intitulada “Esperança equilibrista” (numa referência direta a uma canção símbolo da época da redemocratização brasileira, “O bêbado e o equilibrista”). Foram conduzidos coercitivamente os atuais reitor e vice-reitora da UFMG (Jaime Ramirez e Sandra Almeida), além de servidores e dirigentes das gestões anteriores.

Como se viu, em pouco menos de um ano, 4 das maiores universidades federais do Brasil (UFMG, UFRGS, UFSC e UFPR), sofreram impactantes operações policiais, com quantidade de agentes (geralmente também acompanhados de auditores de órgão de controle) suficientes para um conflito armado. Todas com imensa e desmedida repercussão midiática. Em alguns desses casos, com prisão ou condução coercitiva das autoridades máximas – no planos administrativo e simbólico – das instituições universitárias. Nunca se viu um cenário desses antes.

As universidades, seus professores, servidores técnicos e pesquisadores teriam se pervertido tanto assim em um ano? Teriam se transformado de repente em ninhos de bandidos? E se perceba: se está falando de instituições tradicionais – a nossa UFPR é centenária – que durante décadas foram vistas como celeiros do conhecimento brasileiro e da formação de gerações. As universidades não são perfeitas, como nenhuma instituição pública ou privada o é, mas seguramente não são esse antro de corrupção, descontrole e ineficiência que as ações policiais sugerem e que a mídia propaga.

Se é assim, é melhor olhar com certa frieza para o que há de comum nesse triste contexto. Primeiro, operações policiais e órgãos de controle têm elegido as universidades públicas como principais focos de sua atenção. Não são os ministérios, autarquias ou os demais órgãos federais – seguramente nenhum deles berços infalíveis de virtudes infinitas; agora os olhos do controle e da repressão se voltam para as universidades públicas.

Segundo: de repente – mais do que em qualquer outro tempo – a imprensa se concentra no que acontece nas Universidades. Mas não para falar sobre os milagres cotidianos que operamos (na formação das pessoas, na ciência, na tecnologia, na inovação ou na inclusão social), mas naquilo que, aos seus olhos, lhe parece suspeito, mesmo que ainda não haja investigação ou decisão definitiva sobre o que se noticia.

Terceiro: todas essas confusões – todas – são feitas sem que haja um juízo condenatório definitivo: o escarcéu repressivo e midiático acontece antes e a apuração de responsabilidades vem depois.

Quarto: parece que houve uma suspensão de alguns direitos no Brasil, como a presunção de inocência, o devido processo legal e a dignidade da pessoa humana. O clima policialesco e a mentalidade inquisitória parecem ter definitivamente suplantado uma cultura de direitos que valorizava a liberdade. Em nome de um certo moralismo administrativo e de uma sanha punitivista, garantias e direitos individuais são colocados como detalhes incômodos e inconvenientes.

Quinto: o princípio da autonomia universitária (prevista no art. 207 da Constituição), por todas as razões antes já mencionadas, hoje foi reduzido a pó e a letra morta.

O momento é de fato grave: enquanto deputados ou senadores filmados em flagrante delito por graves desvios são soltos pelos seus pares, reitores têm sua liberdade cassada. A sociedade deve, com muita premência, pensar que tipo de mundo pretende construir quando instituições como as universidades públicas (responsáveis por cerca de 90% da ciência e tecnologia do Brasil) são demonizadas, expostas, desrespeitadas e quando seus dirigentes são imolados publicamente.

O Brasil precisa pensar em que tipo de futuro quer apostar. E para mim a resposta só pode ser essa: é momento de resistir e defender a Universidade Pública.

Viva a UFRGS! Viva a UFSC! Viva a UFMG! Viva a UFPR! – (Ricardo Marcelo Fonseca – Reitor da UFPR)

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 060819 – Qual é a realidade da educação atual? – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Burburinho: Nem tudo o que cai na rede é peixe

Gilmar Mendes, se debate como bagre ensaboado: E se duvidar é claro que o bagre salta fora do samburá.
O menino levado, tem declarado uma receita bruta superior a R$ 10 milhões e que além disso, demonstra rendimentos isentos superiores a R$ 2,5 milhões, e por esse motivo, é que caiu na rede. Pode até não ser peixe, tem mais é cara de sapo, mas caiu na rede, e precisa ter uma análise um pouco mais detalhada de suas contas pessoais, bem como outros 133 agentes públicos.
Eles não caíram na rede, porque alguma pessoa assim o quis, porém, pelo fato de que existem alguns protocolos sinalizadores e dentro disso, esses cento e trinta e tantos agentes foram sorteados pelo sistema que acusa, quando alguém invade algum dos protocolos guias da Receita Federal.

O próprio Gilmar pode muito bem atestar que não existe nada de pessoal nesse sorteio e seleção, onde foi incluído seu nome, uma vez que os procedimentos, de “impessoalidade”, seguem critérios, que aliás deveriam ser seguidos pelo próprio STF. No caso da Receita Federal, existe uma “Nota Técnica” de número: 48/2018, onde está registrada o caráter de impessoalidade que é adotado na seleção dos agentes públicos, justamente onde está incluso o nome do, neste caso, contribuinte Gilmar Mendes. Observe-se que neste caso, ele não está sendo citado como “SUPREMO”, senão, apenas e tão somente seguindo um conceito Constitucional que diz, que Todos são iguais perante a Lei. E o contribuinte Gilmar Mendes, apresentou um movimento que desperta suspeitas até mesmo em seus pares.

A nota supra citada, aproveita elementos aprendidos ao longo do tempo, que permite ao sistema auditor, bem como aos coordenadores, identificar alguns pontos que são fundamentais para que seja aceito o pedido de investigação ou não, afinal de contas, o sinal vermelho estando aceso, indica que algo não vai bem.
Lembrando o que não é demais, que os critérios adotados na Nota 48, devem ser os que serão aplicados a todos os contribuintes que estejam ativos como agentes públicos.

Bem, aproveitando a deixa, não podemos ignorar a postura lamentável e indigna do contribuinte Gilmar Mendes, que ao não fazer justiça ao trabalho de seus, também colegas, afinal todos funcionários públicos, acabou por desmerecer o trabalho da Receita Federal em vários momentos: primeiro com o auditor Marco Aurelio Silva Canal, e afora isso, quando busca calar os trabalhos da Receita Federal, buscando blindar-se com o famoso: “Você sabe com quem você está falando?.

O Contribuinte deveria ter apresentados suas justificativas, diante de cada uma das questões levantadas, como sói acontece, quando um contribuinte é pego e justifica-se junto ao fisco, com o auditor que representa na ocasião os interesses do fisco. Mas o contribuinte que se vê como acima de qualquer mortal, e que além de buscar blindar-se, pelo peso de sua Caneta, Toga e demais investiduras, insiste em mostrar-se perseguido. Porém, como muito bem lembrado pela ilustre Dra Luciene, o “MAGISTRADO” “SUPREMO”, ao contrário do contribuinte, deveria ser o primeiro a abrir seu sigilo fiscal a toda a sociedade, de modo a fazer Justiça e a demonstrar que sim, no Brasil, “Pau que bate em Chico, igualmente bate em Francisco”.

Conforme apurou a Receita Federal, através de seu sistema chamado de “Malha Fina”, alguns peixinhos vêm caindo.

Exatamente como se espera, quando se lança uma rede, tem-se por óbvio que alguns peixes caem, e ali ficam e permanecem enredados.
É claro que a “malha fina” não pega a qualquer um. Trata-se de um intrincado serviço de auditoria que averigua, se existem irregularidades, e existindo as mesmas, se elas continuam consistentes após umas primeiras e singelas análises, para só então, a fiscalização sair em busca daqueles elementos que ali caem.
Foi o que aconteceu com o famigerado Gilmar Mendes, e sua esposa Dona Guiomar Mendes, e naturalmente, que junto vai a família inteira, afinal de contas, “onde há fumaça, há fogo!”.
Mas é natural que o dono da “capa-preta” auto-intitulado “SUPREMO”, já buscou seus meios de proteger-se pela blindagem que ele tão bem conhece, e que vem atendendo aos interesses dos poderosos nos últimos 30 anos.

Temos uma pessoa na Auditoria Fiscal da Receita Federal, de nome, Luciene Ferro da Cunha, que vem a público, de uma forma bastante clara e transparente, mostrando à nação que o “SUPREMO” está nu. Ela publicou através do site do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal, um artigo que tem por objetivo esclarecer fatos que se referem ao caso do contribuinte Gilmar Mendes, bem como a sanha impetrada pelo mesmo, na perseguição que esse, dito, “SUPREMO” tem movido contra o COAF – Conselho de Controle de Atividades Financeiras.

Como entendemos por recomendável a leitura, e também como sábio estar bem informados, resolvi trazer aqui o texto:

“Prezados, Assisti nesta semana à entrevista da Globo News com o ministro Gilmar Mendes, onde também, de forma infeliz, atribuiu ao auditor fiscal da Receita Federal, Marco Aurélio Silva Canal, como coordenador da Equipe de seleção da Calicute, a responsabilidade pela ação abusiva e policialesca da Receita Federal em sua pessoa.
Inicialmente, esclareço que o CONTRIBUINTE GILMAR incidiu em CRITÉRIOS TÉCNICOS E IMPESSOAIS PREVISTOS na Nota Técnica nº 48, cujo teor foi publicado indevidamente em uma reportagem no CONJUR. Reproduzo abaixo trechos do próprio CONJUR:
“O software lançou uma rede de pescador nos dados fiscais DE MILHÕES DE PESSOAS.
DOS 800 MIL OCUPANTES DE CARGOS PÚBLICOS, a EEP selecionou parentes de primeiro e de segundo graus, seus cônjuges e empregados domésticos, além das empresas registradas nos nomes de todos eles e seus sócios. E aí foram selecionadas pessoas que tiveram AUMENTO PATRIMONIAL SUPERIOR A R$ 500 mil, declararam RENDIMENTO ISENTO DE TRIBUTAÇÃO ACIMA de R$ 500 mil e valor de patrimônio acima de R$ 5 milhões.
Esse PRIMEIRO filtro chegou a 799 pessoas. E aí foi aplicada a SEGUNDA peneira, de quem teve RENDA NÃO TRIBUTÁVEL acima de R$ 2,5 milhões e RECEITA BRUTA DE PESSOA FÍSICA ACIMA de R$ 10 milhões. Foi assim que se chegou às 134 pessoas, que ainda passarão por outro filtro.” (os destaques no texto foram meus).
FOI POR TER UMA RECEITA BRUTA SUPERIOR A R$ 10 MILHÕES E RENDIMENTOS ISENTOS SUPERIORES A R$ 2,5 MILHÕES, que o CONTRIBUINTE GILMAR caiu na rede para ser analisado junto com outros 133 agentes públicos. Todo o processo de seleção foi TRANSPARENTE E IMPESSOAL.
As NOTAS TÉCNICAS emitidas pela Coordenação responsável pela área de seleção têm como função registrar e dar transparência às seleções de âmbito nacional. SÃO DOCUMENTOS INTERNOS DA RECEITA FEDERAL E SIGILOSOS.
A Nota Técnica 48/2018, publicada indevidamente pelo Conjur, registra a impessoalidade adotada na seleção dos agentes públicos, em que o CONTRIBUINTE GILMAR incidiu.
O auditor Marco Aurélio Silva Canal, por sua competência, profissionalismo e dedicação, atua como Coordenador da equipe de seleção da Operação Lava Jato e na operação Calicute.
Com a experiência obtida na Operação Lava Jato contribuiu para identificar o modus operandi dos SONEGADORES envolvidos na Operação.
Este modus operandi foi reproduzido pela Receita Federal, que chegou aos critérios registrados na Nota 48 e para ser aplicado a TODOS agentes PÚBLICOS.
É lamentável a postura do CONTRIBUINTE GILMAR, desmerecendo o auditor Marco Aurélio Silva Canal.
Seria de bom tom que, em função do cargo que ocupa, fizesse Justiça, apresentando todo o teor do Relatório da Receita Federal, que julga ser perseguição, apresentando suas justificativas.
A apresentação de justificativas deveria ser um procedimento sigiloso, entre auditor e contribuinte durante um procedimento fiscal, mas face à repercussão e a insistência em se dizer perseguido, deveria ser o primeiro a abrir seu sigilo fiscal a toda a sociedade, de modo a fazer JUSTIÇA.

Registro aqui meu agradecimento e apoio ao Auditor Marco Aurélio Silva Canal e a toda a equipe da Receita Federal que atua na Calicute. Sou testemunha do profissionalismo e correição com que agem. E por isso suplico, debaixo de lágrimas, como cidadã, que resistam a essas pressões. Vocês são fundamentais para o país.” – (Título da carta: Gilmar Mendes e sua Infeliz Entrevista à GloboNews – Luciene Ferro da Cunha – Auditora Fiscal da Receita Federal)

Abro aqui para deixar o meu apreço à senhora, creio que Dra. Luciene, ao Dr. Marco Aurélio Silva Canal, bem como aos demais membros que atuam de forma silenciosa na busca de manter o ilícito e seu causador, bem longe dos cofres públicos, e preferencialmente, pagando por seus crimes.

Creio que nessa carta, a Dra. Luciene nos mostra de forma clara e amplificada, quem, verdadeiramente é Gilmar Mendes.

=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=x=

E no mesmo tom vemos, através do site “O Antagonista” em matéria do dia 05/08/19, alguns auditores que defendem a análise que leva os serviços de auditoria a ter em sua rede 133 contribuintes.

Nesse diapasão, 195 auditores da alta administração da Receita Federal, defenderam a análise, suspensa por Alexandre de Moraes na semana passada, sobre 133 contribuintes, incluindo as mulheres de Gilmar Mendes e Dias Toffoli – o que poderia até levar à abertura de um procedimento de fiscalização.

No texto, negaram desvio de finalidade e falta de critérios objetivos, como apontou o ministro, e explicaram que, de mais de 800 mil CPFs analisados, a Receita chegou aos 133 fiscalizados por cruzamento de dados feito de forma “completamente automatizada”.

“Não existe qualquer possibilidade de um Auditor-Fiscal indicar um contribuinte para ser fiscalizado, em seleção interna, sem passar por um rigoroso processo de programação”, dizem os auditores.

A carta ressalta que todas as autoridades estão sujeitas à fiscalização.

“A Receita Federal tem sido acusada por ter atuado com subjetividade por ter deflagrado uma operação denominada ‘agentes públicos’. A lei tributária não excepcionaliza agentes públicos, sejam eles ministros, parlamentares ou auditores-fiscais de cumprirem as normas tributárias e estarem sujeitos à análise e eventuais auditorias, que podem ou não resultar em exigência de tributos.”

Trazemos aqui a carta na íntegra:

“CARTA ABERTA EM DEFESA DA RECEITA FEDERAL

Os Auditores-Fiscais abaixo nominados, em razão de decisão monocrática do STF proferida no Inquérito nº 4.781, de 1º de agosto de 2019, na qual se afirma que “são claros os indícios de desvio de finalidade” e que, “sem critérios objetivos de seleção, pretendeu, de forma oblíqua e ilegal investigar diversos agentes públicos, inclusive autoridades do Poder Judiciário, incluídos Ministros do Supremo Tribunal Federal, sem que houvesse, repita-se, qualquer indício de irregularidade por parte desses contribuintes”, vêm manifestar discordância em relação às acusações de ilegalidade e desvio de finalidade supostamente praticadas pela Receita Federal.

A decisão cautelar proferida determinou a suspensão de todos os procedimentos instaurados pela Receita Federal, inclusive em relação aos outros 131 contribuintes pessoas físicas que não têm qualquer vínculo com Ministros do STF.

Além disso, entendeu por bem afastar dois Auditores-Fiscais que atuaram em observância aos atos legais e normativos que regulam a atuação da Fiscalização da Receita Federal, mas que, ainda assim, estão tendo suas condutas avaliadas pela Corregedoria da Receita Federal.

Importante destacar que todos os procedimentos de fiscalização executados observam rigorosamente os preceitos constitucionais da impessoalidade e da motivação e, em se tratando do imposto de renda, também os princípios da generalidade e universalidade, ou seja, de que todas as pessoas estão sujeitas ao imposto e de que todos os rendimentos, salvo as exceções previstas em lei, à tributação.

O princípio da impessoalidade encontra-se materializado por critérios técnicos e objetivos, que são descritos de forma pormenorizada na Nota COPES nº 48, no caso da operação que resultou na seleção de dois contribuintes vinculados a Ministros do STF.

Não existe qualquer possibilidade de um Auditor-Fiscal indicar um contribuinte para ser fiscalizado, em seleção interna, sem passar por um rigoroso processo de programação que segue três etapas bem definidas:

1 – Planejamento – definição do universo de contribuintes a serem submetidos aos critérios e parâmetros de seleção. No caso da Nota Copes nº 48, o universo “agentes públicos” possuía cerca de 800 mil CPFs.

2- Cruzamento de Dados – etapa que é completamente automatizada. O procedimento contido na Nota Copes nº 48 chegou a 133 contribuintes, como amplamente noticiado. Ninguém na Receita Federal – absolutamente ninguém – consegue excluir qualquer contribuinte da etapa de cruzamento de dados. Foi lamentável o vazamento da referida nota, por outro lado, qualquer cidadão pode constatar o rigor e a impessoalidade do processo de seleção.

3 – Análise individual – recebida a lista com 133 contribuintes, em ordem decrescente de interesse fiscal, os mesmos foram distribuídos para cada Auditor-Fiscal com o objetivo de que os mesmos verificassem se havia ou não indícios de irregularidades. O Auditor-Fiscal possui amplo acesso às informações do contribuinte analisado, bem como a terceiros vinculados, inclusive para verificar a existência de operações simuladas que buscam sonegar tributos.

A Receita Federal tem sido acusada por ter atuado com subjetividade por ter deflagrado uma operação denominada “agentes públicos”. A lei tributária não excepcionaliza agentes públicos, sejam eles ministros, parlamentares ou auditores-fiscais de cumprirem as normas tributárias e estarem sujeitos à análise e eventuais auditorias, que podem ou não resultar em exigência de tributos.

Os processos de programação devem delimitar um universo específico de contribuintes porque a situação fática de segmentos de contribuintes é diferente. Os critérios e parâmetros devem ser compatíveis com o universo e atividades desenvolvidas pelos contribuintes. Por exemplo, profissionais liberais têm características distintas de assalariados. Algo absolutamente rotineiro e obrigatório. Grandes corporações de empresas possuem análise específica, que, obviamente, difere das empresas optantes pelo Simples Nacional.

A decisão monocrática do STF conclui que a Receita Federal atuou com desvio de finalidade por ter selecionado “os maiores patrimônios e rendimentos de agentes públicos”. Mas, conforme exposto acima, todos os critérios técnicos foram observados e, estando o agente público no exercício de suas funções, não lhe é permitido legalmente excluir do rol identificado nenhum contribuinte sujeito à fiscalização.

Suspendemos todos os trabalhos relativos à Nota Copes nº 48 em obediência à decisão judicial, mas rogamos que o plenário do STF analise com habitual rigor e prudência, à luz dos princípios constitucionais da impessoalidade e isonomia, o procedimento de programação e seleção de contribuintes.

À exceção dos 133 agentes públicos amparados pela decisão, a Receita Federal, por estar vinculada à lei, continuará a tributar o acréscimo patrimonial, sempre que houver irregularidade identificada pela fiscalização, pois assim determina a Constituição Federal e assim espera a sociedade.

Por outro lado, o TCU requisita à RFB informações sobre as fiscalizações efetuadas contra agentes públicos federais nos últimos cinco anos, sob o argumento de “apurar indícios de irregularidades praticadas no âmbito da Receita Federal do Brasil (RFB), as quais dizem respeito a possível desvio de finalidade de agentes envolvidos, com dispêndio de recursos públicos”.

O pedido causa estranheza e perplexidade, pois, sem qualquer justificativa aparente, coloca sob suspeição todas as fiscalizações efetuadas pela Receita Federal contra agentes públicos federais nos últimos cinco anos.

Por todo o aqui exposto, os Auditores-Fiscais abaixo pugnam para que o Plenário do STF reveja a decisão proferida no Inquérito nº 4.781, de 1º de agosto de 2019, que impede a atuação da Receita Federal, para que possamos continuar atuando de forma republicana, em obediência aos preceitos constitucionais e à lei, em prol do Estado e da sociedade, e para que o TCU, em suas solicitações e análises, não adote qualquer premissa que possa, ainda que indiretamente, indicar à não-atuação republicana de um órgão com a história da RFB.”

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 060819 – Burburinho: Nem tudo o que cai na rede é peixe – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

Sabotagem eis o que esquerda conhece

Partido do PT e Comunistas…
Estão abrindo buracos nas estradas federais do Nordeste (boas sem necessidade de reparos), para conseguir verbas, a estrada é boa de trafegar, mas a máfia petista através de maquinário está sabotando o governo.

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 070819 – Sabotagem eis o que esquerda conhece – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae

A qualidade de ensino e a boa gestão

Miguel Pagano, pai de três filhos, que viu-se envolvido na necessidade de defender seus interesses contra o estado.
Logo após a vitória de Bolsonaro, o filho de Miguel que estava vestido de verde e amarelo, foi pegar um ônibus para a Universidade com alguns colegas, mas os alunos que já estavam no ônibus começaram a cuspir na cara dele e de seus colegas, e os impediram de entrar no ônibus de assim poderem chegar ao campus. Na sala do reitor é que está o problema, é lá que tem que ser combatido.
Universidade Federal de Pelotas- que tem um orçamento de 800 milhões de reais por ano, e que mantém um convênio com o MST, nesse convênio existe uma turma da Veterinária que entra sem fazer ENEM, onde o processo seletivo se resume à indicação do MST. A Universidade recebe um milhão e meio de reais por ano a fim de manter um alojamento, onde são acomodadas essas pessoas dentro da própria Universidade;

“O professor que doutrina, pode ser comparado a um estuprador.” (Miguel Pagano)

A Universidade Federal do Rio Grande, a parte do Direito fez um convênio com uma Universidade de Cuba em Havana.

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (OI)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 070819 – A qualidade de ensino e a boa gestão – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

@elyvidal @radiocrista @pastorelyvidal @conipsip @CiepClube
#FalaPortaldaRadio #conipsi #cojae #dojae