A maior bomba nuclear – Tsar Bomba

Pela primeira vez, Rússia exibe bomba nuclear mais potente do mundo
Rússia expõe pela primeira vez bomba nuclear mais potente do mundo. Dispositivo, que foi testado em 1961, era cerca de 3 mil vezes mais potente que a bomba de Hiroshima
A “Bomba Tsar”, a bomba atômica mais potente do mundo criada por cientistas soviéticos e convertida em símbolo da Guerra Fria com seus oito metros de extensão e 25 toneladas de peso, está sendo exposta pela primeira vez em Moscou.
Chamada oficialmente de AN602, esta bomba de hidrogênio, que foi testada com êxito em 1961, faz parte (sem sua carga atômica) de uma exposição sobre a história nuclear russa que pode ser vista no Manège de Moscou, um prédio histórico da capital.
A bomba, de uma potência de 50 megatoneladas, foi criada por uma equipe de cientistas soviéticos dirigida por Andrei Sakharov, futuro prêmio Nobel da Paz, e, em 30 de outubro de 1961, foi testada com sucesso em Nova Zembla, um arquipélago do Oceano Ártico russo. A explosão pôde ser vista a mil quilômetros do local do teste, e o raio de destruição chegou a 35 quilômetros.
O ensaio fazia parte do projeto de pesquisa nuclear lançado por Stalin em 1945, pouco depois de terminada a II Guerra Mundial, e que tinha como objetivo equiparar a ex-URSS aos Estados Unidos, que já tinham uma bomba atômica. A indústria nuclear russa celebra em 2015 o 70º aniversário de sua criação.
A exposição coincide com um momento delicado nas relações entre a Rússia e os países ocidentais devido ao conflito na Ucrânia. Curiosidades sobre a Bomba do Tsar
A Tsar Bomba foi desenvolvida durante a Guerra Fria, e seu principal propósito foi o de demonstrar ao mundo — e especialmente aos EUA — o poder bélico e tecnológico soviético. O artefato era tão absurdamente grande que, em termos práticos, seria muito difícil transportá-lo para que fosse detonado durante uma batalha, e mais complicado ainda levá-lo até os Estados Unidos.
Além disso, a bomba era tão poderosa que, mesmo depois que os soviéticos reduziram a sua força pela metade, o índice de sobrevivência da tripulação responsável por transportá-la foi estimado em 50%, considerando que todos estivessem a 10 quilômetros de altura e 45 quilômetros de distância no momento da detonação, que deveria ocorrer 4 quilômetros antes de a bomba atingir o solo.
Originalmente, a Tsar contava com 100 megatons, que foram reduzidos para um poder explosivo entre os 50 e 57 megatons com o intuito de minimizar a dimensão da destruição. Ainda assim, só para que se tenha uma ideia, o dispositivo era 3 mil vezes mais potente do que a bomba de Hiroshima.
http://youtu.be/3XA4Lv4AzZg -pragmatismopolitico.com.br/2015/09/pela-primeira-vez-russia-exibe-bomba-nuclear-mais-potente-do-mundo.html

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *