A leitura dos sinais evidenciam a sequência dos acontecimentos

Para quem vem acompanhando os acontecimentos, não há nada de novo.
Os quadrilheiros em ação e seus atos criminosos, (como diriam os demais membros da quadrilha, os “mal feitos”) na desabalada carreira em busca da destruição de uma nação. Qual o objetivo?
Apenas o de que, tendo uma nação destruída em suas mãos, com um povo demente, e desmemoriado, sem valores, totalmente entregue à prostituição e às drogas, torna-se muito mais fácil para a apropriação de seus bens e valores, sem que haja qualquer reação, e em havendo reações, que as mesmas não surtam os efeitos, de uma retomada de poder. Afinal, o que podem seres que não têm cultura, apátridas, etc…?
Entre outros assuntos, este ano de 2018, vem recheado de novidades, fruto de investigações de homens sérios. Dentre elas podemos destacar aqui o fato de que um ministro obtinha facilitações a si e a apaniguados em troca de apoio político em seu reduto.
Coisas que diríamos ser características, de atividades de gangsters. Esse tipo de atitude, a gente costuma verificar, em redutos dominados por alguma facção, onde a mesma dita as normas da comunidade, e todo aquele que infringe uma norma dessas, termina muitas vezes, pagando com sua própria vida, a fim de que o poder do líder não seja maculado pelo desmando.
E o ministro Carlos Marun, demonstra, através desta investigação, que trabalhava nesse sentido, conseguindo que integrantes do Ministério do Trabalho, produzissem pareceres fraudulentos, atropelando exigências legais.
Este homem, Carlos Marun, registrado com o nome de: Carlos Eduardo Xavier Marun, poderia representar qualquer partido, porque são todos iguais, verdadeiras quadrilhas, mas ele pertence ao PMDB e está vinculado ao estado do Mato Grosso do Sul.
Vivianne Lorenna de Melo, secretária do meliante Marun, intermediava junto a servidores, facilidades para sindicatos do MS. Foram apuradas mensagens que denunciam esta prática, e trazidas ao conhecimento público, através da Operação Registro Espúrio.
Como não poderia ser diferente, entra em cena um dos sinistros do STF, neste caso, o sinistro Edson Fachin, que pelo viés do STF, sempre entende haver indícios insuficientes para que sejam executadas as ações inerentes. Salvo claro, que o investigado fosse um dos membros dos 3 Ps (preto, puta e pobre) para os quais, qualquer indício seria mais do que relevante.

Envolvidos: Renato Araújo e sua aliada Jéssica Mattos; ex-ministro do trabalho Helton Yomura e seu assessor Júlio de Souza Bernardo (vulgo Júlio Canelinha) e claro, o Paulinho da Força Sindical, além é claro da deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), não podendo esquecer que o próprio Roberto Jefferson, e ainda o deputado federal Nelson Maquezelli (PTB-SP).

Como se observa, quem rouba unido, permanece unido, senão pelos laços familiares consanguíneos, então pelos laços criados pela própria máfia que determina as normas familiares para este tipo de organização. Por isso vemos o envolvimento claro e evidente dos seguintes partidos políticos (ou arapucas, conforme se queira chamar): PMDB, SOLIDARIEDADE, e o PTB, porém, como vemos o envolvimento de entidades sindicais, não resta dúvida que a esquerda unida, pensa que jamais será vencida.

(ap. Ely Silmar Vidal – Teólogo, Psicanalista, Jornalista e presidente do CIEP – Clube de Imprensa Estado do Paraná)

Contato:
(41) 98514-8333 (Oi)
(41) 99820-9599 (Tim)
(41) 99109-8374 (Vivo)
(41) 99821-2381 (WhatsApp)

Mensagem 220718 – A leitura dos sinais evidenciam a sequência dos acontecimentos – (imagens da internet)

Que o Espírito Santo do Senhor nos oriente a todos para que possamos iluminar um pouquinho mais o caminho de nossos irmãos, por isso contamos contigo.

Se esta mensagem te foi útil, e achas que poderá ser útil a mais alguém, ajude-nos: (ficaremos muito gratos que, ao replicar o e-mail, seja preservada a fonte)

leia este texto completo e outros em:

http://www.portaldaradio.com

#COJAE

Comentários

Autor: Ely Vidal

Olá, eu sou Psicanalista, Jornalista, Teólogo e pai de 7 filhos maravilhosos! Presido o Instituto IESS (Instituto de Educação e Serviço Social) que, dentre outras atividades, provê atendimentos psicanalíticos, suporte jurídico por meio da arbitragem e mediação de conflitos. CIP (Psicanalista) sob nº 0001-12-PF-BR. DRT (Jornalista) sob n° 0009597/PR.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.