Justiça de Portugal pede a prisão de Lula no Brasil e STF pede mais informações

Por essa nem o todo poderoso Lula e nem o seu partido PT esperavam A Justiça de Portugal enviou um pedido para a imediata prisão de Luís Inácio Lula da Silva. Como se trata de um político brasileiro que ainda mantém foro privilegiado, por ser um ex-presidente da República, o STF – Supremo Tribunal Federal, antes de sequer analisar o pedido, requereu maiores informações à justiça de Portugal sobre o processo e as provas contra o ex-mandatário do executivo brasileiro, que sustentam o pedido de prisão. O Processo corre em segredo de justiça tanto em Portugal, como no Brasil.
O motivo do pedido de prisão seria o direto envolvimento de Lula no escândalo que envolve o envio de recursos (doações de campanha), vindos de Portugal, para a campanha do ex-presidente no valor total de R$ 700 milhões de reais. A doação foi feita pela Portugal Telecom, com recursos públicos do Governo Português, o que seria um crime federal.
Estes valores foram acertados entre Lula e o então ex-primeiro ministro de Portugal José Sócrates, que já está preso em Portugal.
O ex-primeiro-ministro de Portugal, José Sócrates, foi detido sob a acusação de ‘fraude fiscal, lavagem de dinheiro e corrupção ativa’. Sócrates foi detido ao desembarcar no aeroporto de Lisboa, em um voo procedente de Paris.
Como resposta as doações de Campanha vindas da Portugal Telecom, Lula assinou decretos beneficiando e dando isenção fiscais aos negócios da Portugal Telecom aqui no Brasil. Vale lembrar que a Portugal Telecom é acionista da OI no Brasil.
Uma fonte que pediu anonimato, foi ouvida por telefone pela REDE GNI e afirmou categoricamente que o pedido de prisão vindo de Portugal chegou ao STF no dia 26 de Novembro, mesmo dia em que chegou o requerimento especial de cooperação entre os países para facilitar a autorização da prisão e extradição para a Europa do ex-presidente Lula. Afirma ainda a mesma fonte que as provas já enviadas ao STF são sumárias e gravíssimas.
Segundo relatos de assessores próximos ao Palácio do Planalto, estas informações já chegaram aos ouvidos de Lula bem como de Dilma Rousseff, o que teria causado desespero na alta cúpula petista.
“O Ministério Público Português está obcecado pela prisão de Lula“, afirmou um importante jornalista português, que pediu anonimato em contato telefônico com a REDE GNI.
“Existe a real possibilidade da Justiça portuguesa decretar a prisão preventiva do Luiz Inácio Lula da Silva antes mesmo da Justiça brasileira, caso o STF não autorize a prisão de Lula” concluiu este mesmo Jornalista ouvido pela REDE GNI por telefone no dia 30 de Novembro. Caso a Justiça portuguesa decrete a prisão de Lula, ele ficaria impedido de viajar a qualquer país da Europa, sob o risco de ser preso imediatamente pela Interpol.
“A Justiça portuguesa não é tão seletiva, amistosa e tolerante como a Justiça brasileira“, concluiu.
O Jornal Português Público afirmou que a amizade do ex-primeiro ministro José Sócrates com o irmão do ex-ministro José Dirceu, Luiz Eduardo que foi preso recentemente em Portugal, é o elemento de ligação com Luís Inácio Lula da Silva, e o crime praticado em Lisboa.
Reportagem Exclusiva da REDE GNI – Com o apoio do Jornal Publico de Portugal — 02/11/2015
http://redegni.com/justica-de-portugal/

General aponta artilharia verbal contra Dilma e Aldo Rebelo, ministro da Defesa

O general da reserva Paulo Chagas, presidente da ONG Ternuma (Terrorismo Nunca Mais) apontou sua metralhadora verbal neste domingo, 1, contra o Palácio do Planalto (responsável, diz, pelo desgoverno do País) e o ministro da Defesa Aldo Rebelo, acusado pelo militar de fazer proselitismo político em nome de um partido (o PCdoB), e não trabalha em defesa do País como um todo.
Em texto publicado na página do ternuma, o general enfatiza que a Nação precisa levar a sério as advertências do general Mourão Martins, que acaba de perder o comando do III Exército, com sede em Porto Alegre, por ter conclamado seus comandados a ficarem em alerta acerca de uma eventual crise institucional mais profunda.
– Se um Ministro da Defesa se permite propalar as propostas ideológicas do seu partido e fazer propaganda enganosa de um governo falso e desonesto, porque um General de Exército, em qualquer função, deveria negligenciar do dever profissional de alertar seus comandados para as ameaças, até de emprego militar, que visivelmente pairam sobre a Nação?, afirma Paulo Chagas.
Intitulado ‘Os diplomatas, o ministro e o general’, o texto tem o seguinte teor:
Desde a criação do Ministério da Defesa (MD), tenho dito que a chefia desta pasta deveria ser confiada a um Diplomata. Continuo a pensar assim, apesar das duas experiências desastrosas que tivemos com José Viegas e Celso Amorim.
Julgo que, sendo a Defesa uma componente da Política Externa, nada mais lógico do que colocar no MD um Embaixador comprometido por vocação, formação e princípios, unicamente, com os interesses do Brasil, como são, pelas mesmas razões, os militares.
Da mesmo forma e por coerência, os Ministros da Defesa deveriam ser compelidos a proceder com as mesmas restrições lógicas que disciplinam o comportamento dos militares, isto é, deveriam restringir sua atuação e manifestações políticas aos temas que envolvem os interesses corporativos e profissionais das instituições militares e sua missão constitucional: defesa da Pátria, garantia do cumprimento das leis e manutenção da ordem interna.
Estas condicionantes explicam o fracasso das duas escolhas citadas, porquanto, ambos, tinham vínculos partidários e ideológicos com os governos a que serviam, e, como Ministros da Defesa, não tinham convicções e comportamento assemelhados aos dos militares, ou seja, não tinham o Brasil acima de tudo, mas o partido, suas propostas e seus compromissos ideológicos!
Assim pensando, em que pese o comportamento histórico do político Aldo Rebelo em defesa dos interesses militares no Congresso Nacional, o que lhe permitiu, muito justamente, integrar a “tropa amiga” naquela instituição, julgo patética, descabida e incoerente a sua participação na propaganda eleitoral do seu partido, o PC do B.
Embora sendo membro efetivo, e também histórico, do desgoverno que destruiu o Brasil e que, consequentemente, colocou em xeque todos os projetos estratégicos do seu Ministério, o Sr Aldo Rebelo, ao permitir-se participar de uma investida contra a verdade, já como Ministro da Defesa, dá provas de que, em sua escala de valores, o partido e a ideologia competem com os interesses do Brasil, contrastando com o exemplo que se espera de um brasileiro investido dessa função!
Apesar da sua reconhecida e louvável atuação parlamentar em benefício das causas dos profissionais das armas, comportar-se mais como político do que como Ministro da Defesa – pasta que visa a ser reconhecida como “órgão de Estado”, integrador da segurança e da defesa nacionais, e que pretende coordenar o esforço integrado e a direção superior das FFAA -, além de depor contra o elevado conceito de “tropa amiga” do Ministro Aldo Rebelo, abre precedente para que os homens e as mulheres que empunham as armas da Nação, apesar do controle e da disciplina a que são necessariamente submetidos, sintam-se “autorizados” a agir da mesma forma em defesa dos valores patrióticos que os fizeram ser, antes de mais nada, Soldados da Pátria!
Aí reside, provavelmente, a razão dos oportunos comentários, avisos e alertas preventivos feitos pelo Gen Antônio Hamilton Mourão Martins aos seus comandados durante sua profícua passagem pelo Comando Militar do Sul, pois, se um Ministro da Defesa se permite propalar as propostas ideológicas do seu partido e fazer propaganda enganosa de um governo falso e desonesto, porque um General de Exército, em qualquer função, deveria negligenciar do dever profissional de alertar seus comandados para as ameaças, até de emprego militar, que visivelmente pairam sobre a Nação?
www.notibras.com/site/general-aponta-artilharia-verbal-para-planalto-e-ministro-da-defesa/

Comentarista Chama Lula de Ladrão sem meias Palavras

Sem meias palavras Marco Antonio Villa, ilustre historiador, demonstra com clareza, quem de fato é o Luis Inácio Lula da Silva, ou seja, que esse verme, não passa de um mentiroso, ladrão, safado e sem vergonha… (ely silmar vidal) www.facebook.com/apostoloelyvidal/videos/737007399762316/?l=1590614900149377379

Resposta de André Basílio a Reinaldo Azevedo

Esse colunista, e que já foi trotskista, em manifestação na Rádio Jovem Pan, chama os Intervencionistas de burros.
Essa assertiva, mostra uma face infeliz do Reinaldo, uma vez que, por trás de um conhecimento bastante grande de assuntos diversos, ele não permite que os intervencionistas possam manifestar-se livremente. Qualifica os intervencionistas de burros, e até mesmo de golpistas.
Não consigo entender o blogueiro, pois, parece tapar os olhos para o que é obvio, que o Brasil está sofrendo um golpe, e que, não existe nada que possa impedir esse acontecimento, a não ser, a ação das Forças Armadas, que não por acaso, já em outras ocasiões, impediu o avanço desse assalto ao País.
Imagino que o radialista em questão, não apagou de todo o ranço trotskista de sua cachola, e que continua imaginando um militar como sendo o inimigo público número 1, imaginando ser Trotsky o grande líder… Reinaldo, nossos militares, não trazem em sua história, a pontinha, do dedo mínimo da maldade daquele a quem você reverenciava na sua trajetória trotskista, dado que Trotsky, seguia os pensamentos de Lenin, Marx, Engels, etc… (ely silmar vidal) www.facebook.com/apostoloelyvidal/videos/736958389767217/?l=2397085927686953019

E você, que fará quando te disserem que Herodes te quer matar?

Obreiros e pastores vejam este vídeo e se você ainda não sabe o que pregar, talvez este conteúdo te diga o que pregar. Ou seja, a sã doutrina, que justamente não é a que está sendo pregada e que é a que deve ser pregada.
“Naquele mesmo dia, chegaram uns fariseus, dizendo-lhe: Sai e retira-te daqui, porque Herodes quer matar-te.
E lhes respondeu: Ide e dizei àquela raposa: eis que eu expulso demônios, e efetuo curas, hoje e amanhã, e, no terceiro dia, sou consumado.
Importa, porém, caminhar hoje, amanhã e no dia seguinte, para que não suceda que morra um profeta fora de Jerusalém. (Lc 13:31-33) www.facebook.com/apostoloelyvidal/videos/736617349801321/?l=5284359830914041842

A farda não abafa o cidadão no peito do soldado

Meus Amigos!Não lamentemos o afastamento do General Mourão do seu posto à frente do COMANDO MILITAR DO SUL, o maior contingente de tropa e o mais bem equipado do EB. Antes pelo contrário, devemos aplaudir a iniciativa do Gen. Villas Bôas, que poupa o seu mais combativo General e seu porta voz de um desgaste prematuro de uma guerra que está prestes a iniciar.
O General não foi destituído pelo Min da Defesa. Foi um ato de rotina no EB, do Cmt do Exército que quis preserva-lo trazendo-o para perto de si. Aqui ela será mais útil que lá no Sul.
O Gen Mourão já fez o seu papel: treinou os seus soldados e deu o grito de insatisfação, um recado muito duro do EB e das FFAA que falam em nome do povo brasileiro.
Trouxe-o para Brasília, para dentro do campo de batalha, para perto dos inimigos da Pátria brasileira, onde agora auxiliará a ultimar os preparativos para a batalha final.
Devemos aplaudir e agradecer também a esses idiotas que ensejaram a movimentação do Gen. Mourão: deram mais um tiro nos pés, fizeram mais uma grande besteira. Deram mais uma cutucada na onça com vara curta, agora atingiram frontalmente toda as FFAA e despertaram todo seu efetivo, ativo e reserva, que indignado também pressionará os seus Comandantes a uma ação mais efetiva, sob pena de ficarem desmoralizados perante seus subordinados.
Podem ter certeza, tudo está sendo feito obedecendo a um planejamento. Ao invés de criticar, desacreditar e falar mal das FFAA, devemos, enaltece-la , incentiva-la e acreditar nelas.
Continuemos a pressionar esses traidores que o dia está próximo. Comecei este artigo com uma citação do Marechal Osório, o Marques do Herval, quando deixou o comando de tropa para exercer uma função administrativa no Império, para mostrar que a exerceria como se estivesse em combate e termino lembrando do Almirante Barroso, na Batalha de Riachuelo, na Guerra do Paraguai que já nos estertores da contenda, para dar o golpe de misericórdia no inimigo comandou: Sustentar o fogo que a vitória é nossa.
É assim que deve ser.
Forte abraço. (Cel Moézia)