Árvores e seus frutos

“Ou dizeis que a árvore é boa e o seu fruto, bom, ou dizeis que a árvore é má e o seu fruto, mau; porque pelo fruto se conhece a árvore.
Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.
O homem bom tira boas coisas do seu bom tesouro, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.
Mas eu vos digo que de toda palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no Dia do Juízo.
Porque por tuas palavras serás justificado e por tuas palavras serás condenado.” (Mt 12:33-37)

Bandidos, sim!

Já há alguns anos que o crime organizado atormenta a população dos grandes centros urbanos brasileiros. São quadrilhas fortemente armadas que disputam os melhores pontos de distribuição de drogas. O domínio dessas áreas resulta na submissão de comunidades inteiras expondo-as a todo tipo de crimes, incluindo os hediondos.
Diante da ousadia e do poder de fogo dos marginais, da leniência das autoridades e até mesmo da sociedade em geral, as forças policiais, sem o apoio, meios e preparo necessários para lidar com o fenômeno, têm se mostrado impotentes para manter a ordem e conter essa tragédia dos nossos tempos. Isso tem exigido, ainda que de forma episódica, a intervenção das próprias Forças Armadas. Os bandidos perderam o respeito.
Tragédia de muito maior dimensão para nós, no entanto, difícil de crer existir num país minimamente civilizado, se passa hoje na cúpula dirigente do País, exatamente dentre aqueles a quem caberia a nobre tarefa de garantir-nos bem-estar e desenvolvimento. Sem armas de fogo, mas respaldados na imunidade obtida por força do mandato que lhes foi outorgado pelo povo, integrantes dos poderes constituídos, e não são poucos, organizam-se como quadrilhas para travar uma guerra imoral, visando, a que custo for, manterem-se encastelados no poder e/ou ampliar suas vergonhosas regalias. Para isso, igual aos meliantes, praticam uma imensa variedade de crimes, por certo também os hediondos.
Roubam os recursos públicos, extorquem, fraudam. Dilapidam, sem dó nem piedade, um patrimônio duramente construído ao longo de tantos anos pelos verdadeiros brasileiros. “Sou imune, sou impune, estou acima da lei”, escarnecem com inominável cinismo. Perderam o respeito. Os interesses do Brasil, as necessidades das massas, o compromisso assumido com seus representados, nada significam para eles. E ainda há quem queira convencer-nos que nossas instituições funcionam dentro de um quadro de normalidade.
Os danos, esses são incomparavelmente maiores que os causados pelas quadrilhas de traficantes. Neste caso, o “ponto em disputa” é o próprio País. Somos nós, os mais de duzentos milhões de brasileiros os sujeitos à sanha desses autênticos marginais.
A FORÇA DA LEI aqui não pode falhar, precisa alcançá-los a qualquer custo, na plenitude e com todo o rigor, antes que nosso Brasil seja levado a uma situação de insolvência de consequências imprevisíveis. – (O PENSAMENTO DO CLUBE MILITAR – Gen Gilberto Pimentel – Presidente do Clube Militar – 23/10/2015)
http://clubemilitar.com.br/o-pensamento-do-clube-militar-12/

Deus fala e te anima

“Ninguém se susterá diante de ti, todos os dias da tua vida; como fui com Moisés, assim serei contigo; não te deixarei nem te desampararei.
Esforça-te e tem bom ânimo, porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria.
Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo para teres o cuidado de fazer conforme toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares.
Não se aparte da tua boca o livro desta Lei; antes, medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque, então, farás prosperar o teu caminho e, então, prudentemente te conduzirás.
Não to mandei eu? Esforça-te e tem bom ânimo; não pasmes, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo, por onde quer que andares.” (Js 1:5-9)

Político comunista Mauro Iasi pede fuzilamento de conservadores

Vamos mandar e-mail para a Universidade para que ele seja expulso dos quadros da entidade, o e-mail é: ouvidoria@ufrj.br
Mauro Iasi, Político comunista, presidente do PCB, prega o ódio contra opositores do comunismo e pede fuzilamento de conservadores. www.facebook.com/apostoloelyvidal/videos/732676303528759/?l=9103637158532600373

Sai Eva Chiavon e assume General como Secretário-geral da defesa

Sai Eva Chiavon e finalmente assume General como Secretário-geral da DEFESA – 19/10/2015
GENERAL assume LUGAR de EVA CHIAVON. Depois das seguidas “indisposições” com os comandos militares a Secretaria Geral da Defesa passa para as mãos de um General.
general-Joaquin-silva-e-lunaO general Joaquim Silva e Luna tem um currículo invejável. Ele já assumiu a função e, sem estardalhaço, cumpre as funções e comparece a eventos como Secretário-geral da DEFESA.
Joaquim Silva e Luna só muda de gabinete. O militar já era do alto escalão do Ministério da Defesa, ocupava o cargo de chefe do Estado Maior do Comandante Vilas Bôas.
www.sociedademilitar.com.br/wp/2015/10/sai-eva-chiavon-e-finalmente-assume-general-como-secretario-geral-da-defesa.html

Senhor, tu me levantas – “You Raise Me Up” – música: Rolf Løvland e letra: Brendan Graham

Quando estou triste
e minh’alma está cansada
Quando o problema faz o coração pesar
Então eu paro no meio do silêncio
Até que venhas ao meu lado sentar

Deus me levanta para alcançar montanhas
Deus me levanta para andar sobre o mar
Eu sou forte quando estou sobre Teus ombros
Deus me levanta mais do que eu possa alcançar

Quando estou triste
e minh’alma está cansada
Quando o problema faz o coração pesar
Então eu paro no meio do silêncio
Até que venhas ao meu lado sentar

Deus me levanta para alcançar montanhas
Deus me levanta para andar sobre o mar
Eu sou forte quando estou sobre Teus ombros
Deus me levanta mais do que eu possa alcançar (2X)
www.facebook.com/apostoloelyvidal/videos/732451300217926/?l=5506937288728296536

Coronel do Exército afirma que Brasil está a três passos de guerra civil

Os rumos que seguimos apontam para a probabilidade de guerra intestina.
Falta ainda homologar no Congresso e unir as várias reservas indígenas em uma gigantesca, e declarar sua independência. Isto não poderemos tolerar. Ou se corrige a situação agora ou nos preparemos para a guerra.
Quase tão problemática quanto a questão indígena é a quilombola. Talvez desejem começar uma revolução comunista com uma guerra racial.
O MST se desloca como um exército de ocupação. As invasões do MST são toleradas, e a lei não aplicada. Os produtores rurais, desesperançados de obter justiça, terminarão por reagir. Talvez seja isto que o MST deseja: a convulsão social. Este conflito parece inevitável.
O ambientalismo, o indianismo, o movimento quilombola, o MST, o MAB e outros similares criaram tal antagonismo com a sociedade nacional, que será preciso muita habilidade e firmeza para evitar que degenere em conflitos sangrentos.

Pela primeira vez em muito tempo, está havendo alguma discussão sobre a segurança nacional. Isto é bom, mas sem identificarmos corretamente as ameaças, não há como nos preparar para enfrentá-las.
A crise econômica e a escassez de recursos naturais poderão conduzir as grandes potências a tomá-los a manu militari, mas ainda mais provável e até mais perigosa pode ser a ameaça de convulsão interna provocada por três componentes básicos:
— a divisão do povo brasileiro em etnias hostis;
— os conflitos potenciais entre produtores agrícolas e os movimentos dito sociais;
— e as irreconciliáveis divergências entre ambientalistas e desenvolvimentistas.

Em certos momentos chega a ser evidente a demolição das estruturas políticas, sociais, psicológicas e religiosas, da nossa Pátria, construídas ao largo de cinco séculos de civilização cristã. Depois, sem tanto alvoroço, prossegue uma fase de consolidação antes de nova investida.
Isto ainda pode mudar, mas infelizmente os rumos que seguimos apontam para a probabilidade de guerra intestina. Em havendo, nossa desunião nos prostrará inermes, sem forças para nos opormos eficazmente às pretensões estrangeiras.
A ameaça de conflitos étnicos, a mais perigosa pelo caráter separatista
A multiplicação das reservas indígenas, exatamente sobre as maiores jazidas minerais, usa o pretexto de conservar uma cultura neolítica (que nem existe mais), mas visa mesmo a criação de “uma grande nação” indígena. Agora mesmo assistimos, sobre as brasas ainda fumegantes da Raposa-serra do Sol, o anúncio da criação da reserva Anaro, que unirá a Raposa/São Marcos à Ianomâmi. Posteriormente a Marabitanas unirá a Ianomâmi à Balaio/Cabeça do Cachorro, englobando toda a fronteira Norte da Amazônia Ocidental e suas riquíssimas serras prenhes das mais preciosas jazidas.
O problema é mais profundo do que parece; não é apenas a ambição estrangeira. Está também em curso um projeto de porte continental sonhado pela utopia neomissionária tribalista. O trabalho de demolição dos atuais Estado-nações visa a construção, em seu lugar, da Nuestra América, ou Abya Yala, idealizado provavelmente pelos grandes grupos financistas com sede em Londres, que não se acanha de utilizar quer os sentimentos religiosos quer a sede de justiça social das massas para conservar e ampliar seus domínios. O CIMI, organismo subordinado à CNBB, não cuida da evangelização dos povos indígenas segundo o espírito de Nóbrega, Anchieta e outros construtores de nossa nação. Como adeptos da Teologia da Libertação, estão em consonância com seus colegas que atuam no continente, todos empenhados na fermentação revolucionária do projeto comuno-missionário Abya Yala.
O processo não se restringe ao nosso País, mas além das ações do CIMI, a atuação estrangeira está clara:
— Identificação das jazidas: já feito;
— atração dos silvícolas e criação das reservas sobre as jazidas: já feito;
— conseguir a demarcação e homologação: já feito na maior parte;
— colocar na nossa Constituição que tratados e convenções internacionais assinados e homologados pelo congresso teriam força constitucional, portanto acima das leis comuns: já feito;
— assinatura pelo Itamarati de convenção que virtualmente dá autonomia à comunidades indígenas: já feito.

Falta ainda homologar no congresso e unir as várias reservas em uma gigantesca e declarar a independência, e isto não poderemos tolerar. Ou se corrige a situação agora ou nos preparemos para a guerra.
O perigo não é o único, mas é bastante real. Pode, por si só, criar ocasião propícia ao desencadeamento de intervenções militares pelas potências carentes dos recursos naturais — petróleo e minérios, quando o Brasil reagir.
Quase tão problemática quanto a questão indígena é a quilombola
A UnB foi contratada pelo Governo para fazer o mapa dos quilombolas. Por milagre, em todos os lugares, apareceram “quilombolas”. No Espírito Santo cidades inteiras, ameaçadas de despejo. Da mesma forma em Pernambuco. A fronteira no Pará virou um quilombo inteiro.
Qual o processo? Apareceram uns barbudos depiercings no nariz, perguntando aos afro-descendentes: “O senhor mora aqui?” “Moro.” “Desde 1988?” (o quilombola que residisse no dia da promulgação da Constituição teria direito à escritura). “Sim”. “Quem morava aqui?” “Meu avô.” “Seu avô por acaso pescava e caçava por aqui?” “Sim” “Até onde?” “Ah, ele ia lá na cabeceira do rio, lá naquela montanha.” “Tudo é seu.” E escrituras centenárias perdem o valor baseado num direito que não existe. Não tenho certeza de que isto não seja proposital para criar conflitos.

Tem gente se armando, tem gente se preparando para uma guerra. Temos de abrir o olho também para esse processo, que conduz ao ódio racial. Normalmente esquerdistas, talvez desejem começar uma revolução comunista com uma guerra racial.
Certamente isto vai gerar conflitos, mas até agora o movimento quilombola não deu sinal de separatismo.

Os Conflitos Rurais — talvez os primeiros a eclodir
O MST se desloca como um exército de ocupação, mobilizando uma grande massa de miseráveis (com muitos oportunistas), dirigidos por uma liderança em parte clandestina. As invasões do MST são toleradas e a lei não aplicada. Mesmo ciente da pretensão do MST de criar uma “zona livre”, uma “república do MST” na região do Pontal do Paranapanema, o Governo só contemporiza; finge não perceber que o MST não quer receber terras, quer invadi-las e tende a realizar ações cada vez mais audaciosas.
É claro que os produtores rurais, desesperançados de obter justiça, terminarão por reagir. Talvez seja isto que o MST deseja; a convulsão social, contando, talvez, com o apoio de setores governamentais como o Ministério do Desenvolvimento Agrário. Segundo Pedro Stédile: “O interior do Brasil pode transformar-se em uma Colômbia. A situação sairá de controle, haverá convulsões sociais e a sociedade se desintegrará.”
Este conflito parece inevitável. Provavelmente ocorrerá num próximo governo, mas se ficar evidente a derrota do PT antes das eleições, é provável que o MST desencadeie suas operações antes mesmo da nova posse.

O ambientalismo distorcido, principal pretexto para uma futura intervenção estrangeira
Já é consenso que o ambientalismo está sendo usado para impedir o progresso, mesmo matando os empregos Caso se imponham os esquemas delirantes dos ambientalistas dentro do governo, com as restrições de uso da terra para produção de alimentos, um terço do território do País ficará interditado a atividades econômicas modernas.
Há reações, dos ruralistas no interior do País, nas elites produtivas e até mesmo em setores do governo, mas as pressões estrangeiras tendem a se intensificar. Se bem que raramente o meio ambiente serviu de motivo para guerra, hoje claramente está sendo pretexto para futuras intervenções, naturalmente encobrindo o verdadeiro motivo, a disputa pelos escassos recursos naturais.
No momento em que a fome ronda o mundo, o movimento ambientalista, a serviço do estrangeiro, mas com respaldo do governo e com apoio de uma massa urbana iludida, chama de “terra devastada” àqueles quadrados verdejantes de área cultivada, que apreciamos ver na Europa e nos Estados Unidos, e impede a construção de hidrelétricas para salvar os bagres. Com a entrada da Marina Silva na disputa eleitoral, nota-se, lamentavelmente, que todos os candidatos passarão a defender o ambientalismo, sem pensar se é útil para o País.

A três passos da guerra civil
O ambientalismo, o indianismo, o movimento quilombola, o MST, o MAB e outros similares criaram tal antagonismo com a sociedade nacional, que será preciso muita habilidade e firmeza para evitar que degenere em conflitos sangrentos.
Várias fontes de conflito estão para estourar, dependendo da radicalização das más medidas, particularmente do Ministério da Justiça:

— Roraima não está totalmente pacificada;
— o Mato Grosso do Sul anuncia revolta em função da decisão da Funai em criar lá novas reservas indígenas;
— no Rio Grande, os produtores rurais pretendem reagir às provocações do MST;
— Santa Catarina ameaça usar a PM para conter a fúria ambientalista do ministro Minc, que queria destruir toda a plantação de maçã.

Uma vez iniciado um conflito, tudo indica que se expandirá como um rastilho de pólvora. Este quadro, preocupante já por si, fica agravado pela quase certeza de que, na atual conjuntura da crise mundial o nosso País sofrerá pressões para ceder suas riquezas naturais — petróleo, minérios e até terras cultiváveis — e estando dividido sabemos o que acontecerá, mais ainda quando uma das facções se coloca ao lado dos adversários como já demonstrou o MST no caso de Itaipu.

Bem, ainda temos Forças Armadas, mas segundo as últimas notícias, o Exército (que é o mais importante na defesa interna) terá seu efetivo reduzido. Será proposital?
Que Deus guarde a todos vocês.
O cel. Gelio Fregapani é escritor, atuou na área do serviço de inteligência na região Amazônica, elaborou relatórios como o do GTAM, Grupo de Trabalho da Amazônia.
www.folhapolitica.org/2013/07/coronel-do-exercito-afirma-que-brasil.html?m=1

BOMBA DE EFEITO RETARDADO

PASSADOS 32 DIAS, EXPLODE NACIONALMENTE O TEOR DE PALESTRA DO COMANDANTE MILITAR DO SUL
“A MERA SUBSTITUIÇÃO DA PR(PRESIDENTE DA REPÚBLICA) NÃO TRARÁ UMA MUDANÇA SIGNIFICATIVA NO “STATUS QUO” … ” A VANTAGEM DA MUDANÇA SERIA O DESCARTE DA INCOMPETÊNCIA, MÁ GESTÃO E CORRUPÇÃO” – General de Exército Antonio Hamilton Martins Mourão, Comandante Militar do Sul no CPOR de Porto Alegre, em 17 de setembro de 2015.
O Cristalvox “cravou” em 18 de setembro, que o teor da palestra proferida pelo General de Exército Antonio Hamilton Martins Mourão, Comandante Militar do Sul no CPOR de Porto Alegre era explosiva. Que as expressões SOBREVIDA, QUEDA CONTROLADA, RENOVAÇÃO E CAOS, referindo-se ao atual estágio politico do Brasil não poderiam ser recebido como simples alocução. A crise política se agravou muito de lá para cá, passados 32 dias. Os Presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados são alvo de denúncias gravíssimas e a Presidente da República viu serem instalados 02 procedimentos contra sua atuação. Uma política no TSE, outra administrativa no TCU. Ambas podem levar a perda de mandato de Dilma Rousseff.
O Jornal a Folha de São Paulo que passou a explorar com intensidade a palestra do General Mourão nesta segunda, 19, detalha a “fala” do Comandante. Cita a expressão: ” A substituição da presidente da República não altera de fato o “status quo”…
A Folha informa que teve acesso a fotografias que mostram o general Mourão realizando uma apresentação de slides. Em um deles, nas considerações finais, o General afirma que mudar é preciso. ” que neste momento de crise, toda a consciência autônoma, livre e de bons costumes precisa despertar para a luta patriotica, contribuindo para a autoestima nacional, do orgulho de ser brasileiro e da esperança no futuro”.
O Jornal também lembra que: ” O Comando Militar do Sul, liderado pelo General Antonio Mourão, reúne Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. Sob o comando do General, está o maior efetivo do país – 48 mil dos 217 mil militares do Exército brasileiro.
http://cristalvox.com.br/2015/10/19/bomba-de-efeito-retardado-passados-32-dias-explode-nacionalmente-o-teor-de-palestra-do-comandante-militar-do-sul/ – www1.folha.uol.com.br/poder/2015/10/1695840-general-critica-politicos-em-palestra-e-pede-despertar-para-a-luta-patriotica.shtml

PT desvia bilhões da Casa da Moeda do Brasil

O PT desviou bilhões de reais da Casa da Moeda do Brasil, para uma empresa de fachada de Luiz Inácio Lula da Silva nas Ilhas Cayman. Dinheiro oriundo de notas que tinham que ser destruídas e que foram desviadas para contas da quadrilha PTralha. Contas administradas por Gilberto Carvalho. Isto merece ser investigado.
“Atacai-o onde não estiver preparado. Executai as vossas investidas somente quando não vos esperar.” (Sun Tzu) www.facebook.com/apostoloelyvidal/videos/732370856892637/?l=5212780848720227268

Humildade e vigilância

“Aos presbíteros que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar:
apascentai o rebanho de Deus que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto;
nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho.
E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa de glória.” (1 Pe 5:1-4)

JEOVÁ é o único Deus. Israel deve ter confiança unicamente nele

“Mas tu, ó Israel, servo meu, tu Jacó, a quem elegi, semente de Abraão, meu amigo,
tu, a quem tomei desde os confins da terra e te chamei dentre os seus mais excelentes e te disse: tu és o meu servo, a ti te escolhi e não te rejeitei;
não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te esforço, e te ajudo, e te sustento com a destra da minha justiça.
Eis que envergonhados e confundidos serão todos os que se irritaram contra ti; tornar-se-ão nada; e os que contenderem contigo perecerão.
Buscá-los-ás, mas não os acharás; e os que pelejarem contigo tornar-se-ão nada, e como coisa que não é nada, os que guerrearem contigo.
Porque eu, o SENHOR, teu Deus, te tomo pela tua mão direita e te digo: não temas, que eu te ajudo.
Não temas, ó bichinho de Jacó, povozinho de Israel; eu te ajudo, diz o SENHOR, e o teu Redentor é o Santo de Israel.” (Is 41:8-14)

Povo escolhido – (Abdias e Eliane)

Grande é o nosso gozo de sermos o povo por Deus escolhido
Somos nação santa, somos a eleita, povo adquirido
Somos sal da terra, somos luz do mundo, a Bíblia que diz
Somos de outra parte, de outro planeta, de outro país
Este é o motivo da nossa alegria
este é o motivo da nossa emoção
e se não bastasse do céu nós ainda somos cidadãos
Éramos perdidos, Jesus nos achou, na cruz nos comprou, com seu sangue puro por esta razão é que ser Cristão, é motivo de orgulho
Em todo lugar onde a noiva está, Deus está presente
não nos ignore, não somos melhores, somos diferentes
Contra principados, contra potestades é a nossa guerra
Somos conhecidos por sermos o povo mais feliz da terra.
Este é o motivo da nossa alegria
Este é o motivo da nossa emoção
e se não bastasse do céu nós ainda somos cidadãos
Éramos perdidos Jesus nos achou, na cruz nos comprou, com seu sangue puro por esta razão é que ser Cristão, é motivo de orgulho
por esta razão é que ser Cristão, é motivo de orgulho
www.facebook.com/apostoloelyvidal/videos/731720763624313/?l=5577351985541627423

Vaso de barro – Abdias e Eliane

Eu sou um vaso, não de prata, nem de ouro
Vaso nobre valoroso, que ninquém pode tocar
Eu sou um vaso, não de um material raro,
Eu sou um vaso de barro bem mais facil de quebrar.

Vaso de barro quantas vezes sou quebrado, e de novo sou levado Ao oleiro que me fez
Ele me olha com seu olhar piedoso
Torna-me fazer de novo e me enche outra vez

O vaso é fragil, e o tempo vai passando
Então vai se desgastando com as lutas que se tem
O pobre vaso, por ser fragil e de barro,
É preciso ser levado ao oleiro outra vez

Todas as vezes que volto às mãos do oleiro
Sinto amor verdadeiro
Que o oleiro tem por mim
Eu sou de barro mas o oleiro
Me ama como a menina dos seus olhos
Ele cuida bem de mim.
www.facebook.com/apostoloelyvidal/videos/731689256960797/?l=839416873927464134