119 famílias são despejadas do Minha Casa Minha Vida em Curitiba – (Gabriel Henrique – 25/09/2015)

O discurso, mudou.Ministério das Cidades garantiu que Minha Casa não era um financiamento como outro qualquer, mas uma política social para reduzir o déficit habitacional. Depois da eleição, Ministério das Cidades informou agora que adotará o que diz a lei para os casos de inadimplência, ou seja, entregar o imóvel para outra família
O governo federal decidiu retomar os imóveis dos beneficiários mais carentes do programa Minha Casa Minha Vida que estão inadimplentes há mais de três meses. A Caixa Econômica Federal apertou a cobrança das prestações que estão atrasadas. Passou a ligar e a enviar SMS para os beneficiários logo após os primeiros dias de vencimento.
Motivos :
O primeiro passo para retomar os imóveis dessas famílias foi dado no fim do ano passado pela presidente Dilma Rousseff.Ela modificou uma lei para determinar que os imóveis tomados tem de ser reincluído no programa, para ser direcionado a outro beneficiário que está na lista de espera do Minha Casa.
http://noticiasbrasilnews.blogspot.com.br/2015/09/119-familias-sao-despejadas-do-minha.html

O Antagonista – Lula na cadeia. Tá decidido

Lula e Dilma Rousseff “não apenas sabiam da existência do petrolão como agiram pessoalmente para mantê-lo em funcionamento”.
Foi o que disse Pedro Corrêa aos procuradores da Lava Jato, segundo a Veja.
Preso desde abril, o mensaleiro pode se tornar o primeiro político a aderir à delação premiada.
Pedro Corrêa contou como nasceu o Petrolão, “numa reunião realizada no Planalto, com a participação dele, de Lula, de integrantes da cúpula do PP e dos petistas José Dirceu e José Eduardo Dutra, presidente da Petrobras”.
O PP pleiteava a nomeação de Paulo Roberto Costa para a diretoria de Abastecimento da estatal. Dutra defendia o nome de um petista.
Lula ordenou: “É para nomear o Paulo Roberto. Tá decidido”.
http://www.oantagonista.com/posts/lula-na-cadeia-ta-decidido

Surgem os ministros (as) arrependidos (as) – 25/09/15

A reação negativa ao fatiamento da Lava Jato já fez alguns ministros e ministras reavaliarem sua posição — e um novo debate no plenário do STF, eventualmente provocado por embargos da PGR, pode ter resultado diferente.
Para esses “ministros arrependidos”, a questão parece agora bem maior do que era quando foi aventada por Dias Toffoli.
Consolida-se a ideia de que o debate sobre a competência do juízo do inquérito da Pixuleco II – uma das fases da Lava Jato – merece reflexão especial e nunca poderia ter sido tratado de forma banal, numa sessão apressada apoiada num voto torto de Dias Toffoli e na obscura teoria da higienização de Ricardo Lewandowski.
Estamos falando de uma organização criminosa de atuação transnacional, e não de ladrões de galinha.
http://www.oantagonista.com/posts/surgem-os-ministros-as-arrependidos-as

Modelo Comunista de Cuba é o Sonho PTralha para o Brasil

Nos Planos de Lula e Dilma o que impera é o modelo comunista de Cuba.
Diante destes fatos o povo brasileiro deve tomar conhecimento de cinco grandes verdades:
1ª – Sim, o povo brasileiro lutou, pacificamente, contra a “ditadura militar”, a favor da liberdade e da democracia.
2ª – Dilma e seus guerrilheiros, treinados e apoiados por Cuba, também lutaram, mas, com armas, bombas e terrorismo. No entanto, ao contrário do povo brasileiro, Dilma e seus comandados, lutaram com um único objetivo: “Implantar o comunismo no Brasil.”
3ª – Dilma e seus revolucionários, graças a Deus, foram derrotados, presos ou se exilaram em Cuba. Posteriormente, anistiados.
4ª – Através dos movimentos sociais, políticos e estudantis, os brasileiros reconquistaram a democracia e a liberdade.
5ª – Dilma e seus revolucionários, integrantes do PT e PCdoB, apoiados por Fidel Castro e Hugo Chaves, continuam com o firme propósito de implantar o comunismo no Brasil
http://www.facebook.com/apostoloelyvidal/videos/723111831151873/?l=2077215054351318665

NOTA DOS CLUBES MILITARES – Decreto nº 8515 – 25/09/2015

O que se sabe do Decreto nº 8515, originado no MD e assinado pela Presidente da República no início deste mês, é que o mesmo retira poderes dos Comandantes das Forças. Conclui-se que o documento foi elaborado e emitido por incompetência, dolo ou até mesmo pelas duas razões. Aliás, esses aspectos muitas vezes estiveram presentes nos atos desse governo.
A incompetência fica evidente em toda a tramitação do decreto. E a probabilidade do dolo, por estar inserido nele artigo fora do contexto – e que vai ao encontro de antiga aspiração dos ideólogos de esquerda, hoje no governo – a de exercer influência na elaboração dos currículos das escolas militares. O outro aspecto que indica o dolo foi se fraudar a assinatura de um Comandante de Força que, na ocasião, respondia pelo MD por motivo de viagem do seu titular.
No nosso entendimento, os Comandantes de Força atuaram com determinação, coesos, no limite de seus poderes, na tentativa de reverter o teor do documento. Embora positivos, os resultados obtidos, no que se refere aos seus efeitos práticos, são insuficientes – no nosso entendimento e no de vários juristas, dentre eles um ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, também ex-ministro da Defesa. O documento não pode existir, deve ser anulado, dizem, por ser inconstitucional. Espera-se por sua anulação.
Como a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara de Deputados chamou a si a apuração do problema, estaremos atentos ao resultado, inclusive quanto à punição dos responsáveis e um necessário pedido de desculpas aos prejudicados.
V Alte Paulo Frederico Soriano Dobbin – Presidente do Clube Naval
Gen Div Gilberto Rodrigues Pimentel – Presidente do Clube Militar
Maj Brig-do-Ar Marcus Vinícius Pinto Costa – Presidente do Clube da Aeronáutica
http://clubemilitar.com.br/nota-dos-clubes-militares-decreto-no-8515/

Mais de 1300 juízes de todo o País apoiam Sérgio Moro

SÉRGIO MORO! JÁ SÃO MAIS DE 1.300 JUÍZES DE TODO O PAÍS A APOIÁ-LO. STF MEXEU NUM GIGANTESCO VESPEIRO
Postado na página JUÍZES EM AÇÃO, mais de 1300 Magistrados Estaduais, Federais, do Trabalho, Desembagadores Estaduais, Federais e do Trabalho, de forma espontânea, não associativa e sem caráter político-partidário, firmaram nota em apoio a Sérgio Moro, Juiz Federal que comanda a operação Lava Jato.
Embora a nota tenha sido divulgada antes da decisão do STF em fatiar a Lava Jato, os Magistrado brasileiros já anteviam a interferência política do STF no trabalho de Sérgio Moro. Refletem sua desconformidade com a tentativa de esvaziar o trabalho desenvolvido em Curitiba pela Força Tarefa que investiga o maior escândalo político/finaceiro da história do Brasil.
Confira a íntegra em primeira mão:
NOTA EM APOIO AO JUIZ SÉRGIO MORO
Os juízes abaixo nominados vêm, publicamente, prestar apoio ao colega Sérgio Moro, magistrado que atua no julgamento dos processos originados da chamada Operação Lava-Jato.
A Constituição Federal assegura o devido processo legal, e, dentre as suas medidas, que o caso seja julgado por um juiz natural, isto é, não escolhido especificamente para a situação, dotado das garantias de independência que conduzem a uma decisão nos termos da lei, e não conforme os interesses particulares e pressões externas. Trata-se de uma prerrogativa em favor da população de que encontrará um magistrado imparcial e independente.
O que se vê, no entanto, são invectivas incessantes e infundadas à imagem e à atuação do juiz Sérgio Moro na tentativa de evitar que continue fazendo o seu trabalho.
A pressão e os ataques externos são reais e afetam inúmeros juízes em todo o Brasil. A interferência do poderio político e econômico é uma constante no país. É uma realidade amarga que o Brasil precisa reconhecer e combater se quiser ser uma Democracia verdadeira.
As decisões judiciais são fundamentadas, respaldadas na lei e públicas, sujeitas ao sistema de recurso daqueles que estão insatisfeitos. Atacar a figura do julgador ou tentar atingir a autonomia do magistrado é atitude dos que sabem que não estão amparados pela legalidade.
Assim também o são as decisões do colega Sérgio Moro: fundamentadas, públicas e continuamente examinadas pelos Tribunais nos recursos interpostos pelos réus, por sua vez assistidos por respeitadas bancas de advocacia. Não há indicativo de qualquer violação ao ordenamento jurídico, de forma que a tentativa de aviltar a figura do juiz, como acontece não apenas no caso da Operação Lava-Jato, é um ensaio para evitar o julgamento dos fatos e as consequências daí decorrentes.
Somente àqueles que temem a aplicação da lei interessa limitar a atuação do juiz, restringindo cada vez mais sua liberdade de decisão e a segurança de sua independência.
Não existem pessoas imunes às leis numa República, e, quanto mais alto o cargo, maiores os deveres. Urge a participação popular para fazer o que é certo no cotidiano, para denunciar o que é errado e para apoiar as autoridades que estão lutando por um mundo mais justo, compassivo e ético.
Os signatários tornam público seu apoio irrestrito e sua confiança na atuação imparcial dos membros do Poder Judiciário para a apuração e julgamento dos fatos.
SIGNATÁRIOS:
Eduardo Perez Oliveira – TJGO
Rita de Cássia Ramos de Carvalho – TJBA
Flávia Cavalcanti – TJPB
Mirla Regina da Silva Cutrim – TJAC
Dênio Silva Thé Cardoso – JFSP
Rosana Basilone Leite Furlani – TRTSC
Celso Antunes da Silveira Filho – TJAM
Kéops de Vasconcelos Amaral Vieira Pires – TJPB
Letícia Silva Carneiro de Oliveira Ribeiro – TJGO
Marcia Rita de Oliveira Mainardi – TJRS
Yedda Christina Ching San Filizzola Assunção – TJRJ
Isabelle Sacramento Torturela- TJAC
Alberto Moreira Cortes Neto – TJPR
Alexandre Abrahão Dias Teixeira – TJRJ
Luciane Cristina Duarte dos Santos – TJGO
Clara de Faria Queiroz – TJPB
Josias Menescal Lima de Oliveira – TJCE
Marcia Oliveira Fernandes Menescal de Lima – TJCE
Jailson Shizue Suassuna – TJPB
Placidina Pires – TJGO
Adimaura Souza da Cruz – TJAC
Fabiana dos Santos Kaspary – TJRS
Ana Lia Beall – TJSP
Luciana Ribeiro –TRT-RJ
Hamilton Gomes Carneiro – TJGO
Teresa Cristina de Lyra Pereira Veloso – TJPB
Maria do Rosário Passos da Silva Calixto – TJBA
Ana Cláudia Silva Mesquita – TJBA
Maria de Fátima Guimarães Pimentel de Lima – TJSP
Lilian Cananéa TJPB
Erika Silva Boquimpani – TRT24
Débora Letícia Dias Veríssimo –TJGO
Max Nunes de França – TJPB
Alessandra Varandas Paiva Madruga de Oliveira Lima – TJPB
Ana Cláudia Caurel de Alencar – JFSP
Cristiana Maria Valadares Fenelon – TRT 3
Denise Mendonça – TJGO
Andrea Miranda Costa – TJMG
Renata Câmara – TJPB
Vanessa Moura – TJPB
Agnaldo Rodrigues Pereira – TJMG
Wolfram da Cunha Ramos – TJPB
Monica Labuto Fragoso Machado – TJRJ
Max Akira Senda de Brito – TJRS
Edmundo José Lavinas Jardim – TJMG
Sandra Regina Teodoro Reis – TJGO
Leopoldina Fernandes – TJCE
Bernardo Frigeri – TRT 15
Higyna Josita Simões de Almeida – TJPB
Claudio Müller Pareja – TJMS
Josemar Dias Cerqueira –TJBA
Vanessa Guimarães da Costa Vedovotto – TJMG
Rafael Imbrunito Flores – TJSP
Mauricio Bearzotti de Souza – TRT 15
Manoel Simões Pedroga – TJAC
Marcel Luciano H. V. dos Santos – TRT 12
Marcelo Assiz Ricci – TJSP
Ana Claudia Magalhães – TJGO
Antonio Dantas de Oliveira Júnior – TJTO
Hugo Barbosa Torquato Ferreira – TJAC
Antonio Carlos Parreira –TJMG
Ana Amelia Andrade Alecrim Camara- TJPB
Maria Veronica Moreira Ramiro – TJBA
Elizabeth Maria da Silva – TJGO
Fernando Brasilino Leite – TJPB
Deborah Guarines – TJCE
José Proto de Oliveira – TJGO
Fábio Moreira Ramiro – JFBA
Marcus Vinicius Alves de Oliveira – TJGO
Claudia Panetta – TJBA
Epitácio Cruz – TJCE
Antônio Gonçalves Ribeiro Junior – TJPB
Giuliana Madruga – TJPB
Andrea Gonçalves Lopes Lins – TJPB
Marcio Murilo da Cunha Ramos – TJPB
Vanessa Andrade Dantas Liberalino – TJPB
Micheline Jatoba – TJPB
Marcos Jatoba – TJPB
Fabiana da Cunha Pasqua – TJMG
André R. Botasso – TJMG
Miriam Vaz Chagas – TJMG
Rodrigo Melo Oliveira – TJMG
Maycon Jésus Barcelos – TJMG
Daiton Alves de Almeida – TJMG
Cecília Natsuko Miahira Goya – TJMG
Paulo Roberto Caixeta – TJMG
Maria da Glória Reis – TJMG
Maria Lúcia Cabral Caruso – TJMG
Maurício Simões Coelho Júnior – TJMG
Tania Maria Elias Chain – TJMG
Marcus Abreu de Magalhães –TJMS
Rodrigo Márcio de Souza Rezende – TJMG
Marina de Alcântara Sena – TJMG
Eduardo Viana – TJMG
Patrícia Santos Firmo –TJMG
Antônio Carneiro Silva – TJMG
Evandro Cangussu – TJMG
Gustavo Henrique Moreira do Valle – TJMG
Josselma Lopes da Silva Lages – TJMG
Eveline Veras – TJCE
Ulysses Gonçalves da Silva Neto – TJPI
Maurício Simões de Almeida Botelho Filho –TJSP
Anderley Marques – TJPB
Candice Queiroga – TJPB
Nilseu Buarque de Lima – TJMG
Fernando Lins – TJMG
Marco Antonio Roberto de Oliveira – TJMG
Eduardo Araújo – TJMG
Antonio Adolpho Souza – TJMG
Wagner Aristides Machado da Silva Pereira – TJMG
Alexandre Ferreira – TJMG
Juliana Elian Miguel – TJMG
Ricardo de Oliveira – TJMG
Israela Pontes – TJPB
Nelson Augusto Bernardes de Souza – TJSP
Cristiana Martins Gualberto Ribeiro – TJMG
Átila Andrade de Castro – TJMG
Carlos Eduardo Vieira Gonçalves – TJMG
Adriana Fonseca Barbosa Mendes – TJMG
Elaine de Campos Freitas – TJMG
Cínthia Faria Honório Delgado – TJMG
Túlio Márcio Lemos Mota Naves – TJMG
Jose Roberto Poiani – TJMG
Aline Cristina Modesto da Silva – TJMG
Fabiano Veronez – TJMG
Gustavo Alexandre da Câmara Leal Belluzzo – TJSP
Louise Kristina Lopes de Oliveira Santana – TJAC
Eliene Simone Silva Oliveira – TJBA
Zenice Mota Cardozo – TJAC
Lilian Deise Braga Paiva – TJAC
Olivia Maria Alves Ribeiro – TJAC
Carolina Álvares Bragança – TJAC
Gustavo Procopio – TJPB
Ruy Jander Teixeira da Rocha – TJPB
Fernando Teles – TJCE
Guilherme Aparecido do Nascimento Fraga – TJAC
Elison Pacheco – TJCE
Welithon Mesquita – TJCE
Marlon Martins Machado – TJAC
Rosilene Facundo – TJCE
Maria Rosinete dos Reis Silva – TJAC
Antônio Carneiro de Paiva Junior – TJPB
Jôas de Brito Pereira Filho – TJPB
Carlos Martins Beltrão Filho – TJPB
Maria dos Remédios Pordeus Pedrosa Veloso de França – TJPB
Ana Paula Saboya Lima – TJAC
Erika Silveira de Morais Brandão – TJSP
José Fernando Steinberg – TJSP
Fabiola Brito do Amaral – TJSP
Viviani Berton Chaves – TJSP
Paulo Henrique Aduaneiro Correa – TJSP
Camila Corbucci Monti Manzano – TJSP
Carlos Henrique Scala de Almeida – TJSP
Dasser Lettiére Júnior – JFSP
Maria Aparecida Sarmento Gadelha- TJPB
Roberto Cristiano Tamantini – JFSP
Wilson Pereira Junior – JFSP
José Wally Gonzaga Neto – TRT 9
Marcia Cristie Vieira Melgaço – TJBA
Simone Boing Guimarães – TJSC
Myrna Fabiana Monteiro Souto – TJMG
Lírio Hoffman Júnior – TJSC
Reginaldo L. Pierroti Jr – TRT 15
Fernanda Franklin da Costa Ramos TRT 16
Saulo Lima – TJSC
Marília Castro Neves – TJRJ
José Maurício Pinto de Almeida – TJPR
Rodrigo Reiff Botelho – JFES
Claudia Felix de Lima – TJSP
Leonardo Hernandez Santos Soares – JFMT
Tatiane Buquera – TRT 9
Karyne Chagas de Mendonça Brandão – TJRN
Rodrigo Alves – TJRJ
Adenir Pereira da Silva – JFSP
Glauco Costa Leite – TJSP
Paulo Regis – TJPB
Hugo Zaher – TJPB
Andressa Torquato – TJPB
Daniel scaramella moreira – TJMS
André Magalhães – TJCE
Fabrício Fernandes de Castro – JFRJ
Jovanessa Ribeiro Silva Azevedo Pinto – TJSP
Isabelle Guimarães – TJPB
Erika Guimarães Gonçalves Dovera – TRT 16
Renato Zanela P. C. Gandini – TJSP
Luiz Eduardo Cantalice – TJPB
Ana Carolina Cantalice – TJPB
Guilherme Schilling – TJRJ
Andrea Arcoverde Cavalcanti Braz – TJPB
Herivelto Araújo Godoy – TJSP
Ramonilson Gomes – TJPB
Cláudia Wider – TJRJ
Alysson Kneip Duque – TJMS
Patricia Pereira de Sant’Anna – TRT 12
Felipe Arthur Winter – TRT SC
Sônia Battistela – TJRS
Nilce Regina Lima – TJPR
Michelle Menezes Quadros Patrício – TJBA
Carolina Nunes Vieira – TJSP
Rafael Brüning – TJSC
Maria Aline Cazali Oliveira – TJRS
Newton Fabrício – TJRS
Camila Novaes Lopes – TJRJ
George Lins – TJAM
Carlos Alberto Bezerra Chagas – TJPI
Miguel de Britto Lyra Filho – TJPB
Márcio Trindade Dantas – TJPR
Marcia Souza – JFSP
Fernanda Jörgensen Geronasso – TJPR
Guilherme Fernandes Cruz Humberto – TJSP
Marcelo Augusto Oliveira – TJSP
Danilo Marques Borges – TJRJ
Hermance Gomes Pereira – TJPB
Felipe Barros – TJRN
Marcelo Felipe Pulner Pietroski – TJPR
Andrea Marodin Ferreira Hofmeister – TJRS
Carlos Martins – TJDFT
Cristina Cotrofe – TJSP
Luciana da Cunha Martins Oliveira – TJRJ
Andrea Russar Rachel – TJPR
Antonio Carlos Santoro Filho – TJSP
Isaias Vinicius Simões – TJBA
Humberto Nogueira – TJBA
Eduarda Lima Vidal – TJBA
Paulo Roberto Lyrio Pimenta – JFBA
Eduardo Augusto Ferreira Abreu – TJBA
Ávio Mozar José Ferraz de Novaes – JFBA
Luisa Ferreira Lima de Almeida – JFBA
Marcel Peres Oliveira – JFBA
Gilberto Pimentel de Mendonça Gomes Junior – JFBA
Indira Fabia dos Santos Meireles – TJBA
Durval Carneiro Neto – JFBA
Rafael Ianner Silva – JFBA
Bárbara Correia de Araújo Bastos – TJBA
Maria Carmen Heráclio do Rêgo Freire Farinha – TJPB
Conceição de Lourdes Marsicano de Brito Cordeiro – TJPB
José Irlando Sobreira Machado – TJPB
João Batista de Castro Júnior – JFBA
Joelma Ribeiro Nogueira – TJAC
Luana Cláudia de Albuquerque Campos – TJAC
André Ricardo de Carvalho Costa – TJPB
Marla Consuelo Santos Marinho – JFBA
Marielza Brandão Franco – TJBA
Cristiane Menezes Barreto – TJBA
Carine Nassri Silva – TJBA
Thais Queiroz Borges de Oliveira Abou Khalil – TJAC
Diogo Souza Santa Cecília – JFBA
Vitor Bizerra – TJBA
Marcus Vinicius de Oliveira Elias – TJMS
Marcos de Jesus Gomes – TJSP
Marcus Frazão Frota – TJSP
Ana Carolina Dias Lima Fernandes – JFBA
Justino Farias – TJBA
Ionê Marques Jacobina – TJBA
Carlos Simaro – TJBA
Alessandra Vasconcelos Dumas de Medeiros Neto – TJBA
Milena Watt- TJBA
Andréa Fabiane Groth Busato – TJPR
Luís Antônio Saud Teles – TJRS
Marco Antonio Folegatti de Rezende – TRT 15a Região
Fernanda Yumi Furukawa Hata – TJSP
Margareth Aparecia Sanches de Carvalho – TJDFT
Dayse Lemos de Oliveira – TJSP
Dalma Diamante Gouveia – TRT 24
Ana Claudia Costa Barreto –TJDFT
Fernanda Gonçalves – TJSP
Fernanda Oliva Cobra Valdívia TRT 2a. Região
Luiz Gustavo Giuntini de Rezende – TJSP
José Tadeu Picolo Zanoni – TJSP
Nilza Maria Costa dos Reis – JFBA
Elbia Rosane Souza Araújo – TJBA
Rafael da Cruz Gouveia Linardi – TJSP
Gisele Gonçalves Dias – TJRJ
Charles Jacob Giacomini – TRF4
Letícia Bernardes da Silva – TJRS
Clóvis Fernando Schuch Santos – TRT 4
Brigida Barcelos Toschi – TRT 4
Érika Cristina de Lacerda Brandão Raskin – TJSP
Rodrigo Koehler Ribeiro – JF 4 Região
Arielson Lima – TJPA
Richard Rodrigues Ambrosio – TRF4
Thiago Cendes Escorcio – TJPA
Ana Lúcia Vieira do Carmo – TJRJ
Daniela Ferrari Signor – TJRS
Rosana de Almeida Buono TRT 2a. Região
Renata Carolina Nicodemos Andrade – TJSP
Paulo Tamburini – TJMG
Sandra Sallete da Silva – TJMG
Luciane Pereira Ramos – TJPR
Rodrigo Britto Pereira Lima –JFBA
Pedro Alberto Calmon Holiday – JFBA
Olivia Merlin Silva – JFBA
Paulo Ricardo de Souza Cruz – JFBA
Mei Lin Lopes Wu Bandeira – JFBA
Marcus Aurelius Sampaio – TJBA
Oclei Alves da Silva – TJBA
Josevando Andrade – TJBA
Fábio Stief Marmund – JFBA
Antonio Carlos Rodrigues de Moraes- TJBA
Karla Barnuevo-TJBA
Christian Higuchi – TJMG
Cíntia Graeff de Luca – TJPR
Carolina Nabarro Munhoz Rossi – TJSP
Alessandra Regina Trevisan Lambert – TRT 15ª Região
Katia Daniela de Araújo – TJPB
Rodrigo Quadros de Carvalho – TJBA
Vanderlei Andrade de Lacerda –TJBA
Ricardo Dias de Medeiros Netto – TJBA
Anderson Bastos – TJBA
Alfredo Santos Couto – TJBA
Márcio Reinaldo Miranda Braga – TJBA
Luiz Salomão Amaral Viana – JFBA
Waldir Viana Ribeiro Júnior – TJBA
Luciana Bezerra de Oliveira – TRT-SP
Roberto Masami Nakajo – TRT 12
Maria Beatriz Vieira S. Gubert – TRT-SC
Arilson Ramos de Araújo – TJDFT
Rita Leão Monteiro – TJPR
Ana Cláudia Habice Kock – TJSP
Edir Josias Silveira Beck – TJSC
Geraldo Emilio Porto – TJPB
Fábio Rogerio França Souza – JFBA
Regina Cerqueira – TJBA
Philippe Guimarães Padilha Vilar – TJPB
Carlos Sarmento – TJPB
Taíse Velasquez Lopes – TJRS
Sílvia Bonifácio – TJBA
Ronaldo Guaranha Merighi – TJSP
Paulo Cesar Ribeiro Meireles – TJSP
Emilio Migliano – TJSP
Elisabete Kirschke – TJRS
Edna de Andrade Nery – TJBA
Pedro Ivo Lins Moreira – TJPR
Terezinha Urany de Castro – TJGO
Lauro Fontes Junior – TJPA
Jayme Gomes Franco – TJSP
Rafael E. Pugliese Ribeiro – TRTSP
Carolline Carrijo – TJPR
Edino Jales – TJRN
Fábio Renato Mazzo Reis – TJSP
Inajá Oliveira de Borba – TRT4
Cristiano Miranda de Santana – JFBA
Pompeu de Sousa Brasil – JFBA
Maria Lúcia Coelho Matos – TJBA
Mariana Pina – TJ-BA
Ronaldo Alves Neves Filho – TJBA
Fábio Lopes Alfaia – TJAM
Fábio Tosetto – TRT 12
Wyldensor Martins Soares – TJSP
Leonete Silva – TJSP
Ana Rita Andres Amaro- TJSP
Cinthia Elias de Almeida – TJSP
Janaina Monique Zanellato – TJPR
Diele Denardin Zydek – TJPR
Wilson José Witzel – TRF 2
Rodrigo de Lima Mosimann –TJPR
Rogerio Renner – TJRS
Rafael Murad Brumana – TJES
Josiane Patrícia Cabrini –TJSP
Carlos Eduardo Castro Martins – TRF 1
Marcelo Yukio Misaka – TJSP
Renato Luiz Carvalho Roberge – TJSC
Armando Pereira da Silva Junior – TJSP
Julieta Maria Passeri de Souza – TJSP
José Augusto Franca Junior – TJSP
Eduardo Ruivo Nicolau – TJSP
Ayrton Vidolin Marques Junior – TJSP
Gustavo Pessoa Tavares de Lyra – TJPB
Carla Virgínia Portela da S. Araújo – TJRN
Ilan Presser – TRF 1
Marcia Regina Dalla Déa Barone – TJSP
Rogério Carlos Demarchi – TJSC
Mario Gaiara Neto – TJSP
Guilherme Kirschner – TJSP
Diego Guimarães – TJPB
Liliana Regina de Araújo Heidorn Abdala – TJSP
Thiago Tapajós Gonçalves – TJPA
Roberta Sousa Alcantara Dayrell – TJMG
Simone Viegas de Moraes Leme – TJSP
Edson Lopes Filho – TJSP
Ana Rita de Figueiredo Nery – TJSP
Antonia Brasilina de Paula Farah – TJSP
Ana Lucia Granziol – TJSP
Gustavo de Azevedo Marchi – TJSP
Wellington Urbano Marinho – TJSP
Joao B. Vasconcelos – TJPB
Alessandro Leite Pereira –TJMS
Rodrigo Souza Britto – TJBA
Fernanda Carone Sborgia – TRF 3 Região
Natalia Garcia Penteado Soares Monti – TJSP
Thiago Massao Cortizo Teraoka – TJSP
Elder Fernandes Luciano – TRF 2
Luciano André Losekann – TJRS
Aline Zambenedetti Borghetti – TJRS
Karla Cristiane Sampaio Nunes – TJPA
Valeria Heinicke do Nascimento – TRT 4
Carolina Lobato Goes de Araújo Barroso- TRT 3 região
Rafaela de Jesus Mendes Morais – TJPA
Isabelle de Freitas Batista Araújo – TJPB
Ascione Alencar Linhares – TJPB
Andréa Márcia Vieira de Almeida – JFBA
Flávio Jabour Moulin – TJES
Patricia Didier De Moraes Pereira – TJBA
Fernanda Karina – TJBA
Marina Kummer – TJBA
Márcia Costa – TJ BA
Eduardo Carlos de Carvalho – TJBA
Fernanda Marinho Godinho – TJBA
Benedito dos Anjos – TJBA
Josiel Oliveira Santos- TJBA
Rogério Rossi – TJBA
Christiane de Almeida Alvim – TJMG
Claudia Ribas Marinho – TJSC
Janine Stiehler Martins – TJSC
Tatiana Decarli – TJMS
Roberta Lima Carvalho – TRT 1
Felipe Morais Barbosa – TJGO
Claudio Barbaro Vita – TJSP
Alexandre Vicioli – TJSP
Camila Giorgetti – TJSP
Fernanda Lucena – TJPA
Davi de Castro Pereira Rio – TJSP
André Luis Adoni – TJSP
João de Oliveira Rodrigues Filho – TJSP
Elisabeth Rodrigues – TRT 22ª Região
Fernanda Bulhões – TRT 3
Regina Célia de Miranda Jordão – TRT 1ª Região
Isabela Ferrari – JFRJ
Rachel Albuquerque de Medeiros Mello – TRT 4
Ana Paula de Lima Castro – TJGO
Maria Fernanda Maciel Abdala – TRT 2
Luciana Buhrer Rocha – TRT 2
Rosilene Maria Clemente de Souza Ferreira – JFMG
Denise Retamero – TJSP
Carlos Antônio Chagas Junior – TRT 14
Lilian Raquel Bozza Pianezzola – TJRS
Danilo Augusto Kanthack Paccini – TJRO
Julio Cesar Lerias Ribeiro – TJDFT
Angela S.L. Rodrigues – TJSP
Antonio César Hildebrand e Silva – TJSP
Adriana Karla Diniz Gomes da Costa – TJPA
Carla Ceará – TJBA
Carlos Roberto Silva Junior – TJBA
Maria Martha Goes Rodrigues de Moraes – TJBA
Nunisvaldo dos Santos – TJBA
Marcela Papa Paes – TJSP
Barbara Bortoluzzi Emmerich – TJPB
Ligiane Zigiotto Bender – TJRO
Fabiane Borges Saraiva – TJRS
Marcus Vinícius dos Santos de Oliveira – TJRO
Daniela Pereira – TJMG
Léverson Dutra – JTMG
André Monteiro – TJMS
Alexandre Trindade – TJPA
Antonio Gomes Oliveira – TJPB
Tathiana Freitas de Paiva Macedo – TJBA
Pedro Paulo Falcão Junior – TJBA
Diana Cunha – TJPA
Sarah Yolanda Alves de Souza Cruz -TRT 6ª Região
Felipe Bertrand Sardenberg Moulin – TJES
Aylzia Fabiana Borges Carrilho – TJPB
Moises Luis Gerstel – JTRJ
Geilza Fátima Cavalcanti Diniz – TJDFT
Cristiano Mazzini – TJRO
Homero Lamarão Neto – TJPA
Fábio Alexandre Marinelli Sola – TJSP
Leandro Folly – TJAL
Cláudio Daltro – TJBA
George Alves de Assis – TJBA
Claudio Pantoja – TJBA
Albenio Honório – TJBA
Fabrício Meira Macedo –TJPB
David Fortuna – TJCE
Fatima Damasceno – TJCE
Maria José Rosado – TJCE
Andréa Pimenta – TJCE
Paulo de Tarso Nogueira – TJCE
Fabiana Silva Rocha –TJCE
Rita Emilia Carvalho – TJCE
Alda Maria Holanda – TJCE
Renato Esmeraldo – TJCE
Aluisio Gurgel – TJCE
Alexandre Quintas – JMDFT
Ana Helena da Silva Rodrigues – TJRJ
Andréa Rocha Trocoli – TRT 5ª Região
Antônio Évio de Souza – TJMG
Gleydson Ney Silva da Rocha – TRT 11ª
Maria Rosa Mestres – TRT 7ª Região
Carlos Renato de Oliveira Corrêa – TJMG
Eduardo Padilha –TJBA
Maria de Fatima Silva Carvalho-TJBA
Gabriel de Moraes Gomes- TJBA
Wolney Perrucho – TJBA
Livia de Melo Barbosa – TJBA
Fernando Alves Marinho – TJBA
André Andrade Vieira- TJBA
Luciano Guimaraes Filho – TJBA
Felipe Remonato- TJBA
Marcos Bandeira- TJBA
Fernando Paropat – TJBA
Sérgio Augusto Viana – TJCE
Marlise Freire Alvarenga- TJBA
Renato Caldas do Valle Viana – TJBA
Adida Santos- TJBA
Izabella Mendonça de Freitas – TJCE
Ronald Neves Pereira – TJCE
Tiago Dias da Silva – TJCE
André Luiz Tavares de Castro Pereira – TRT 15
Renata Mendes Cardoso de Castro Pereira – TRT 15
Saulo Gonçalves Santos – TJCE
Leila Regina Corado Lobato – TJCE
Rafael de Almeida Martins – TRT 15
Paulo Sérgio Jorge Filho – TJSP
Jonatas Rodrigues de Freitas – JTMG
Dorotheo Barbosa Neto – TRT 14ª Região
Vanêssa Christie Enande – TJSP
Sheila Draxler Pereira de Souza – TJRJ
Ana Ilca Harter Saalfeld – TRT-RS
Carlos Roberto Petroni – TJSP
Mônica Lima Chaves – TJCE
Patricia Soares de Albuquerque – TJSP
Rafael Martins Costa Moreira – TRF 4ª R
Mariana Philippi de Negreiros – TRT 12
Ney Maranhão – TRT 8
Luiza Elizabeth de Sena Sales Maia – TJBA
César Augusto Carvalho de Figueiredo – TJBA
Samantha Ferreira Barione – TJMS
Alessandra Bilac – TJRJ
Silvia Almeida Prado – TRT 2
Aldina de Carvalho Soares – TJMG
Valeria da Silva Rodrigues – TJMG
Américo Freitas de Jesus – TJMG
Haroldo Pimenta – TJMG
Tarcísio Moreira de Souza – TJMG
Robson Luiz Rosa Lima – TJMG
Flavio Branquinho da Costa Dias – TJMG
Vânia Fernandes Soalheiro – TJMG
Maura Angélica de Oliveira Ferreira – TJMG
Leonardo Lima Publio – TJMG
Altair Rezende de Alvarenga – TJMG
Fernando Antônio Tamburini Machado – TJMG
Mônica Silveira Vieira – TJMG
Paulo Neris – TJMG
Lucio Eduardo de Brito – TJMG
Flavia Silva da Penha – TJMG
Pedro Fiúza – TJMG
Roberto Araujo – TJMG
Wagner Batista Ferreira Machado – TJMG
Perla Saliba Brito – TJMG
Guilherme Bacelar Patrício de Assis – JFBA
João Paulo Pirôpo de Abreu – JFBA
Eduardo Gomes Carqueija – JFBA
Rodrigo Gasiglia de Souza – JFBA
Dayana Bião de Souza Moinhos Muniz – JFBA
Cynthia de Araújo Lima Lopes – JFBA
Karine Costa Carlos Rhem da Silva – JFBA
Ubaldino Leite –TJBA
Antônio Carlos Higino – TJBA
Georgia Quadros – TJBA
Suélvia Santos dos Reis – TJBA
Ana Karena Nobre – TJBA
Fred Pitta Lima – TJBA
Newcy Mary da Paixão Cunha – TJBA
Roberto Paulo Prohmann Wolff- TJBA
Antônio Washington Frota – TJCE
Ricardo Sevalho Gonçalves – TJSP
Ricardo Domingos Rinhel – TJSP
José Cavalcante Júnior – TJCE
Nunziata Valenza Paiva – TJGO
Carlos Alberto Gomes da Silva – JFBA
Flavia Daniele Gomes – TRT 9
Kaline Lewinter – TRT 7ª Região
André Guasti Motta – TJES
Ivanoska Maria Esperia Gomes dos Santos – TJPB
Fabio Araújo – TJPB
Renata Oliva Bernardes de Souza – TJSP
Lucas Gajardoni Fernandes – TJSP
Bruna Muller Stravinski – TRT 15
Riza Aparecida Nery – TJMG
Rosana Fantini – TRT 15
Christianne Diógenes Ribeiro – TRT 7
Elaine Neves de Oliveira – TJPA
Daniel Gomes Coelho – TJPA
Alex Oivane – TJAC
Zenair Ferreira Bueno Vasques Arantes – TJAC
Raimundo Nonato da Costa Maia – TJAC
Alesson José Santos Braz – TJAC
Evelin Campos Cerqueira Bueno – TJAC
Cibelle Nunes de Carvalho – TJAC
Flávio Mariano Mundim – TJAC
Artur Ribeiro Gudwin – TRT15
Gustavo Nardi – TJSP
Carolina Sferra Croffi – TRT 15
Camila Rodrigues Borges de Azevedo – TJSP
Renan do Valle Melo Marques-TJPB
Fábio Luís Bossler – TJSP
Mabile Borba – TJBA
Anna Ruth Nunes Menezes Bispo – TJBA
Ana Maria Silva Araújo – TJBA
Marineis Freitas Cerqueira – TJBA
Ailton Batista de Carvalho – TJBA
Luciana Amorim da Hora – TJBA
Nícia Olga Andrade Souza Dantas – TJBA
Andrea Padilha Sodré Leal Palmarella – TJBA
Márcia Gottschald Ferreira – TJBA
Jeine Vieira – TJBA
Karla Kristiany Moreno – TJBA
Hosser Michelangelo Silva Araujo – TJBA
Caroline Rosa de Almeida Velame Vieira – TJBA
Thiago Inácio de Oliveira – TJGO
Priscila Lopes da Silveira – TJGO
Alex Venicius Campos Miranda- TJBA
Geancarlos de Souza Almeida – TJBA
Adriana Silveira Bastos – TJBA
Jorge Cruz de Carvalho – TJCE
Aldina de Carvalho Soares – TJMG
Maria Luiza Rangel Pires – TJMG
Sônia de Castro Alvim – TJMG
Denes Ferreira Mendes – TJMG
Veranici Aparecida Ferreira – TRT15
Ana Cláudia de Jesus Souza – TJBA
Gabriela Santana Nunes – TJBA
Érico Rodrigues Vieira – TJBA
Antonio Cunha Cavalcanti – TJBA
Irailce de Queiroz Saba Figueiroa- TRT 5a Região
Vilma Belmino – TJCE
Rómulo Holanda – TJCE
Edisio Meira – TJCE
Adriana Dantas – TJCE
Sandra Fortaleza – TJCE
Alisson Simeão – TJCE
Luiz Vasconcelos – TJCE
Giselli Lima de Sousa – TJCE
Paulo Santiago de Andrade Silva e Castro – TJCE
Sergio Moura – TJPB
Rafaela Toni – TJPB
Adriana Maranhão – TJPB
Leonardo Paiva – TJPB
Andrea Dantas Ximenes – TJPB
Katherine Martins da Costa – TJCE
Arsênio Pinto Neto – TJMG
Clovis Cavalcante Piragipe Magalhães – TJMG
Glauciene Gonçalves da Silva – TJMG
Reginaldo Mikio Nakajima – TJMG
Virgínia Marques – TJBA
Rodolfo Nascimento Barros –TJBA
Régio Bezerra Tiba Xavier – TJBA
Luiz Gonzaga Targino de Moura – TJBA
Roberto Oliveira Araújo Silva – TJMG
Glaucia Monteiro – TRT 7
Ana Paula Caimi – TJRS
Rosilaine Barbosa Ishimura Sousa – TRT 12a Região
Rafael Pagnon Cunha – TJRS
Antônio Gomes de Oliveira Neto – TJBA
Denise Gondim – TJGO
Ana Lúcia Matos de Souza – TJBA
Luiz Mario Moutinho – TJPE
Rosângela Pereira Bhering – TRT 3
Angel Tomas Castroviejo – TJSP
Fábio Fazuoli – TJSP
Leonardo Itacaramby Bessa – TRT 12 – SC
Marceli Maria Carvalho Siqueira – TRF 2
Alena Cotrim Bizzarro – TJSP
Ivana Fernandes Vieira – TJMG
Glauco Antônio de Araújo – TJGO
Bruno Cassiolato – TJSP
Luis Gustavo Esteves Ferreira – TJSP
Elias Soares de Oliveira – TRT 18ª Região
Cynthia Maria Sabino Bezerra da Silva – TJSP
Anderson Valente – TJSP
Lizandra Cericato Villarroel – TJRS
Ayman Ramadan – TJSP
Célia Regina Marcon Leindorf -TRT 9
Luciana Nasr – TRT15
Manoela de Araújo Rocha – JFBA
Tatiane Turlalia Mota Franco Saliba –TJMG
Cláudia Regina Macegosso – TJMG
Daniela Pazos – TJBA
Marcela Bastos Barbalho Nogueira – TJBA
Marley Cunha Medeiros – TJBA
Dalia Zaro Queiroz – TJBA
Gustavo Silva Pequeno – TJBA
Sergio Humberto de Quadros Sampaio- TJBA
Viviane Maria Leite – TRT 5a Região
Gisele Gordiano – TRT 5a Região
Alice Braga – TRT 5a Região
Marylucia Silveira – TRT 5a Região
Soraya Marques – TRT 5a Região
Rodrigo da Fonseca Caríssimo – TJMG
Patrícia Cayres Mariotti – TJSP
Ivan Arantes Junqueira Dantas Filho – TRF4
Alessandra Oliveira – TJRS
Fernanda Martins Perpetuo de Lima Vazquez – TJSP
Cristina Escher Rondello – TJSP
Sergio Araújo Gomes – TJSP
Ricardo Hoffman – TJSP
Lizianni de Cerqueira Monteiro – TJBA
Arlinda Souza Moreira – TJBA
Raphael Moreira – TJMG
Wauner Machado – TJMG
Gilson Soares Lemes – TJMG
Gustavo Teles Veras Nunes – TJBA
César Aparecido de Oliveira – TJMG
Erick Araújo – TJCE
Magno Thé – TJCE
Eduardo Rocha – TJCE
Glender Malheiros Guimaraes – TJMA
Antonio Carlos Martins – TJSP
Fabio Gameiro Vivancos – TJMG
Luiz Felipe da Silva Haddad – TJRJ
Danila Gonçalves de Almeida – TRF1
Alexandre Verneque Soares –TJMG
Ricardo Rafael – TJSC
Mucio Monteiro da Cunha Magalhaes Junior – TJMG
João Rodrigues dos Santos Neto – TJMG
Paulo Roberto da Silva – TJMG
João Cláudio Teodoro – TJMG
Karen Cristina Lavoura Lima – TJMG
Jane Ruth Queiroga – TJCE
Beatriz Junqueira – TJMG
Aline de Oliveira Machado – TJSP
Sandra Regina Teixeira Campos – TJGO
William Fabian de Oliveira Ramos – TJGO
Ana Paula Amaro Silveira – TJSC
Luciana Moro Loureiro – TRT15
Vanessa Estrela – TJGO
Caio Rodrigues Martins Passos – TRT15
Bruna Aparecida de Carvalho Caetano – TJSE
Fláviah Lançoni Costa Pinheiro – TJGO
Matheus Martins Moitinho – TJBA
Tâmara Libório Dias Teixeira de Freitas Silva- TJBA
Reginaldo Coelho Cavalcante – TJBA
Cesár Alcântara – TJCE
Fabrício Mazza – TJCE
Michel Pinheiro – TJCE
Lucimeire Rocha – TJMG
Aline Freitas da Silva – TJGO
Joaquim Lustosa Filho – TRF 5
Carlos Aparecido Zardo – TRT-SC
Flávia Ximenes Aguiar de Sousa – JMU
Fabrício Lima Silva – TRT 3
Ju Hyeon Lee – TJSP
Lucas Borges Dias – TJSP
Rodrigo Graças – TJSP
Zandra Anunciação Alvarez Parada –TJBA
Flávia Maciel – TJCE
Helena Furtado de Albuquerque Cavalcanti – TJSP
Gustavo Camacho – TJPB
Russio Lima – TJPB
Andrea Targino – TJPB
André Pereira – TJSP
Thais Migliorança Munhoz Clausen – TJSP
Antonio do Rego Monteiro Rocha – TJSC
Juliana Pitelli da Guia –TJSP
Carla Fernanda Fritsch Martins – TRF 4
Heloisa Menegotto Pozenato – TRF 4
Stefan Espirito Santo Hartmann – TRF 4
Lívia de Mesquita Mentz – TRF 4
Joseane de Fatima Granja – TRF 4
Geórgia Zimmermann Sperb – TRF 4
Vanessa Viegas Graziano – TRF 4
Lucas Lagares – TJGO
Carlos Hindemburg de Figueiredo – TRT 13a Região
Francisco Anastácio Cavalcante Neto – TJCE
Michele Fernanda Bortolin – TRT 9
José Arimatea Neves Costa – TJMT
Lucia Mothe Glioche – TJRJ
Elizabeth Silva Pinheiro – TJCE
Silvana Soares – TJPB
Simone Nakamatsu – TJMS
Eunice Fernandes de Castro – TRT 18
Eric Scapim Cunha Brandão – TJRJ
Clauber Costa Abreu – TJGO
Ernani Scala Marchini – TJPR
Paula Navarro Murda –TJSP
Ana Paula Mendes Carneiro – TJSP
Maria Flávia Alaite – TRT 15
Rafael Marques de Setta – TRT 15
Milena Casacio F Beraldo – TRT 15
Newton Cunha de Sena – TRT 15
Ana Cristina Viegas Lopes de Oliveira – TJMG
Leonardo Tocchetto Pauperio – JFBA
Igor Matos Araújo – JFBA
Carlos D’Avila Teixeira – JFBA
Gabriela Silva Macedo – JFBA
Mirza Telma de Oliveira Cunha – TJAM
Elisabete Filizzola Assunção – TJRJ
Caroline Rossy Brandão Fonseca Loureiro- TJRJ
Thiago Bertuol de Oliveira – TJPR
Natacha Nascimento Gomes Tostes Gonçalves de Oliveira – TJRJ
Carlos Alberto Pereira da Silva – TJMG
Flavia Birchal de Moura – TJMG
Christina Bini Lasmar – TJMG
Bruno Henrique Tenório Taveira – TJMG
Kenea Márcia Damato Mendonça- TJMG
Aldenor Oliveira –TJCE
Francy Farias – TJCE
Flavia Setúbal de Sousa Duarte – TJCE
Cláudio Augusto Marques de Sales – TJCE
Alessandro Pereira Pacheco – TJGO
Adhailton Lacet C. Porto – TJPB
Fabio Falcão Santos – TJBA
Benedito Alves Coelho – TJBA
Lisiane Sousa Alves Duarte – TJBA
Marielza Maués – TJBA
Vaneska Baruki – TJGO
Enyon Artur Fleury de Lemos – TJGO
Carlos Magno Caixeta da Cunha – TJGO
Vinicius da Silva Pereira – TJMG
Grazziela M. De Queiroz Franco Peixoto – TJMG
Eduardo Ramiro – TJMG
Ivana Pinto Luz – TJBA
Ricardo Luiz Nicoli – TJGO
Altamiro Garcia Filho – TJGO
Átila Naves do Amaral – TJGO
Ana Claudia Torres Vianna – TRT15
Laura Scaldaferri – TJBA
Ivana Carvalho Silva Fernandes – TJBA
Valnei Mota Alves de Souza – TJBA
João Lemos Rodrigues – TJBA
Patricia Sobral – TJBA
Paula Rodrigues de Araújo Lenza – TRT15
Roberto Portugal Bacellar – TJPR
Gleydson Lima – TJPE
Gustavo Leite Urquiza – TJPB
Michel Rodrigues de Amorim – TJPB
Eduardo Pio Mascarenhas – TJGO
Cléa Pimenta – TRT-5a região
Horácio Ferreira de Melo Júnior – TJPB
Claudia Motta –TJRJ
Ana Helena Valle – TJRJ
Carla Corrêa – TJRJ
Patricia Whately – TJRJ
Anelise Duarte – TJRJ
Jane Amorim – TJRJ
Adriana Valentim – TJRJ
Mariana Moreira Tangari Baptista – TJRJ
Simone Ferraz – TJRJ
Vanessa Cavalieri Felix – TJRJ
Ana Montemor – TJRJ
Christiana Aparecida Nasser Saad – TJGO
Wilson Marcelo Kozlowski Junior – TJRJ
Josimar Andrade – TJRJ
William Costa Mello – TJGO
Angelica Ferreira – TRT 5a região
Ana Claudia Scavuzzi – TRT – 5a região
Paulinne Simões de Souza – TJMS
João Felipe Menezes Lopes – JFMS
Janio Roberto dos Santos – JFMS
José Ayres de Souza Nascimento Júnior – TJBA
Daniella Khouri – TJBA
Fernanda Frare Ribeiro – TRT15
Ana Paula Tano – TJGO
Mauro Nicolau Juinor – TJRJ
Maurício Chaves de Souza Lima – TJRJ
Édina Pinto – TJMG
Marcelo Rubioli – TJRJ
Daniele Christiane Costa Machado de Castro Cotta – TJMG
Ludmila Lins Grilo – TJMG
Flavia de Azevedo Faria Rezende Chagas – TJRJ
Anna Luiza C. L. Soares – TJRJ
Renata Nascimento Borges – TJMG
Eduardo Tavares – TJGO
Alessandra Gontijo – TJGO
Adriana Barreto Lossio – TJPB
Mary Angélica Santos Coelho – TJBA
Janair Tolentino – TRT 5a região
Joao Felipe Nunes Ferreira Mourao – TJRJ
Antonio Aurélio Duarte – TJRJ
Andréa Gomes Fernandes – TJBA
Leonardo Carvalho Tenório de Albuquerque – TJBA
Luciana Braga Falcão Luna – TJBA
Simone de Figueiredo Rocha Soares – TJSP
Flávia Zuza – TJGO
Mateus Milhomem de Sousa – TJGO
Valdívia Ferreira Brandão – TJSP
José de Andrade Neto – TJMS
Giuliano Máximo Martins – TJMS
Jacqueline Machado – TJMS
Ellen Priscile Xandu Kaster Franco – TJMS
Cláudia Ribeiro – TJSP
Vladimir José Nobre de Carvalho – TJPB
Patrícia Toledo – TJCE
Virgínia Lima – TJRJ
Roberto Costa de Freitas Junior – TJBA
Ferdinando Scremin Neto – TJPR
Gabriel Leão de Oliveira – TJPR
Eveline Zanoni de Andrade – TJPR
Tatiane Bueno Gomes – TJPR
Adrianna Correa dos Santos – TJPR
Cristina Gutierrez – TJRJ
Larissa Maria Franklin Duarte – TJRJ
Rita de Cássia Rocha Costa – TJGO
Andrea Paula Miranda – TJBA
Ana Cristina Monteiro de Andrade Silva – TRF 4a região
Monica Aguiar Sapucaia -TRT 5ª região
Emerson Ricardo Fernandes – TJMS
Saskia Elisabeth Schwanz – TJMS
Thalita Regina Funghetto – TJPR
Ricardo Piovesan – TJPR
Carolina Marcela Franciosi Bittencourt – TJPR
Juliano Batista dos Santos – TJPR
Fernanda Batista Dornelles – TJPR
Fernanda Monteiro Sanches – TJPR
Bruno Oliveira Dias – TJPR
Dawber Gontijo Santos –TJPR
Leonardo Santos Vieira Coelho – TJBA
Paulo Henrique Santana – TJBA
Lenita Aparecida Pereira Corbanezi – TRT15
Henrique César de Paiva Laraia – TJBA
Priscila Faria da Silva – JFDFT
Rodrigo Peres Pereira – TJMG
Rodrigo Mendes Pinto Ribeiro – TJMG
Emerson Chaves Motta – TJMG
Marcos Alves de Andrade – TJMG
Cristiane Vieira Tavares Zampar – TJMG
Alair Soares Mendonça – TJMG
Marli Maria Braga Andrade – TJMG
Renato Dresch – TJMG
Augusto Vinicius Fonseca e Silva – TJMG
Ricardo Vianna da Costa e Silva – TJMG
Luiz Antonio Messias – TJMG
Wilce Paulo Léo Júnior – TRT 3
Cássio de Souza Salomé – TJMG
Barbara Heliodora Quaresma Bomfim – TJMG
Francisco Lacerda de Figueiredo – TJMG
Alexandre Cardoso Bandeira – TJMG
Arilson D’Assunção Alves – TJMG
Daniele Lima Pires Barbosa – TJRJ
Roberta Braga – TJRJ
Maria Helena Steffen Toniolo Bueno – TJSP
Mario Soares Caymmi Gomes – TJBA
Márcio Morrone Xavier – TJGO
Ana Carolina Montenegro Cavalcanti – TJCE
Rinaldo Guedes Rapassi – TRT 19
Fausto Siqueira Gaia – TRT 17
Thiago Barbosa Ferraz de Andrade – TRT 5
Bárbara Baldani Fernandes Nunes – TRT 15
Bartolomeu Correia Lima Filho – TJPB
Hélio Duques dos Santos – TRT 24
Danielle Karen da Silveira Araujo Leite –TJPA
Alexei Malaquias de Almeida – TRT 5
Raquel Domingues do Amaral – JFMS
Ana Carolina Gomes – TRT 5
Raquel Discacciati Bello – TJMG
Anielly Varnier Comério Menezes Silva – TRT 3
Paulo Fernando da Silva Santos Junior – TRT 16a Região
Walter Barone – TJSP
Cássia Ortolan Grazziotin – TRT 15a Região
Leonardo Lopes Sardinha – TJSP
Rodrigo Ramos – TJSP
Juliana Koga Guimarães – TJSP
Jorge Luiz de Oliveira da Silva – JMU MS
Bruno Bodart – TJRJ
Baiardo de Brito Pereira Júnior – TJSP
Giuliana Casalenuovo Brizzi – TJSP
Nilton Santos Oliveira – TJSP
Fábio José Vasconcelos – TJSP
Emerson Sumariva Júnior – TJSP
Gustavo de Castro Campos – TJSP
Taiana Horta de Pádua Prado – TJSP
Vivian Brenner de Oliveira – TJSP
Danielle Oliveira de Menezes Pinto Rafful Kanawaty – TJSP
Bruno Henrique Di Fiore – TJSP
Udo Wolff Dick Appolo do Amaral – TJSP
Sérgio Ricardo Biella – TJSP
Eric Douglas Soares Gomes – TJSP
Ana Beatriz Mendes Estrella – TJRJ
Christiano Rodrigo Gomes de Freitas – TJSP
Sonia Cavalcante Pessoa – TJSP
Mariana Sperb – TJSP
Antonio Augusto Baggio e Ubaldo – TJSC
Rafael Salvan Fernandes – TJSC
Marcelo Pons Meirelles – TJSC
Renato Hasegawa Lousano – TJSP
Cleni Serly Rauen Vieira – TJSC
Camila Paiva Portero – TJSP
Antonio Balthazar de Matos – TJSP
Adriano Pinto de Oliveira – TJSP
Aline Tabuchi da Silva – TJSP
Graziela da Silva Nery Rocha – TJSP
Roberta Hallage Gondim Teixeira – TJSP
Luciano de Moura Cruz – TJSP
Mauricio Chaves de Souza Lima – TJRJ
Aline Mendes de Godoy – TJSC
Mariana Rezende Ferreira Yoshida – TJMS
Fred Morales Lima – TRT 15 região
Ana Carmen Jordão – TJPB
Daniel Santos Rocha Sobral – JFPI
Sandro Helano Soares Santiago – JFPI
José Flavio Fonseca de Oliveira – JFPI
Marcelo Carvalho Cavalcante de Oliveira – JFPI
Leonardo Tavares Saraiva – JFPI
Flavio Marcelo Servio Borges – JFPI
Jose Gutemberg de Barros Filho – JFPI
Nazareno César Moreira Reis – JFPI
Brunno Christiano Carvalho Cardoso – JFPI
Agliberto Gomes Machado – JFPI
Marina Rocha Cavalcanti Barros Mendes – JFPI
Diego Camara Alves – JFPI
Adonias Ribeiro de Carvalho Neto – JFPI
Marcio Braga Magalhães – JFPI
Gustavo Andre Oliveira dos Santos-JFMA
Rodrigo Pinheiro do Nascimento –JFMA
Roberto Carvalho Veloso – JFMA
Pedro Felipe de Oliveira Santos- JFTO
Regis de Souza Araújo – JFMT
André Reis Lacerda – TJGO
Venilton Cavalcante Marrera – TJSP
Maha Kouzi Manasfi e Manasfi – TJAC
Fernando Montefusco –TJGO
Leonardo Cajueiro D’Azevedo – TJRJ
Carla Regina Medeiros da Costa de Aguiar – TJRJ
Guilherme Rodrigues de Andrade – TJRJ
Antônio Coletto – TJMG
Jaubert Carneiro Jaques – TJMG
Thiago Grazziane Gandra – TJMG
João Batista Pereira Pinto – TJBA
Monique Correa Brandão dos Santos Moreira – TJRJ
Murilo Vieira de Faria – TJGO
Zander Barbosa Dalcin Grato – TJSP
Fernanda Yamakado Nara – TJSP
Heloisa Assunção Pereira – TJSP
Kleber Leles de Souza – TJSP
Ana Sylvia Lorenzi Pereira – TJSP
Fernando Monteiro – TJGO
Fernanda Lombardi – TJSP
Viviane Decnop Freitas Figueira – TJSP
Stanley da Silva Braga – TJSC
Antonio Horácio da Silva Neto – TJMT
Vanele Falcão – TJRJ
Mirko Vincenzo Giannotti – TJMT
Luiz Fernando Montini – TJPR
Wilton Müller – TJGO
Tahis Munhoz – TJSP
Gladis Naira Cuvero – TJSP
Ricardo Cunha de Paula – TJSP
Sandra Lustosa Franco – TJPR
Juliano Rodrigues Valentim – TJMS
Walter Arthur Alge Neto – TJMS
Kelly Gaspar Dutra Neves – TJMS
Elisabeth Rosa Baisch – TJMS
Alexandre Miura Iura – TJSP
Regina Chuquer – TJRJ
Euler Jansen – TJPB
José Lucio Munhoz – TRT/SC
Patricio Lobo – TJRN
Eugênia Bizerra de Oliveira Araújo – TJGO
Thiago Brandão Boghi – TJGO
Arthur Araújo de Oliveira – TJPR
Rodrigo da Costa Clazer – TRT 9ª Região
Alex Lessa – TJGO
Simone Reis – TJGO
Tânia Mara Guimarães Pena – TRT/MG
Liliam Margareth da Silva Ferreira – TJGO
Alessandra d’Andrade Stern – TRT 5a região
Thaís Mendonça da Aleluia Costa – TRT 5a região
Cláudia Uzeda Doval- TRT- 5a região
Rebeca Aguiar Pires AcciolyTRT- 5a região
Flávia Viana GrimaldiTRT- 5a região
Alexa Rocha de Almeida Fernandes-TRT- 5a região
Edlamar Souza Cerqueira-TRT- 5a região
Cristiane Menezes Lima-TRT- 5a região
Camila Afonso de Nóvoa Cavalcanti – TRT 8
Marcos José Sampaio de Freitas Júnior – TJRN
Ricardo Alexandre Spessato de Alvarenga Campos – TJPR
Apoema Carmem F.V.D.M. Santos – TJPR
Tatiana Hildebrandt de Almeida – TJPR
Juliana Cunha de Oliveira – TJPR
Alessandro Luiz – TJGO
Eduardo Oliveira –TJGO
Stephanie Assis Pinto de Oliveira – TJPR
Aneíza Vanessa Costa do Nascimento – TJPR
Leonardo Luiz Selbach – TJPR
Samantha Barzotto – TJPR
Vinícius de Mattos Magalhães – TJPR
Maristela Aparecida Siqueira – TJPR
Ana Carolina de Oliveira – TJPR
Brian Frank – TJPR
Leonardo Aleksander Ferraz Sforza – TJPR
Ana Claudia de Lima Cruvinel – TJPR
Henrique Kurscheidt – TJPR
Camila Velano – TRF 1
Ruslaine Romano – TJSP
Roge Naim Tenn – TJSP
Francisco Xavier de Andrade Filho – TRT 13
André Damasceno Castro Leite – TJSP
Suzie Caproni Ferreira Fortes – TJPR
Juliana Olandoski Barboza – TJPR
Daniela Maria Kruger – TJPR
Élberti Mattos Bernardineli –TJPR
Michela Vechi Saviato – TJPR
Abilio Thadeu Melo Sodré de Freitas – TJPR
Roberta Carmen Scramim de Freitas – TJPR
Luciane do R.C. Ludovico – TJPR
Claudia Sanine Ponich Bosco – TJPR
Carmen Lúcia Rodrigues Ramajo – TJPR
Guilherme Mazzucco Portela – TJPR
Luciana Benassi Gomes Carvalho – TJPR
Fernanda Travaglia de Macedo – TJPR
Sergio Bernardinetti – TJPR
Robespierre Foureaux Alves – TJPR
Márcia Hübler Mosko – TJPR
Luciani de Paula – TJPR
Michele Franzoni – TJPR
Peter de Paula Pires – TRF 3
Glaucio Francisco Moura Cruvinel – TJPR
Edailton Medeiros – TJPB
Mauro Monteiro Mondin – TJPR
Viviane Nóbrega Maldonado – TJSP
Godofredo de Souza Santos – TRT BA
Carlos Hamilton – TJPI
Stephan Klaus Radloff – TJSC
Cacilda Isaacsson – TRT 4
Marcelo Silva Porto – TRT 4
Guilherme Alves dos Santos – JFES
Maria Mercês Mattos Miranda Neves –TJBA
Aparecida Fatima Antunes Da Costa Wagner – TRT 2
Paulo Afonso de Amorim Filho – TJGO
Diego Custódio Borges – TJGO
Ângela Cristina Leão – TJGO
Leopoldo Heitor de Andrade Mendes Junior – TJRJ
Anelise Nogueira Reginato – TJMA
Neuma Dias – TJCE
Marília Lima Leitão Fontoura – TJCE
Gerson Santana Cintra – TJGO
Ana Rita de Oliveira Clemente – TJSP
Iohana Frizzarini Exposito – TJSP
Marcelo Martins Evaristo da Silva – TJRJ
Daniel Carvalho Martins – TRT 11
Monika Alessandra Machado Gomes Alves –TJMG
Sami Storch – TJBA
Rebecca Roquetti Fernandes – TJRS
Wander Cleuber Oliveira Lopes – TJBA
Maurício Ferreira Cunha – TJMG
Vetusta Rocha Mattedi Lucas – TJMG
Ana Cristina Ribeiro Guimarães – TJMG
Rodrigo Lage – TJMG
Marcio Bessa Nunes – TJMG
Maria Isabel Fleck – TJMG
Fabiano Teixeira Perlato – TJMG
Edson Alfredo Sossai Regonini – TJMG
Raissa Figueiredo Monte Raso Araújo – TJMG
José Donizete Franco – TJMG
Leonardo Machado Cardoso – TJMG
Ademir Bernardes de Araújo Filho – TJMG
Karina Abdul Nour Tiosso – TJMG
Djalma Teixeira Benevides – TJCE
João da Matta e Silva – TJDFT
Ana Paula Almeida Ferreira – TRT 1a Região
Nelita Davoglio – TJRS
Amauri Vieira Barbosa – TRT/15.ª Região
Ulisses Augusto Pascolati Junior – TJSP
Gustavo Assis Garcia – TJGO
Suelenita Correia – TJGO
Carlos Henrique Loução – TJGO
Ivone Guilarduci – TJMG
Thiago Baldani Gomes de Filippo – TJSP
Dante Batoccini – TJGO
Antônio Henrique Corrêa da Silva – JFRJ
Zilmene Gomide da Silva Manzoni – TJGO
Paulo César Alves das Neves – TJGO
Cristiane Farias Rodrigues dos Santos – JFSP
Vanilson Hesketh – TRT 8
Danila Claudia Le Sueur Ramaldes – TJGO
Ricardo Prata – TJGO
Flávio Fiorentino de Oliveira – TJGO
Romulo de Souto Crasto Leite –TJPA
Danilo Alves Fernandes – TJPA
Diego Gilberto Martins Cintra – TJPA
Manuel Carlos de Jesus Maria – TJPA
David Guilherme de Paiva Albano – TJPA
Lucas do Carmo de Jesus – TJPA
Pedro Enrico de Oliveira –TJPA
Marcos Paulo Sousa Campelo – TJPA
Rodrigo Alexandre Rissato- TJBA
Francisco Ireilton Bezerra Freire – TJCE
Domingos José da Costa – TJCE
Altair Guerra da Costa – TJGO
José de Bessa Carvalho Filho – TJGO
Leonys Lopes – TJGO
Fernanda Machado de Moura Leite – TJMG
Maria Angélica Alves Matos – TJBA
Gilmar Coelho – TJGO
Milena Dias – TJSP
Luís Gustavo Vasques – TJRJ
Marcio Campos Barroso Rebello – TJPA
Cesar Leandro Pinto Machado – TJPA
Beatriz Torres de Oliveira- TJRJ
Ana Paula Macéa Ortigosa – TJSP
Vinícius de Paula Löblein – TRT 15
Lilian P Pons – TRT 15
Mauro Riuji Yamane – TJMG
Paulo de Assis Ribeiro – TJMA
Rogeria do Amaral – TRT2
Conceição Godoi – TJPE
Mônica Fracari – TJSC
Leandro Rodolfo – TJSC
Luciana Vidal Pellegrino Kredens – TJGO
Ana Cláudia Ribas – TRT 9
Patricia de Almeida Gomes Bergonse – TJPR
Roberta Wolpp – TJGO
Renata de Moraes Rocha – TJBA
Rowilson Garcia – TJMG
Glautemberg Bastos de Luna – TJBA
Mauro Feitosa –TJCE
Marcela França Pamponet – TJBA
Mario Paulo Montoro – TJMG
João Tejo – TJPB
Simone Cândida Lucas Marcondes – TJSP
Liniane Mog da Silva – TJRS
Ana Lúcia Schmidt Rizzon – TJSP
Thiago Castelliano – TJGO
Alano Cardoso e Castro – TJGO
Luis Fernando Benfati – TJMG
Agenor Alexandre da Silva – TJTO
Rudi Baldi Loewenkron – TJRJ
Amanda Azevedo Ribeiro Alves – TJRJ
Marcia Paixão Guimarães Leo – TJRJ
Andrea Mauro d’Eça – TJRJ
Roberto Felinto de Oliveira – TJRJ
Katia Cilene da Hora Machado Bugarim – TJRJ
Luiz Olímpio Mangabeira Cardoso – TJRJ
José Leonardo Pessoa Valença – TJPA
Fernando Bueno da Graça – TJPR
Luciano Fernandes – TJSC
Maria Heloisa Nogueira R Machado Soares – TJSP
Eloina Machado – TRT 5a Região
Patrícia Vieira Cellis Arraes – TJMG
Gabriela Jardon – TJDFT
Lizandra dos Passos – TJRS
Júlia Barreto Campêlo – TJPR
Marina Martins Bardou Zunino- TJPR
Livia Borges Zwetsch – TJSC
Mário José de Assis Pegado – TJDFT
Clecio Alves de Araújo – JFMA
Fabiane Ferreira – TRT 24
Regma Aguiar Dias Janebro – TJCE
Luciana de Carvalho Rodrigues – TRT 3
Geovana Baia – TJGO
Caroline Bündchen Felisbino Teixeira – TJSC
Bruna Richa Cavalcanti de Albuquerque – TJPR
Marcelo Góes de Vasconcelos – TJPE
Ana Maria Leal Mendes – TJSC
Marina Freire – TJSP
Salvador de Oliveira Vasconcelos – TJPB
Antonio Umberto de Souza Júnior – TRT DF
Herika Machado da Silveira Fischborn – TRT 12ª Região
Andréa Perlmutter Lago – TJMA
Leonardo Cardoso e Silva – TJRJ
Felipe Gonçalves da Silva – TJRJ
Flavio Marcelo Horta – TJRJ
Paulo Roberto Cavassa de Almeida – TJMS
Adriana Lampert – TJMS
Lídia Lopes – TJBA
Rosangela Lucia Martins – TRF2
Juvino Henrique Souza Brito – TJBA
Juliane Penteado de Carvalho Bernardi – TRT9
Cintia Costi – TJSC
Cynthia Okamoto Gushi – TRT PR
Ana Priscila da Cruz – TJPA
Flávio Horta Fernandes – TJRJ
Gisele Mendes Camarço Leite – TJPA
Ivna Mozart Bezerra Soares Moura – TJPB
Donizetti Nogueira Ramos – TJMG
Argenildo Fernandes- TJBA
Luiz Antonio Bernardo – TRT 9ª Região
Andreia Cerqueira – TJBA
Geraldo Carlos Campos – TJMG
Daniela Endrice Rizzo – TJMS
Álvaro Santos – TRT 15
Graziela Queiroga –TJPB
Erica Climene Xavier Duarte – TJMG
Paulo César Augusto de Oliveira Lima – TJMG
Paulo José Oliveira de Nadai – TRT PR
Patricia Braga Medeiros – TRT 12
Nayana Scherer – TJSC
Cristiane Busatto Zardo – TJRS
Taísa Magalhães de Oliveira Santana Mendes – TRT 15
Eduardo Silva – TRF 4ª Região
Marcelo Jones Noto – TJES
Fernando Braz Ximenes – JFRO
Aluísio Moreira Bueno – TJSP
Márcio Cavalcanti Camelo – TRT15
Luiz Felipe Negrão – TJRJ
Nathan Kirchner Herbst – TJPR
Jairo Ferreira Júnior – TJGO
Jacinéa Ferreira De Vasconcelos Granja – TJPE
Enrico Duarte da Costa Oliveira – TJPE
Simone Lopes da Costa – TJRJ
Kleber Ricardo Damasceno – TRT 9
Jacqueline Aises Ribeiro Veloso – TRT 9
Paulo Possebon de Freitas – TRT 9
Augusta Pölking Wortmann – TRT 9
Maria Luisa da Silva Canever – TRT 9
Celso Medeiros de Miranda Júnior – TRT 9
Lorena de Mello Rezende Colnago – TRT 9
Christiane Bimbatti Amorim – TRT 9
Roberto Wengrzynovski – TRT 9
Alessandra Casaril – TRT 9
Thamara Talini Zanchet – TRT 9
Abeilar dos Santos Soares Junior – TRT 9
Bernardo Guimarães Fernandes da Rocha – TRT 9
Mayra Cristina Navarro Guelfi – TRT 9
Ariana Camata – TRT 9
Patricia Tostes Poli – TRT 9
Isabella Braga Alves – TRT 9
Felipe Augusto de Magalhães Calvet – TRT 9
Marcos Blanco– TRT 9
Sandro Antonio dos Santos – TRT 9
Alexandre Augusto Campana Pinheiro – TRT 9
Luzivaldo Luiz Ferreira – TRT 9
Samanta Alves Roder – TRT 9
Fabricio Nicolau dos Santos Nogueira – TRT 9
José Eduardo Ferreira Ramos – TRT 9
Ilina Maria Jurema Maracajá Coutinho de Sá – TRT 9
James Josef Szpatowski – TRT 9
Thiago Mira de Assumpcão Rosado – TRT 9
Lara Cristina Vanni Romano – TRT 9
Carlos Martins Kaminski – TRT 9
Larissa Nunes Sally – TJRJ
Márcia Malvar Barambo – TJRJ
Vera Maria Andrade Lage – TJRJ
Flavia Machado da Silva Goncalves Pereira – TJRJ
Ricardo Rocha – TJRJ
Aroldo Gonçalves Pereira Júnior – TJRJ
Marcello Maciel Mancilha – TRT ES
Fernanda Galliza do Amaral – TJRJ
Clarice da Matta e Fortes – TJRJ
Diana Maria Wanderlei da Silva – TRF1
Ana Lúcia Pereira Mazza – TJRJ
Katia Bizzetto – TRT 2ª região
Mario Sergio Leite – TJSP
Maria Cecilia Pinto Gonçalves – TJRJ
Ester Alves de Lima – TRT 9
Maria Regina Malhadas – TRT 12
Renata Farias Costa Gomes de Barros – TJGO
Adelaine Aparecida Pelegrinello Panage – TRT 9
Adriana Ortiz – TRT 9
Julio Ricardo de Paula Amaral – TRT 9
Antonio Marcos Garbuio – TRT 9
Cassio Colombo Filho – TRT 9
Jeronimo Borges Pundeck – TRT 9
Marcos Eliseu Ortega – TRT 9
Márcio Antonio de Paula – TRT 9
Flavio Bretas Soares – TRT SP
Maria Helena Falco Salles – TRT 15
Antônio Cezar P. Meneses – TJGO
Fabiano Rubinger – TJMG
José Alfredo Junger – TJMG
José Osvaldo Furtado de Mendonça – TJMG
Sadraque Oliveira Rios – TJBA
Humberto Marçal – TJBA
Fernando Marcos Pereira – TJBA
Cleber Roriz Ferreira – TJBA
Glauco Dainese de Campos – TJBA
Juliana de Castro Madeira Campos – TJBA
Eduardo Barreto – TJBA
Tarcísia de Oliveira Fonseca Elias – TJBA
Juliana Beretta Kirche – TJMG
Karla Larissa Augusto de Oliveira Brito – TJMG
Matheus de Souza Parducci Camargo – TJSP
Michele Lermen Scottá – TRT 9
Natalia Almino Gondim – TJCE
Wagner Gomes Pereira – TJGO
Anelore Rothenberger Coelho – TRT 9
Neide Consolata Folador – TRT 9
Marcello Dibi Ercolani – TRT 9
http://cristalvox.com.br/2015/09/25/sergio-moro-ja-sao-mais-de-1-300-juizes-de-todo-o-pais-a-apoia-lo-stf-mexeu-num-gigantesco-vespeiro/

Ex-bispo da Universal conta tudo

“A Record foi comprada com dinheiro do narcotráfico, Edir Macedo é um depravado sexual e Valdemiro Santiago é um cafajeste” – (Publicado por Pavarini em 08/06/2012 – Publicado originalmente no blog do Vini Silva)
Ex Bispo e Líder Nacional da Igreja Universal do Reino de Deus, Carlos Magno de Miranda dá uma entrevista corajosa ao Blog Vini Silva, contando como foram parte dos anos que viveu na IURD e sua convivência com Edir Macedo, a compra de Rede Record de Televisão, o dinheiro do Narcotráfico, Renato Suhett, Valdemiro Santiago,Silas Malafaia, entre outras coisas.
Quem é Carlos Magno de Miranda?
“Eu nasci num lar católico, fui praticante da religião católica, a ponto de me tornar coroinha e ajudar em todas as missas do colégio Salesiano em Natal, isso nos anos de 1966-69. Mudei-me para o Rio de Janeiro e continuei católico praticante. Um dia fui convidado pelo namorado (bispo Renato maduro) da prima da minha namorada (atual esposa) a ir num culto da Igreja da Bênção (atual Universal). Era o primeiro templo. Gostei demais de ver aquele homem se mostrando poderoso para enfrentar os guias, ressalve-se que frequentei também umbanda e Kardecismo e nutria respeito e medo pelas entidades.
Aquilo me fascinou. Observe que não foi a Palavra que me encantou. Na época o Edir Macedo era apenas o obreiro do R.R Soares e logo adiante numa jogada politica, conseguiu passar a perna no missionário e assumiu o movimento, que nesse momento já havia sido trocado o nome para Universal.
Comecei a frequentar as correntes, e como sempre fui voltado para as coisas espirituais sentia um desejo muito grande de ser um pastor. Isso só veio ocorrer quatro anos depois quando eu já trabalhava na Nuclep, subsidiária da Nuclebras em Itaguaí, estado do Rio. Larguei tudo, um emprego onde eu tinha um alto salario e fui ser pastor ganhado um salario mínimo e o pagamento do aluguel de um pequeno apartamento.
Eu fui um fiel imitador do Edir Macedo, que era meu ídolo, e o resultado foi espetacular, eu me tornei uma maquina de arrecadar dinheiro. Em um ano fui mandado para o Nordeste para liderar o estado de Pernambuco. Na época em todo nordeste só existia a IURD em Recife com três pequenos templos. Vendo o sucesso que eu fazia em conseguir atrair multidões, logo fui colocado como bispo do Norte e Nordeste. Ingloriamente o confesso, acabei abrindo cerca de 108 templos em toda região.
Diante disso tudo, quando o Edir decidiu ir para Nova Iorque, para surpresa de todos, fui o escolhido para substitui-lo como bispo do Brasil. Fui para São Paulo, e tão logo cheguei fui responsável em conduzir toda compra da Tv Record. Eu conheço todos os detalhes dessa negociação imoral onde a politica e as religiões dos homens se misturam e acabaram dando todo esse poder que o Edir possui hoje. Poder financeiro e politico.
No momento que estava no auge da Ascenção na seita, Deus começa a me tirar das trevas para luz. Foi um processo muito rápido, em quatro meses eu passei a tomar conhecimento de coisas que jamais imaginei existir num lugar que se denominava igreja de Jesus. Filmes pornográficos sendo exibidos para pastores lideres e esposas.
Compra de imóveis de um milhão de dólares quando todos os pastores ficaram sem salario devido à compra da Record. Envolvimento com o mundo sujo da politica (Collor, Quércia, Renan Calheiros etc..) A remessa semanal de dinheiro para o exterior via doleiros. O ouro derretido e transformado em barras e levado pessoalmente para ser entregue na casa do Edir nos estados unidos. Finalmente o pote encheu com a ida a Colômbia para pegar dinheiro sujo de sangue do narcotráfico.
Bom, hoje eu sei que foi Deus que me tirou, na época achava que eu era que havia saído. Ledo engano, pois ninguém, humanamente falando, renuncia ao poder politico e financeiro que eu desfrutava. Tem que ser uma ação sobrenatural de Deus. Hoje sei que tudo isso faz parte dos desígnios de Deus para minha vida. Minha profissão secular é Técnico especializado em Fabricação Nuclear. Meu ministério atual teve inicio com a minha saída da IURD quando veio à revelação do Evangelho da Graça de Deus que é o único para a igreja, e que foi revelado a Paulo e está nas suas quatorze epistolas. Somos uma igreja reformada.
A minha conversão se deu quando sai da IURD e ao ouvir uma pregação sobre a verdade de que Deus é soberano, cri e me converti e Deus me tornou aquilo que ele já havia designado desde o ventre materno, um pregador do Evangelho da Graça de Deus. Temos 16 anos de pregação desse evangelho, e apenas três templos, sendo um em Natal, outro em Recife e outro em Fortaleza. Um ministério pobre financeiramente, mas rico em conhecimento e verdade.
É coisa muito difícil ter pastores segundo o coração de Deus. O único titulo que possuo é o de pastor. Diploma apenas o do primeiro grau, o segundo não completei. Nunca cursei nenhum seminário e nenhuma faculdade teológica. Tudo que sei e prego foi absoluta Graça de Deus que ele me revelou e iluminou os meus olhos espirituais.”
PERGUNTAS:
O senhor foi um bom tempo Bispo da Universal, conte como era sua relação com seus Líderes e outros Bispos e como foi sua entrada na Universal?
“Acima já contei a minha entrada na IURD. Minha relação com os outros bispos era muito boa enquanto eu não fui ordenando bispo. A partir do momento que me fizeram bispo o relacionamento já não era o mesmo. Havia muita inveja, disputa pelo poder e isso me enojava. Na época a cúpula era formada por Bispo Paulo Roberto Guimarães, bispo Rodrigues (aquele deputado do sangue suga), bispo Honorilton Gonçalves e o próprio Edir Macedo. Pra mim foi uma surpresa descobrir que havia disputa entre eles. É realmente de causar nojo o puxa saquismo.
Mas exatamente por não ter esse comportamento pequeno, servil, foi que acabei me tornando uma pessoa próxima do Edir. Ele mesmo dizia que eu era o único amigo que ele tinha, pois tinha a coragem de lhe falar a verdade. Realmente, falei da minha indignação com os filmes pornô, me posicionei contra o envolvimento político, e tomei muitas outras atitudes que não sei por que agradaram a ele. É bem verdade que quando assumi a liderança Nacional ele tentou me corromper com dinheiro, exigindo minha mudança de pensamento, alegando que agora eu fazia parte da cúpula, que agora eu não podia mais pensar como antes, como nordestino tinha que pensar grande.”
O senhor declarou em site de relacionamento que o Bispo Macedo era um homem depravado, e que cometia atos ilícitos, o senhor confirma?
“Confirmo sim. Digo que ele era imoral porque era comum nas reuniões de liderança ele provocar assuntos que falasse de sexo. Os bispos para lhe agradar contavam o que faziam com suas esposas, suas preferencias pessoais etc. Filmes pornos eram passado para os Pastores e esposas. Como eu nunca abri a boca para falar nada era chamado pelos demais de Santa Madre Teresa de Calcutá. Eu não me incomodava. Mas mantinha minha dignidade, pois mesmo no tempo de catolicismo nunca vi nada igual.”
O senhor também afirmou que foi um dos Bispos que foi a Colômbia trazer dinheiro do Tráfico para compra da rede Record. Como foi isso? Quais eram os outros Bispos que trouxeram dinheiro? Como se dava a relação do Edir Macedo com o narcotráfico?
“Não só afirmei como dei depoimento de mais de 12 horas na policia federal apresentado todas as provas. Infelizmente, a IURD teve todo apoio do governo Collor e não deu em nada as minhas denuncias
Fizemos uma viagem à Colômbia, éramos uns cinco casais, e a justificativa para a viagem era de conhecer a cidade para colocar um templo da seita. Só no hotel em Bogotá foi que o bispo Gonçalves nos reuniu e contou a verdade. Segundo ele um traficante que estava foragido no Rio de janeiro por ter assassinado um coronel na Colômbia, assistiu o programa de Tv, se sensibilizou com a campanha da compra da Record, e se ofereceu para emprestar um milhão de dólares e uma quantia que não sei calcular em pedras de diamante. Neguei-me categoricamente a participar e isso causou um mal estar muito grande.
Edir tentou me convencer pelo telefone argumentando que para Jesus “até gol de mão vale”. Não adiantou. Fui o único a ficar fora do esquema. Minha esposa participou alegando que se estava errado, ele daria conta a Deus. Veja, eu podia esconder esse detalhe, todavia, mesmo no meu depoimento na Federal eu o expus. “
Conte realmente como se deu a compra da TV Record pela Universal
“Eu vou gravar um vídeo contando a verdade sobre a compra da Record que foi feita pessoalmente por mim, que na época era o “bispo” que liderava toda seita Universal no Brasil. Em primeiro lugar o Edir Macedo estava morando nos Estados Unidos quando iniciei as negociações com o Grupo Silvio Santos e a família Machado de Carvalho, que detinham cada um deles 50% das ações da Record.
A Record foi comprada pelo valor de 45 milhões de dólares, e a igreja assumia as dividas, sabendo que o patrimônio tecnológico era zero. Tudo sucateado, o que implicava em ter que comprar tudo novo. Foi dado um sinal de 15 milhões de dólares e o saldo restante deveria ser pago em 10 parcelas mensais de 4,5 milhões de dólares. Entretanto, antes de começar a pagar as parcelas, a IURD deveria em 90 dias apresentar fiança bancaria de um banco de primeira linha, e o contrato dizia que se isso não fosse cumprido a venda estaria desfeita, e pasmem os senhores, até o sinal de 15 milhões de dólares seria perdido.
Eu tentei em todos os bancos a fiança, e mesmo a IURD possuindo patrimônio para garantir a divida, nenhum banco se prestou a financiar. Fiquei então sabendo que era regra na época as instituições bancarias não serem fiadoras de instituições como igrejas, creches, asilos e outros semelhantes a essas.
Depois de passado os noventa dias, tivemos uma reunião na sede do SBT em São Paulo, onde estava presente Eu, Edir Macedo, Honorilton Gonçalves, Sandoval que era o braço direito do Grupo do Baú da Felicidade e o próprio Silvio Santos.
A reunião foi rápida e objetiva. O Silvio iniciou dizendo: “Edir eu tenho aqui o contrato, vocês não apresentaram a fiança bancaria, e o contrato diz que vocês perdem o sinal dado e o negócio está desfeito. Mas eu não vou fazer isso, eu nunca fiquei com nada de ninguém, mas o problema é que já gastamos os 15 milhões de dólares. Então vocês vão ter que esperar aparecer outro comprador para Record e aí nós devolvemos esse dinheiro.
O Edir Macedo ficou branco, e só dizia tudo bem, tudo bem, nós aguardamos. Eu falei com ele baixinho e perguntei se ele me dava carta branca para negociar essa situação e ele disse: TUDO BEM CARLOS, METE BRONCA. Eu pedi a palavra e fui direto e contundente: “Silvio, eu não sou advogado, mas tenho certeza que em nenhum lugar do mundo alguém possa perder um sinal de 15 milhões de dólares. Eu sou o líder da IURD no Brasil e posso afirmar que isso é um golpe do Baú. Só que amanhã eu vou convocar o povo e vamos colocar cem mil pessoas na frente do SBT gritando “queremos nosso dinheiro, isso é golpe do baú”.
“O Silvio Santos empalideceu e disse: ”Calma rapaz, você não é louco de fazer uma coisa dessas”. Eu disse: “Vou fazer sim porque esse dinheiro é de Deus (eu ainda acreditava nisso), é dinheiro do povo sofrido, isso é o sangue da igreja”. Falei com voz alta, bastante nervoso e irritado.
O Silvio teve medo e disse: “Os ânimos estão alterados, vamos esfriar a cabeça e faremos uma reunião na segunda feira junto com os Machado de Carvalho”. Era uma quinta feira por volta das 16 horas. E assim ficou combinado.
Saímos dali e na sexta de manha e eu disse: Se a IURD apoiou o Collor, por que não pedir ajuda a ele? Eu mesmo liguei para Brasília, falei com Renan Calheiros, expus a situação e pedi ajuda. Ele disse: ”O presidente tem hoje uma recepção para os governadores eleitos que lhe apoiaram aqui na casa da Dinda, e meia noite ele vai para um jantar na casa de Paulo Otávio, Procurem chegar aqui antes de ele sair”.
Parece incrível, mas não havia passagem em avião comercial para Brasília, os vôos lotados.
Procuramos alugar um jato particular e por incrível que pareça não havia nenhum disponível. Isso mostra a Grandeza dessa metrópole que é São Paulo. Só no final da tarde foi que o Sr. Demerval, um dos diretores da Record representante de Silvio Santos, conseguiu com um empresário amigo o aluguel de um jatinho.
Partimos para Brasília, eu Edir Macedo, Honorilton Gonçalves, Alberto Hadad ( que foi quem trouxe a Record para ser comprada), e seu primo Jorge Hadad. Na frente da casa da Dinda uma multidão de curioso e muita imprensa. Falamos com a segurança que por sua vez contatou Renan Calheiros, e a ordem dada foi para entrar apenas Edir Macedo. Edir recusou e disse que só entraria se entrassem todos. Meia hora depois veio a autorização para todos entrarem e entramos.
Havia uma grande festa nos jardins da casa da Dinda. Ficamos em pé na varanda esperando e sendo ciceroneados pelo Claudio Humberto, o porta voz do Collor. Conversou bastante e deu uma dica: “Quando vocês cumprimentarem o presidente, somente aperte sua mão, não dêem tapinhas nas costas, pois ele detesta”. Depois de mais de 1 hora de espera, finalmente vem o Collor cercado de uma dúzia de pessoas e parou cumprimentando a todos nós depois da apresentação do Claudio Humberto, identificando cada um de nós.
Collor disse: “Muito obrigado pelo apoio de Vocês. Inclusive eu vi na Veja o bispo na igreja com a minha camiseta de campanha e vi como voces tem apanhado do PT”. Nesse momento o Edir Macedo disse: “Presidente, o senhor poderia nos atender particular por cinco minutos?”. O Collor hesitou por uns segundos, e disse: Tudo bem, cinco minutos.
Entramos na sala e durante uns 10 minutos ouvindo o presidente falar dos seus planos e em seguida foi abordado o problema da Record. O presidente disse: Eu ainda não tomei posse mesmo que tivesse tomado não sei se poderia usar o banco do Brasil para dar essa fiança.
Pensou e pediu a sua esposa que estava numa mesa em uma sala ao lado com a Claudia Raia que chamasse o PC Farias. Para nós era um ilustre desconhecido. Veio aquele senhor baixinho, usando sandálias e o Collor disse: “PC o pessoal do SBT está querendo passar a perna neles, Resolva isso pra mim”. O PC perguntou: “Agora?”. O presidente retrucou: “Não, amanhã você resolve. E assim nos despedimos.
Saímos da casa da Dinda para o aeroporto revoltados, achávamos que aquele foi uma maneira do presidente nos descartar. Na segunda feira as 11 da manhã fomos a reunião no SBT e lá estavam todos , esperando apenas o Silvio chegar. Silvio chega e o sobrinho Guilherme Estoliar diz: “Silvio, preciso falar com você antes de começar a reunião. Silvio disse: Fale logo, pode falar aqui mesmo”.
Para surpresa de todos o Guilherme Estoliar diz: “O PC me ligou no sábado e disse que a Record é do Presidente, que o bispo é apenas o testa de ferro. Silvio arregala os olhos e diz: “Edir Macedo, porque você não me disse isso? Rapaz, se eu contrariar o presidente ele me cassa a concessão do SBT, esse pessoa é uma máfia”.
Edir Macedo entendeu de imediato o que estava acontecendo e disse: “Silvio, você me desculpe mais o presidente queria segredo, eu não podia revelar nada”. Silvio se dirige aos demais e diz: “Então está tudo resolvido, não precisa fiança nenhuma”. Edir Macedo aproveita e mentindo diz: “Outra coisa, ele pediu para dividir o saldo em mais vezes”. Resultado, o que era para ser pago em 10 parcelas ficou de ser decidido parcelar em mais vezes.
Essa é a verdade da compra da Record. Fico enojado ao ver o Edir Macedo enganando as pessoas e contando uma versão mentirosa, fantasiosa, e os bestas dizendo amém. E o que é pior, ainda dizendo que foi um milagre de Deus. Deus não usa dinheiro de tráfico, não sonega impostos e não faz negócios com homens impuros.
Só Edir Macedo Bezerra mesmo para contar suas pilantragens e roubos como se fosse testemunho. O que ele se esqueceu de dizer foi que foram buscar dinheiro de tráfico de drogas na Colômbia e que os membros da IURD faziam sacrifícios sem igual para arranjarem dinheiro para pagar as prestações da Record, pessoas deram todo o seu dinheiro, venderam casas, móveis, eletrodomésticos, aliança, bicicleta, carro e etc. para dar o dinheiro na IURD, pois o safado do Edir Macedo e seus comparsas mentiam e diziam que a RECORD ia ser da igreja e seria usada para pregar o Evangelho de Jesus Cristo 24 horas por dia.
Ele se esqueceu de dizer que os pastores pequenos, os auxiliares e suas famílias passavam fome, porque não recebiam salários. Naquela época só os grandalhões continuavam na vida boa, sem lhes faltar nada.
O que Edir Macedo se esqueceu foi de dizer que ele aplicou o maior golpe e a maior fraude já acontecida em uma igreja dita evangélica,
Comprou Canais de TV e rádio com dinheiro suado que o povo, sob pressão e manipulação doava para a igreja, pois acreditavam nas mentiras do Macedo, depois ele surrupiou tudo passando para o nome dele e da sua esposa. Hoje a TV Record é usada para divulgar o “evangelho¨ de satanás 24 horas por dia. Como é que pode ainda haver gente que acredita neste Edir Macedo e sua quadrilha?”
Quais foram às ordens mais escusas que o senhor recebeu de seus líderes?
“Bom ele tinha um respeito muito grande por mim, sabia do meu caráter, e costumava dizer a minha esposa que eu era o único pastor que ele pisava em ovos antes de falar qualquer coisa. Recusei-me, por exemplo, a obrigar os pastores do Norte e Nordeste a fazerem cinco reuniões diárias para aumentar a arrecadação. Eu achei uma desumanidade. Só deixei que fizessem três, e as outras duas o pastor auxiliar fazia.
Recusei-me a trazer material para radio e Tv dos Estados unidos, mesmo sabendo que havia um acordo com a alfandega em São Paulo para a entrada de tais equipamentos. Só numa viagem foram trazidas 32 malas. Parece conto de fadas, mas é verdade.”
Os Bispos são “sócios” do Edir Macedo, participam do “lucro” da Igreja?
“O esquema é de comissão. Os lideres de estado tem uma comissão sobre o liquido da arrecadação que for enviada para ele. Os pastores de cada templo têm uma comissão sobre o que for arrecadado. É muito dinheiro a comissão dos bispos, eu, por exemplo, ganhava 5% do liquido que arrecadava todo Norte e Nordeste.
Algo na época, algo em torno de 100 mil reais. Achei um absurdo, e ele sugeriu que fizesse uma retirada de 10 mil reais e o restante ficavam como uma poupança para quando quisesse comprar uma casa na Europa ou em outro lugar. Quando sai tinha aproximadamente um milhão de dólares na “poupança”. Saímos com uma mão na frente e outra atrás, e um dia minha esposa ligou e pediu para ele liberar esse dinheiro e a resposta dele foi: “Isso é para quando está na igreja, saiu não tem direito a nada”.
Veja como Deus é bom, ele não permitiu que eu usufruísse disso, hoje tenho orgulho de dizer que não tenho nenhum palito de fósforo comprado com o dinheiro sujo da IURD.”
O senhor falou neste mesmo site de uma maneira muito contundente sobre o ex Bispo Líder no Brasil da Universal, Renato Suhett hoje Padre, o que o senhor teria a revelar sobre ele e seus atos?
“O Renato sempre foi um individuo extremamente puxa saco do Edir. Aliás, observe que a característica de todos esses falsos pastores é se cercar de gente sem personalidade, gente servil, pois assim ele os manipula com muita facilidade.
Saiu da IURD depois que sai e dizia pregar o Evangelho da Graça de Deus. Uma deslavada mentira, ele pregava um evangelho pervertido, logo abriu mais de 5º templos no Brasil e para quem prega a verdade isso é inconcebível.
Na realidade ele sempre foi um dissimulado, hipócrita, se envolveu em escanda-los sexuais, adulterou, se prostituiu, o império desabou, fechou todos os templos, e um dia aparece dando testemunho na sede da IURD em São Paulo, dizendo estar arrependido, que o Edir Macedo é que era o verdadeiro profeta de Deus e ainda fazendo apelo para que os pastores que saíram da IURD voltassem que seriam muito bem recebidos.
Um nojo! Isso está no You Tube. Foi enganado pelos homens perversos e maus, que como Paulo disse seguiriam enganando e sendo enganados. Depois disso o colocaram numa igrejinha do interior e não era essa a recompensa que ele esperava. Qual foi o resultado? Saiu outra vez e agora está ai em outro puleiro.”
Renato Suhett foi quem consagrou o ex Bispo Valdemiro Santiago, hoje líder da IMPD, o que o senhor tem a falar sobre Valdemiro Santiago?
“Ele foi meu subordinado em São Paulo, a primeira coisa que fiz foi proibi-lo de fazer as extravagâncias que fazia tipo distribuir o sabonete ungido, a arruda da vitória, e outras barbaridades mais. Depois foi mandado para o Nordeste e fez um grande sucesso com essas praticas. Um dia resolveu se rebelar e abrir a sua própria seita, e como bom aluno, está aí uma réplica do Edir Macedo no seu inicio. Tal pai, tal filho. Um cafajeste espiritual!”
O senhor o considera um homem de Deus ou mais um enganador que olha para o dinheiro do povo, como disse Silas Malafaia que ele e Edir Macedo são farinha do mesmo saco?
“Edir Macedo, Waldemiro, Silas Malafaia, R.R.Soares, Estevão Hernandes, Rodovalho e outros menos votados são todos da descendência da serpente, lobos vestidos de ovelhas, falsos mestres que movidos por avareza fazem comércio com o povo de Deus (1 Pe 2:1-3).
Malafaia durante muito tempo foi um empregado do Edir, encarregado de agenciar os programas da IURD em todo brasil. Claro que ele ganhava das emissoras 10% como contato publicitário. Ele ganhava mensalmente em torno de 100 mil reais. Com a compra da Record, a IURD decidiu cancelar os programas, ele fez um apelo ao Edir para deixar pelo menos um ano para ele se preparar, mas não foi atendido. O resultado foi o rompimento, as brigas, e hoje são desafetos. Tudo por grana.”
Como o senhor vê esses líderes televisivos e a briga por espaço entre eles na televisão? A briga é só por espaço? Em sua opinião existe algum líder sério?
“Deve haver alguns lideres sérios sem duvida nenhuma, o problema é que não tive o prazer de conhecer nenhum até hoje. Desses que aí estão se degladiando por espaço na televisão, nenhum deles é sério, são todos lobos vestidos de ovelhas, a briga por espaço é porque isso aumenta a possibilidade de atrair incautos para suas arapucas, o que traduzindo significa o aumento assustador da arrecadação. Por favor, leia Jeremias 5:26-28 que é o retrato fiel dessa gente. Líder sério nunca estará com uma visão mercantilista, não terá como alvo enriquecer nem tão pouco induzir as pessoas a quererem ficar ricas, esse perfil faz parte obrigatória do caráter de um líder sério.”
Como o senhor vê o momento atual das Igrejas Evangélicas? Na sua visão o que precisa ser mudado?
“Há 15 anos que deixei de ser evangélico para ser cristão. Ser evangélico se tornou como ser católico, todo mundo é. Virou moda. Ninguém apresenta o fruto do Espirito o que é a prova de que tem o Espirito de Cristo, e não esqueça que a Bíblia diz que se alguém não tem o Espirito de Cristo esse tal não é dele. O que temos visto é um povo nascido da carne, gente que se acha convertido porque atendeu a um apelo, ou porque batizou nas aguas, e isso é contrario a Bíblia.
Tem que nascer da água (A palavra) e do Espirito. Quando isso ocorre não se apresenta mais as obras da carne, não se fanatiza por denominação, mas abraça a verdade da Palavra e nada mais.
O sistema religioso que está ai estabelecido em nada difere daquele sistema religioso judaico do tempo de Jesus. Hoje espiritualidade é medida por números, pela quantidade de membros e pelo valor arrecadado. Na verdade o que vejo é um movimento onde há animais limpos e animais impuros e isso é coisa da arca de Noé, nunca da Igreja de Jesus. Não há crescimento qualitativo e sim quantitativo, um anomalia, um inchaço”. “Só há um jeito de reverter isso, à volta a Palavra, a verdade sendo proclamada como Deus quer que ela seja.”
http://www.pavablog.com/2012/06/08/ex-bispo-da-universal-conta-tudo-a-record-foi-comprada-com-dinheiro-do-narcotrafico-edir-macedo-e-um-depravado-sexual-e-valdemiro-santiago-e-um-cafajeste/

Garotinha de 6 anos quer que seus pais sejam amigos

Para você que acha que as crianças não entendem o ambiente onde vivem.
Tiana tem 6 anos, mora com sua mãe solteira e da ultima vez que o pai a visitou, eles brigaram. Cansada, ela resolveu ter uma conversa séria com a mãe.
http://www.facebook.com/apostoloelyvidal/videos/722993474497042/?l=6348596238303043141

CRE avalia políticas públicas para a Defesa Nacional – 24/09/2015

Qual o impacto dos projetos mais estratégicos do Exército brasileiro na Base Industrial de Defesa? A pergunta norteou mais uma audiência pública da Comissão de Relações Exteriores (CRE), com a presença do comandante do Exército, o general Eduardo Villas Bôas.
http://www.facebook.com/apostoloelyvidal/videos/722779424518447/?l=4595169161452668793

Os artigos 142 contra os “171” – 17/09/2006 – Por Jorge Serrão

A defesa da Pátria é um dever supra-constitucional. Eis o papel das nossas Forças Armadas. Mas alguns militares fingem ignorar isto. O Exército, a Marinha e a Força Aérea servem para garantir a defesa da Pátria contra qualquer ação (interna ou externa) que submeta risco à Soberania Nacional. A regra é clara. A Doutrina também. A defesa é a ação efetiva para se obter ou manter o grau de segurança desejado. A segurança é a condição em que o Estado, a sociedade e os indivíduos não se sentem expostos a riscos ou ameaças objetivas.
Qualquer militar aprendeu na escola que a Política de Defesa Nacional trabalha com dois conceitos básicos. A Segurança é a condição que permite ao País a preservação da soberania e da integridade territorial, a realização dos seus interesses nacionais, livre de pressões e ameaças de qualquer natureza, e a garantia aos cidadãos do exercício dos direitos e deveres constitucionais. A Defesa Nacional é o conjunto de medidas e ações do Estado, com ênfase na expressão militar, para a defesa do território, da soberania e dos interesses nacionais contra ameaças preponderantemente externas, potenciais ou manifestas.
A doutrina também vale para ameaças internas, principalmente se elas forem oriundas de forças externas. Com base na Constituição Federal e em prol da Defesa Nacional, as Forças Armadas poderão ser empregadas contra ameaças internas, visando à preservação do exercício da soberania do Estado e à indissolubilidade da unidade federativa. O artigo de nossa Lei Maior que define a destinação das Forças Armadas se subordina à sua Missão Institucional – e não o contrário, como preferem alguns comodistas intérpretes do Direito Constitucional.
O artigo 142 da Constituição Federal é cristalino e fácil de ser lido por quem não seja um “analfabeto político”: “As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República, e destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem”.
A existência do Brasil, como País independente e soberano, depende, diretamente, do cumprimento incondicional do dever de “defesa da pátria”. Tal obrigação não está sujeita a qualquer restrição imposta por quaisquer dos três poderes: o Executivo, o Legislativo e o Judiciário. Além disso, é uma obrigação supra-constitucional, pois a segurança da Lei Maior depende do estrito cumprimento dessa missão das Forças Armadas. Por isso, as Forças Armadas têm a obrigação constitucional de zelar pela “Segurança do Direito”, que é o verdadeiro conceito de Democracia.
As Forças Armadas são instituições nacionais permanentes. Expressam o Poder Nacional. Tal expressão militar do País se fundamenta na capacidade das Forças Armadas e no potencial dos recursos nacionais mobilizáveis. Por essa lógica, fica evidente que os militares não são um fim em si mesmos. Não podem e nem devem ser. Servem à Nação e à sociedade. A sociedade só pode se servir deles dentro dos limites da democracia, que é a segurança do direito. Exatamente neste ponto reside a questão crucial para o Brasil de hoje, que tem sua segurança, soberania e independência ameaçadas pelo governo do crime organizado – que rompe e corrompe as instituições, nos três poderes.
A Política de Defesa Nacional é fácil de ser compreendida e assimilada por quem ama o Brasil e quer ver o nosso povo feliz de verdade – sem ser escravizado. O Estado tem como pressupostos básicos o território, o povo, leis e governo próprios e independência nas relações externas. Ele detém o monopólio legítimo dos meios de coerção para fazer valer a lei e a ordem, estabelecidas democraticamente, provendo-lhes, também, a segurança.
As medidas que visam à segurança são de largo espectro. Além da defesa externa, envolvem a defesa civil, a segurança pública, as políticas econômicas, de saúde, educacionais, ambientais. Também envolve muitas outras áreas das quais não são tratadas por meio dos instrumentos político-militares. Cabe considerar que a segurança pode ser enfocada a partir do indivíduo, da sociedade e do Estado. Daí resultam definições com diferentes perspectivas.
Outro ponto importante é que a Constituição Federal de 1988 tem como um de seus princípios, nas relações internacionais, o repúdio ao terrorismo – que é uma ameaça externa contra várias nações, inclusive a nossa. O Brasil considera que o terrorismo internacional constitui risco à paz e à segurança mundiais. Condena enfaticamente suas ações e apóia as resoluções emanadas pela ONU, reconhecendo a necessidade de que as nações trabalhem em conjunto no sentido de prevenir e combater as ameaças terroristas. Conceitualmente, o terrorismo é o uso ilegal da força ou da violência contra pessoas ou propriedades, objetivando influenciar uma audiência e coagir um governo e a população de um Estado, em proveito de objetivos políticos, sociais, religiosos ou ideológicos.
Por esse motivo, no caso de ocorrer agressão ao País, no formato terrorista, a vertente reativa da defesa empregará todo o poder nacional, com ênfase na expressão militar, exercendo o direito de legítima defesa previsto na Carta da ONU. Nada custa lembrar, toda hora, que isso vale para as agressões internas de todo tipo, motivadas por interesses externos. Tudo bem objetivo, e não subjetivo. Não vale apenas para terrorismos, do ponto de vista formal. Mas para outros tipos de agressões mais sutis, impostas por um controlador externo.
A Doutrina é clara. A interpretação constitucional também. A Defesa da Pátria não pode se subordinar à vontade política – de indivíduos, autoridades ou partidos – e nem aos interesses econômicos – nacionais ou transnacionais. Na defesa da Pátria e dos Poderes Constitucionais, a “iniciativa” (prevista no Artigo 142 da CF) deve e pode ser dos comandantes das Forças Armadas, em cumprimento do dever de ofício. Agir de forma contrária significa incorrer em crime de responsabilidade ou até de prevaricação, dependendo do caso.
Novamente, a regra e a doutrina são claras. A convocação das Forças Armadas pelos Poderes Constitucionais é prevista, apenas, para a defesa da lei e da ordem. Tal missão é essencialmente policial. Neste caso, só se justifica a convocação das Forças Armadas para que não ocorra a sobreposição de atribuições, ou eventuais desvios de função. Além disso, tal dispositivo constitucional teve o objetivo de impedir que a União usasse as forças armadas para interferir em assuntos estaduais e municipais – o que feriria o pacto federativo e comprometeria o equilíbrio entre os poderes, além de agredir o próprio Estado democrático de Direito (tão desrespeitado em nosso Brasil).
Mas é bom ficar legalmente claro para os comandantes militares a sua autonomia e liberdade de atuação institucional, quando se trata da defesa da Pátria. Eles não dependem de “convocação”. Têm de atuar por obrigação. Embora seja dever de todos os cidadãos brasileiros, a defesa da soberania nacional é um papel a ser cumprido, prioritariamente (mas não só) pelos comandantes militares.
O motivo é simples. Eles detêm o poder de polícia judiciária militar, nos crimes de sua competência exclusiva. Por isso, na hora de decidir se agem ou não na defesa da pátria e da soberania, os comandantes militares não precisam ficar com a dúvida. Quando tiverem a obrigação de cumprir o que define a Constituição, não correm risco de serem acusados de “golpistas” – como é o temor geral pós-64, que apavora as legiões. O servidor público militar que tiver medo de cumprir a Lei Maior deve mudar de profissão ou passar para o lado do crime organizado, cuja lei é a barbárie. Não serve para “servir” às Forças Armadas.
A técnica jurídica da redação do artigo 142 da Constituição Federal hierarquiza a destinação das Forças Armadas, priorizando a “defesa da Pátria”. A ordem é bem objetiva. Primeiro, as Forças Armadas se destinam à defesa da pátria (que é a nossa soberania). Segundo, as Forças Armadas se destinam à defesa dos Poderes Constitucionais. Terceiro, as Forças Armadas se destinam à defesa da lei e da ordem, por iniciativa (apenas neste caso) de qualquer dos poderes constitucionais. E PT saudações. Sem trocadilho, para não magoar alguns inimigos históricos das Forças Armadas.
A hierarquia constitucionalmente prevista tem uma razão objetiva de existir. De nada adianta a garantia dos poderes constitucionais se a pátria estiver indefesa ou ameaçada, interna ou externamente. Da mesma forma, a defesa da lei e da ordem é impossível sem a garantia prévia dos Poderes Constitucionais. Por isso, a interpretação objetiva (e não subjetiva) do artigo 142 da Constituição deixa bem clara que, em caso de defesa da soberania nacional, o dever prioritário é dos comandantes militares, sem a necessidade de licença, ordem ou convocação de ninguém. Ninguém mesmo. Nem do Comandante em Chefe, seja ele quem for.
Além do artigo 142 da Constituição Federal, os militares devem observar um outro artigo 142 (também em vigor e para ser obedecido). Trata-se do Artigo 142 do Código Penal Militar – que não vale apenas para os militares, mas para quem “tentar” cometer três crimes. I – Submeter o território nacional, ou parte dele, à soberania de país estrangeiro; II – Desmembrar, por meio de movimento armado ou tumultos planejados, o território nacional, desde que o fato atente contra a segurança externa do Brasil ou a sua soberania; e III – internacionalizar, por qualquer meio, região ou parte do território nacional.
A pena prevista é de reclusão, de quinze a trinta anos, para os cabeças; de dez a vinte anos, para os demais agentes infratores. E um detalhe importante: no Código Penal Militar não existe o regime de progressão de pena. Quem for condenado tem de cumprir a integralmente a pena prevista. Deveria servir de lição para os exploradores e traidores da pátria, eventualmente nos poderes da República, que sempre agem certos da impunidade, pois jamais convocariam as Forças Armadas para agir contra si mesmos.
Por isso, amparados na Constituição Federal, os comandantes militares de área têm toda competência legal e objetiva para instaurar o inquérito policial militar contra aqueles que atentarem contra a defesa da pátria e a soberania nacional. Vale repetir a determinação legal, para que sejam evitados casos criminosos de omissão. Os comandantes militares não ficam sujeitos a “convocações” ou “autorizações” para cumprir o seu dever legal. A tese já foi exposta oficialmente, aos Comandantes Militares e ao Ministro da Defesa, em carta enviada no dia 2 de janeiro de 2006, pelo advogado Antônio José Ribas Paiva, presidente do grupo de estudos estratégicos União Nacionalista Democrática. O texto é motivo de constantes debates nas reuniões fechadas do Alto Comando do Exército.
Os militares não precisam ter medo de cumprir a Lei Maior. Sua ação legal, em defesa da Pátria e da soberania nacional, estará respaldada pela Constituição. Ninguém precisa ter medo de ser taxado de “golpista”. Até porque “golpe” é o ato praticado pela banda podre da classe política, que determinou os destinos do Brasil nos últimos 20 anos, mantendo a nação criminosa e artificialmente na miséria. Golpistas de verdade são aqueles que permitem o desvio de nossas riquezas nacionais, atuando como agentes conscientes e cumprindo as ordens dos controladores externos da economia brasileira.
Tais bandidos, verdadeiros “171” da vida nacional, bem que mereciam cada um dos 15 a 30 anos previstos no artigo 142 do Código Penal Militar. Para acabar com o governo do crime organizado – que desorganiza a vida nacional -, basta que a sociedade brasileira perca o preconceito ou o medo de ver o artigo 142 da Constituição ser aplicado democraticamente, em nome da Segurança do Direito. Os brasileiros precisam de autodeterminação e soberania. As Forças Armadas podem e devem dar “uma força” nesta direção, cumprindo sua missão claramente estabelecida na Constituição.
No Brasil, da mesma forma como não existe espaço para “quarteladas”, também não há mais condições para omissões. O momento é de ação contra os verdadeiros inimigos externos – cujos agentes conscientes e inconscientes agem aqui dentro, para explorar nossas riquezas e roubar o nosso povo. Tais bandidos, e os “171” que os servem, são os inimigos reais do Brasil e adversários diretos de quem tem o dever de garantir a defesa da nossa Pátria e a nossa soberania.
“A democracia brasileira (pós-64), equivocadamente, cassou a palavra dos militares que têm conhecimentos especializados para contribuir para grandes soluções nacionais”. A frase é do pesquisador Eliezer Rizzo de Oliveira. Atualmente, o especialista em assuntos militares coordena um importante e oportuno curso de extensão em “Segurança e Defesa Nacional”, no Memorial da América Latina, em São Paulo. O curso, que começou dia 11 de setembro e vai até 11 de dezembro, conta com grande presença de jovens estudantes – uma prova de que nada está perdido no Brasil, como os mais pessimistas fazem parecer.
Mas os militares precisam lembrar que, atualmente, o mundo convive em meio a uma guerra de quinta geração. Trata-se da chamada Guerra Assimétrica, onde vale tudo. É uma guerra de desgaste, sem frentes nem retaguarda, flexível, e que pode expressar a sua violência através de guerrilha, de terrorismo, do crime organizado. Depende muito da imaginação e da força de vontade do adversário. É uma guerra sem campanhas, sem bases, sem uniformes, sem santuários, sem pontos de apoio, sem respeito pelos limites territoriais sem uma estratégia e sem uma táctica definida, de objetivos fluidos.
As “virtudes” da guerra assimétrica estão na inovação, na surpresa e na imprevisibilidade, empregando por vezes o terror (limpeza étnica, massacre, rapto), onde o estatuto de neutralidade e a distinção civil/militar desaparecem. A população, tal como nas guerras subversivas, desempenha um papel fundamental. O cidadão é o apoio de retaguarda logístico, em informações, e, ao mesmo tempo, fonte de recrutamento. Por outro lado, também é o alvo principal. Nestas guerras há uma desvinculação do estatal, já não há a associação aos interesses nacionais, mas sim às pessoas que surgem como as maiores vítimas. O fenômeno é bem estudado pelos portugueses Francisco Proença Garcia e Maria Francisca Saraiva, do Visor Militar do Triplov.com, pelo brasileiro Olavo de Carvalho, além dos professores e estagiários da Adesg em São Paulo.
A guerra assimétrica não tem limites éticos e explora tudo como arma. Um de seus princípios é o de que é melhor controlar do que matar. Valem quaisquer compromissos morais, jurídicos e sociais que amarram as mãos do adversário. Tal batalha, desigual, emprega novas tecnologias e informações para cyberwar e vírus, a fim de neutralizar ou desgastar as forças políticas, econômicas, sociais, bem como afetar a informação militar e sua infra-estrutura de comando e controle. Em suma, entender e empregar o princípio da assimetria corretamente permite explorar os pontos fracos do inimigo. É o que precisam fazer nossos militares hoje.
A sociedade precisa reagir. Os militares têm tudo para agir, dentro da Constituição, para não serem apanhados de surpresa na guerra assimétrica. Por isso, na guerra dos artigos 142 contra os “171” só sairá vencedor o cidadão brasileiro que não fizer parte do governo crime organizado – definido tecnicamente como “a sinistra associação objetiva de criminosos formais de toda a espécie com membros dos poderes estatais, para a prática de ações delituosas, utilizando a corrupção sobre as instituições republicanas como o principal meio para atingir seus fins”.
Jorge Serrão, jornalista radialista e publicitário, é Editor-chefe do blog e podcast Alerta Total. Especialista em Política, Economia, Administração Pública e Assuntos Estratégicos. http://www.alertatotal.net/2006/09/os-artigos-142-contra-os-171.htmlhttp://alertatotal.blogspot.com e http://podcast.br.inter.net/podcast/alertatotal

Quer Vitoria? – (autor Mattos Nascimento – cantor Marcello Gomes)

Irmãos amados
Sei o quanto tens chorado
Quantos problemas
Assolando as nações
Enfermidades, desempregos,
Muita fome
Gritos de guerra,
Desespero e aflições.

Mas ainda existe solução
Pro teu problema
Entregue a Cristo
E ele pode resolver
Receberás a tua bênção
Hoje mesmo
E no teu rosto
Um sorriso há de ter.

Quer vitória?
Vai chorando geme chora
Levanta a mão
E receba a bênção nesta hora
É só pedir mas vai chorando
Geme e chora.
As tuas lágrimas
Um anjo tem colhido,
E tem levado até o trono do
Senhor,
Enquanto as lágrimas
Estão se derramando.

Ele derrama sua graça seu amor
Não tenha medo
Da tribulação da vida
Tribulação também
Passou nosso Jesus,
Que sofrimento
Teve Cristo no calvário,
Como chorou por todos nós
Ali na cruz.

E quantas vezes
Tu ficas desesperado
Se preocupando
Com que possa acontecer,
Se esta difícil
Dobre agora os seus joelhos,
E deixe as lágrimas
Molhar todo teu ser,
Então verás que quando choras
Deus responde,
Resolve tudo e te consola o coração
Sinta esse Anjo
Enxugando o teu rosto
Hoje tu vais
Com a vitória em tuas mãos.
http://www.facebook.com/apostoloelyvidal/videos/722453014551088/?l=5435506522037211540